sexta-feira, 30 de novembro de 2012

JONI JOHNNY LEHMANN NA MÍDIA REGIONAL - ADVOGADO RECLAMA DA SENTENÇA

PAÇOCA COM CEBOLA
Prefeito de Rolândia é condenado
O juiz Alberto José Ludovico, de Rolândia, condenou o prefeito eleito Jonhy Lemann e o vereador José Danilson Alves de Oliveira ao pagamento de 25 mil UFIRs cada um por crime eleitoral. Eles foram denunciados pela coligação “Pelo Bem de Rolândia”, do então candidato Eurides Moura, no caso que ficou conhecido como “O caso dos Holerites Elogiosos”.
Dias antes da eleição, os funcionários da prefeitura de Rolândia receberam os holerites de pagamento com a seguinte frase: “Rolândia vive um excelente momento e isso não pode parar! Além de UTI, asfalto e casas após 14 anos, os rolandenses serão beneficiados com uma nova Escola Estadual (San Fernando), um novo Posto de Saúde (Parigot), Unidade da Mulher e da Infância (Nobre) e 3 novos Conjuntos Residenciais
A frase foi considerada uso da máquina pública para campanha eleitoral e abuso do poder político. O advogado da coligação Pelo Bem de Rolândia, Vinicius Borba, do escritório F.Reis & Associados, disse que irá recorrer. “Na nossa opinião a potencialidade não pode ser aferida em mero cálculo aritmético como constou da sentença”, disse Borba.

Mulher é atropelada e morre no hospital em Rolândia

Mulher é atropelada e morre no hospital em Rolândia; motorista foge sem prestar socorro
PAULINE ALMEIDA (BONDENEWS)
Uma mulher morreu no hospital após ser atropelada no trecho da BR-369, no trecho que passa pelo Conjunto Habitacional San Fernando, em Rolândia (24 km de Londrina). O motorista responsável pelo acidente fugiu sem prestar socorro à vítima.
A vítima foi socorrida por uma equipe do Siate e apresentava uma suspeita de fratura no crânio, além de fraturas na perna e no braço – que praticamente foi amputado. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, ela chegou com vida ao Hospital São Rafael, mas não resistiu aos ferimentos.
Ela teria sido atingida por um automóvel que passou pela rodovia em alta velocidade. O motorista não parou para prestar socorro e, caso seja identificado, pode responder por homicídio.
O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina, mas até às 10h25 desta quinta-feira não havia sido reconhecido. A mulher aparenta ter perto de 30 anos.

LEITOR DESABAFA - CASO HOLERITES


Foto: bom dia farina,que decpção mais uma vez pra uma cidade,tão bonita,de um povo querido,mas se em brasilia raramente aconteçe justiça,quem diria em rolandia,estamos enojados com essa situação,mas 4 anos passa rápido o negócio é esperar.nada é eterno,obrigado por sua luta,um abraços á rolandia minha cidade natal daqui de curitiba eu á acompanho através de voce.
Bom dia farina... que decepção... mais uma vez pra uma cidade,tão bonita, de um povo querido, mas se em brasilia raramente aconteçe justiça, quem dirá em Rolândia... estamos enojados com essa situação, mas 4 anos passa rápido... o negócio é esperar. Nada é eterno. Obrigado por sua luta. Um abraços á Rolândia minha cidade natal daqui de Curitiba eu  acompanho tudo através de você e de seu Blog. (S.A.)
RESPOSTA: Sim... nada é eterno.. veja que a era Perazolo e Eurides já foi... chegará a vez tbm do atual grupo que mal começo já está respondendo um monte de processos...

Caso dos holerites rende multa a prefeito


Embora tenha entendido que ''indubitavelmente'' o prefeito reeleito de Rolândia (Região Metropolitana de Londrina), Johnny Lehmann (PTB), praticou conduta vedada a agentes públicos nas últimas eleições, o juiz da 59 Zona Eleitoral, Alberto José Ludovico, não determinou a cassação de seu registro da candidatura ou de sua diplomação e tampouco o declarou inelegível por oito anos. O magistrado apenas aplicou multa no valor aproximado de R$ 5 mil. 

O prefeito foi acusado pela coligação adversária de ter utilizado os holerites do funcionalismo, às vésperas das eleições de 7 de outubro, para veicular propaganda institucional, com potencialidade de cooptar votos. Constava do recibo de pagamento dos quase dois mil servidores a seguinte frase: ''Rolândia vive um excelente momento e isso não pode parar!'', seguindo com promessas de obras. 

''Não é necessário maior esforço de raciocínio para concluir que é clara e manifesta a publicidade institucional! Está provado também que foi cometida dentro do período vedado (pela legislação)'', escreveu o magistrado. Ele também descartou a tese da defesa que Lehmann desconhecia a conduta proibida. Testemunhas disseram que o prefeito também recebia holerites e que inserir frases elogiosas à administração nos recibos era prática mensal. 

