domingo, 13 de novembro de 2011

ROLÂNDIA - CIDADÃO PROTESTA CONTRA AUTORIDADES PELA AUSÊNCIA EM CONCURSO DE BANDAS

COMUNIDADE "EU AMO ROLÂNDIA" DO ORKUT


THEODORE ASSIM SE MANIFESTOU:


Aconteceu neste final de semana o torneio de fanfarras onde Rolândia pôde receber dezenas de bandas de diversas cidades, não só do Paraná mas também do interior de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

A ACREBI, uma associação rolandense sem fins lucrativos e composta por músicos e simpatizantes foi a organizadora do evento.

Esta mesma associação treina as  2 únicas fanfarras de Rolândia: a do Colégio Souza Naves e a da Escola Dr. Vitório Franklin.

Gratuitamente.

investir no time do Nacional, e que todos sabemos que pertence ao Vereador Danilson, a prefeitura o faz sem titubear....

QUE FIQUE REGISTRADO O NOSSO PROTESTO.




Nem o prefeito e nem ninguem da administração nos presigiaram, nem com a presença.

Não vimos nem a vice prefeita e nem a Maria Luiza, secretária da cultura.

Foram ausentes....




A única pessoa que nos prestigiou com a sua filmadora foi o Sr. J.Carlos Farina.

Parabéns ao Farina.

Pessoa de bem.


FARINA RESPONDEU:



Obrigado Theodore...



Foi triste ver um público pequeno e a ausência das nossas "autoridades"...


Depois alguém ai diz que Rolândia é uma cidade culta....

Nem as autoridades compareceram...

É MUITO TRISTE.....

FELIZ NATAL AMIGOS

VÍDEO DA GLOBO REGISTRA O PROTESTO NO BOSQUE DE LONDRINA

REDE GLOBO REGISTRA A MATANÇA DAS ÁRVORES DO BOSQUE DE LONDRINA

VÍDEO CONCURSO DE BANDAS E FANFARRAS EM ROLÂNDIA 2011 2ª PARTE

PROTESTO COM CRUZES NO BOSQUE DE LONDRINA


GRUPO DISSE QUE VAI RESISTIR A ESTE QUE JÁ É CONSIDERADO O MAIOR CRIME AMBIENTAL DE  LONDRINA DE TODOS OS TEMPOS.
MUITOS PERGUNTAM OS NOMES DOS ENGENHEIROS QUE COMETERAM ESTA "BURRADA". (NÃO TEMOS OUTRA PALAVRA MELHOR  PARA EXPRESSAR ESTE CRIME E TRAIÇÃO À MEMÓRIA DOS PIONEIROS)
http://www.youtube.com/watch?v=sZykM_-45k8

MATÉRIA DO JORNAL DE LONDRINA A SEGUIR...


Gilberto Abelha / Jornal de Londrina
Gilberto Abelha / Jornal de Londrina / Cruzes brancas para cada árvore cortada: protestoCruzes brancas para cada árvore cortada: protesto
LONDRINA

Grupo coloca cruzes no Bosque Municipal contra corte de árvores

Aproximadamente 60 pessoas protestaram pelo corte de 20 árvores no local. Prefeitura pretende reabrir o tráfego de veículos pelo bosque
13/11/2011 | 17:36Daniel Costa

Aproximadamente 60 pessoas protestaram, na tarde deste domingo (13), no Bosque Municipal, na área central deLondrina. O grupo, intitulado Ocupa Londrina, é contrário ao corte de 20 árvores do local para o projeto de reabertura do bosque para o tráfego de veículos pela Rua Piauí. Cruzes brancas foram colocadas no antigo lugar das árvores.
Enquanto integrantes do grupo discursavam, o aposentado Gildo Molina, 70 anos, observava com tristeza os galhos espalhados. Morador da região há 14 anos, ele contou que usa o bosque para a realização de caminhadas e joga baralho com os amigos. “Ver isso dá um dor no coração. São árvores nativas, algumas em extinção. O que está acontecendo aqui é um crime ambiental”, disse.
O mestrando em arquitetura e urbanismo Deyvid Reis, 32 anos, argumentou que com o corte das árvores a prefeitura vai contra a tendência da sustentabilidade ambiental. “Estão acabando com o verde para dar lugar para os automóveis.”
Moradora da região há seis anos, a estudante Lidiane Lourençato, 25 anos, disse estar decepcionada com o corte das árvores. Ela utiliza o local para realizar caminhadas e passear. “É gostoso sair de manhã e andar pelo bosque. Com todos os problemas enfrentados no local, como as pombas e a insegurança, é preciso melhorar e não piorar.”
O protesto foi organizado pelo grupo Ocupa Londrina, que surgiu nas redes sociais, e quer evitar que o bosque seja aberto para o trânsito de veículos. Para o jornalista Guto Rocha, que postou no Facebook fotos do momento do corte das árvores dando origem ao movimento, disse que é solução apresentada pela prefeitura é sem nexo. “Eles querem abrir a rua para ligar nada a lugar nenhum, pois há 200 metros a via acaba. É preciso revitalizar o bosque, não acaba com ele”.
Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippul), a Secretaria de Obras e a Secretaria de Meio Ambiente (Sema)não informaram a data prevista para a reabertura da rua.