Ludovico acentuou que ''as frases eram produzidas pelo assessor de imprensa, Ney Volante, que exercia cargo de confiança e estava lotado no gabinete do senhor prefeito, de maneira que nem a mais ingênua das criaturas poderia acreditar que o ''chefe'', no caso o prefeito, não consentia com tal prática''. 

Apesar disso, o magistrado entendeu que a conduta não teve ''potencialidade de exercer alguma influência efetiva para desequilibrar a isonomia das eleições municipais'' e, portanto, a cassação do registro seria uma sanção desproporcional. ''Na situação ora em análise, a conduta vedada atingiu um reduzido número de pessoas - apenas alguns servidores municipais de um universo de 1.595 - os quais, pelo seu grau de instrução e nível cultural logo verificaram o ato com ''estranheza'', vale dizer, não se deixaram influenciar'', diz trecho. 

O advogado de Johnny Lehmann, Cássio Prudente Vieira Leite, considerou a sentença positiva, uma vez que o prefeito reeleito será diplomado. ''Mas vamos recorrer da multa'', disse. Também cabe recurso à coligação que denunciou Lehmann.
Loriane Comeli 

Reportagem Local
Folha Web

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Saiu sentença do caso dos holerites

manchete do povo

Promotora pede cassação, mas juiz não aceita

O juiz deu a sentença. Ele reconheceu a conduta vedada, multou Joni e Danilson em 50 mil, mas disse que não tinha potencialidade para cassação apesar da promotora pública ter dado parecer favorável ao pedido.  Segundo a acusação a fundamentação da defesa foi equivocada o que irá ajudar no TRE. Vamos acreditar no TRE que logo julgará o Recurso dos Autores.

NOVO CRIME AMBIENTAL EM ROLÂNDIA

O Facebook está fervendo. Denuncias dão conta que derrubaram dezenas de árvores nativas nas proximidades de Rua Europa. A nossa colega Cristina tomou sozinha as  providências legais. Estou em viagem, mas espero que todas as Ongs de Rolândia ajudem a Cristina nesta luta. Fora motosserra!...
Obs.: O Paulo Farina e Milton tbm estão colaborando com a Cristina.... TEXTO  e  FOTO By FARINA

PADRE MORRE EM ACIDENTE



Padre de 37 anos morre em colisão frontal no Paraná
Redação Bonde
O Padre Thelmo Ricardo Favoretto, da arquidiocese de Maringá, morreu na última terça-feira (27), após se envolver em um acidente na PR-444, entre Arapongas e Ribeirão dos Dourados. O padre conduzia um veículo Polo, da própria arquidiocese, quando colidiu frontalmente contra um caminhão com placas do Rio Grade do Sul. 

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu na hora. O condutor do caminhão, um homem de 44 anos, teve ferimentos leves e foi encaminhado para o hospital João de Freitas, em Arapongas. 

Segundo informações da Arquidiocese de Maringá, Padre Thelmo tinha 37 anos e era pároco da Paróquia Santa Rosa de Lima, no distrito de Iguatemi e assessor eclesiástico da Renovação Carismática Católica da Arquidiocese de Maringá. 

O velório do padre deve ser realizado na igreja matriz de Iguatemi. Já o sepultamento será na quinta-feira (29).

Jefferson escapa de regime fechado


Ministros do STF entendem que colaboração de ex-parlamentar foi fundamental para o processo do mensalão

José Cruz/ABr
Defesa de Jefferson alega que ex-deputado não recebeu dinheiro em troca de apoio ao governo
São Paulo - A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu ontem que as revelações do ex-deputado Roberto Jefferson à Folha de S.Paulo e na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Congresso foram fundamentais para as investigações do mensalão. Assim, beneficiaram o ex-deputado com a redução de pena, condenando-o a sete anos e 14 dias de prisão pelos crimes no esquema. Também foi fixada multa de mais de R$ 700 mil. Na prática, a redução fez com que o ex-deputado cumpra a pena inicialmente em regime semiaberto. Sem o benefício, ele pegaria mais de 10 anos de prisão, tendo que cumprir parte da punição na prisão. 

Jefferson foi considerado réu colaborador voluntário e teve a pena reduzida em 1/3. Por corrupção passiva, por receber dinheiro do esquema, ele foi condenado a dois anos, oito meses e 20 dias. A pena inicial proposta era de quatro anos e um mês. A multa é de mais de R$ 300 mil. 

Por lavagem de dinheiro, o ex-deputado foi punido com quatro anos, três meses e 24 dias. A pena sem o redutor seria de seis anos, cinco meses e dez dias. 

Revelações feitas por Jefferson em entrevista à Folha em 2005 deram origem ao principal escândalo do governo Lula (2003-2010), que levou à queda de seu homem forte, o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil), condenado a dez anos e dez meses de prisão. 

O selo de delator é rechaçado pela defesa do próprio Jefferson, que descarta a hipótese de o ex-deputado ter recebido dinheiro em troca de apoio ao governo no Congresso. Segundo ele, o dinheiro repassado pelo PT - cerca de R$ 4 milhões de um total de R$ 20 milhões prometidos - era relativo a um acordo de campanha. A legislação penal permite a redução de pena em caso de colaboração. 

O relator disse que Jefferson teve um papel fundamental para as investigações tendo revelado o nome do operador do mensalão Marcos Valério, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, além dos parlamentares que fecharam acordo com o ex-ministro José Dirceu em troca de recursos. 

''É inegável que a presente ação penal jamais teria sido instaurada sem as declarações de Jefferson. Ao revelar um esquema de distribuição de mesadas para a compra de votos tornou-se possível desvendar o plano criminoso instalado por detentores de importantes cargos públicos e mandatários'', disse. E completou: ''Jefferson prestou com colaboração ao informar os nomes, suas declarações mostraram-se harmônicas com as provas colhidas'', disse.
Folhapress

Queda de árvore congestiona a BR-369


Ricardo ChicarelliArapongas - Mesmo rápida, a chuva que caiu na região metropolitana de Londrina (RML) na tarde de ontem causou alguns transtornos e estragos. A queda de uma árvore de grande porte - aproximadamente 15 metros - provocou congestionamento

de um quilômetro na BR-369, próximo à praça de pedágio de Arapongas, às 16h20.

De acordo com um funcionário da Viapar, concessionária que administra a rodovia, a pista sentido Londrina foi interditada minutos depois da queda para a retirada do obstáculo. ''Os funcionários da empresa levaram quase uma hora cortá-la e removê-la'', disse. Não houve feridos e por volta das 17h30 o trânsito já havia sido liberado.

Segundo o cabo Marcos Roberto Milani, do Corpo de Bombeiros de Arapongas, a chuva foi intensa na cidade, porém, sem ventos. Já no Expoara Pavilhão de Exposições a rajada foi intensa e, inclusive, provocou o destelhamento daquele espaço. ''A chuva não foi tão pesada. O problema foi o pé de vento naquela região da BR-369'', completou.

O Corpo de Bombeiros de Rolândia registrou várias quedas de árvores, em diversas regiões da cidade. ''Foi uma chuva momentânea, mas com muito vento'', relatou o soldado José Fabiano dos Reis. Segundo ele, pelo menos seis árvores caíram e algumas, inclusive, atingiram residências, mas não houve feridos.

Em Cambé também choveu forte e por pouco tempo, sem ocorrências na cidade. Na BR-369, no entanto, um micro-ônibus que transportava pelo menos oito pessoas capotou. Conforme o cabo Orlando Alves de Fontes, do Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por causa da chuva. ''O micro-ônibus da Prefeitura de Apucarana transportava pessoas para tratamento médico em Londrina e, na volta, aquaplanou'', explicou. Nenhuma vítima se feriu gravemente.
Aline Vilalva e Lúcio Flávio Moura
Reportagem Local
Redação FolhaWeb

Governo autoriza aumento de 4,69% no pedágio


Novos valores das tarifas nas 27 praças do Paraná entrarão em vigor à zero hora de sábado. Em Jataizinho, preço para carros de passeio sobe R$ de 12,80 para R$ 13,40. Pelo segundo ano consecutivo concessionárias não precisaram recorrer à Justiça para fazer valer cláusula contratual
Curitiba - Na madrugada deste sábado as tarifas de pedágio cobradas no Paraná subirão 4,69%, em média. O aumento foi autorizado ontem pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER) do governo do Paraná, órgão encarregado de avaliar a proposta enviada anualmente pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR). Pelo segundo ano consecutivo de governo Beto Richa (PSDB) as seis concessionárias que operam no Paraná não precisaram recorrer à Justiça para elevar o preço cobrado nas 27 praças de pedágio. Durante a administração anterior, de Roberto Requião (PMDB), o governo vetava os reajustes levando o assunto para os tribunais. 

Os maiores valores continuam sendo cobrados na praça de pedágio de São José dos Pinhais (veja quadro), administrada pela Ecovia, onde carros de passeio pagam R$ 14,60, caminhões leves desembolsam R$ 24,60 e motos R$ 7,30. A rodovia é caminho para o litoral paranaense e para os portos de Paranaguá e Antonina. O segundo conjunto mais oneroso de tarifas é cobrado perto de Londrina, em praças de pedágio administradas pela Econorte. Em Jataizinho, por exemplo, a partir de sábado a tarifa para carros de passeio sobe de R$ 12,80 para R$ 13,40, caminhões leves de R$ 20,80 para R$ 21,80 e motocicletas de R$ 6,40 para R$ 6,70. 


Redação FolhaWeb

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Crianças e jovens apresentam mais excesso que falta de peso, diz IBGE


Um terço das crianças brasileiras de 5 a 9 anos está com sobrepeso.

Relatório cita ainda queda na incidência de dengue e tuberculose no país.


As crianças e adolescentes brasileiros têm, em média, mais excesso de peso que déficit de massa corporal, segundo estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta quarta-feira (28). De acordo com o relatório, 33,5% das crianças de 5 a 9 anos estão com sobrepeso, contra 4,1% com déficit de massa corpórea.
Chamado de Síntese de Indicadores Sociais 2012, o estudo reuniu dados de levantamentos anteriores do instituto, como a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008 e 2009 - último período em que o estudo foi realizado - e a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense).
Entre os jovens com 10 a 19 anos, um quinto ou 20,5% deles apresentam sobrepeso, contra 3,4% com "magreza" excessiva, indica o estudo. Os números sobre excesso de peso são preocupantes, diz a pesquisadora Bárbara Cobo, da área de indicadores sociais do IBGE e uma das responsáveis pelo estudo.
Percentual da população de crianças e adolescentes de acordo com a massa corporal divididos por faixa etária
 Déficit de pesoExcesso de pesoObesidade
População de 5 a 9 anos4,1%33,5%14,3%
População de 10 a 19 anos3,4%20,5%4,9%
Fonte: IBGE, Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009
Bárbara avalia que a alimentação desequilibrada e a pressa para comer são características do mundo dos adultos que também afetam os jovens. "Você precisa mudar os hábitos nas escolas, mas também em casa, precisa ser um trabalho em conjunto nos dois ambientes", diz.
Os temas da merenda e dos alimentos saudáveis na rede escolar têm sido muito debatidos, mas marecem atenção, afirma a pesquisadora.
A obesidade (estágio superior ao sobrepeso) também foi destacada no relatório recém-lançado. Pelo menos 11,8% das meninas e 16,6% dos meninos entre 5 e 9 anos foram considerados obesos, segundo o IBGE. No grupo de 10 a 19 anos, 4,9% das crianças apresentaram quadro de obesidade.
Nas escolas
A Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), que integra o relatório, aponta que 16% dos jovens no 9º ano do ensino fundamental estavam com sobrepeso quando o estudo foi realizado, em 2009. Já o déficit de massa corporal atingia só 2,9% destes jovens, número bem menor do que os com excesso de peso. Outros 7,2% estavam obesos.
A pesquisa avalia o estado nutricional dos estudantes de todas as capitais brasileiras, segundo o IBGE. Apesar de as amostras analisadas serem distintas, o instituto afirma, no relatório recém-divulgado, que "os dados [da Pense] são coerentes com aqueles captados para o grupo de 10 a 19 anos de idade investigado na POF 2008-2009".
Dados regionais
A capital com maior número de estudantes do 9º ano do ensino fundamental acima do peso é Porto Alegre (20,1%), diz o IBGE. Na sequência estão Rio de Janeiro (18,3%) e Florianópolis (17,2%).
No caso das crianças de 5 a 9 anos, faixa analisada na POF, o excesso de peso é mais comum nas regiões Sudeste (39,7%), Centro-Oeste (37,9%) e Sul (36,3%). A situação é parecida com a encontrada entre os jovens de 10 a 19 anos - o sobrepeso é maior nas regiões Sul (26,9%), Sudeste (24,4%) e Centro-Oeste (23,9%), de acordo com o IBGE.
http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/11/criancas-e-jovens-apresentam-mais-excesso-que-falta-de-peso-diz-ibge.html

Surto de dengue ameaça cinco municípios


Cidades localizadas no Oeste do Paraná apresentam alto índice de infestação, segundo levantamento divulgado pelo MS
Londrina - O Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (Liraa) divulgado ontem pelo Ministério da Saúde indica que 77 municípios brasileiros estão em situação de risco para a dengue. Deste total, cinco estão localizados no Paraná, todos no Oeste, e oferecem risco de surto. O maior índice é o registrado por São Miguel do Iguaçu (8,7%) e na sequência vêm Santa Terezinha de Itaipu (4,8%), Foz do Iguaçu (4,7%), Santa Helena (4,1%) e Matelândia (4%). 

Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde de São Miguel do Iguaçu, Antonio Sbardella, dois fatores contribuíram para que o município atingisse um índice tão elevado. O principal deles foi a seca que atingiu a região por 60 dias. ''Sem chuva, a população ficou mais despreocupada e descuidou dos objetos que acumulam água. Como voltou a chover nas duas últimas semanas, consequentemente, surgiram os focos'', explicou. 

Outro ponto que influenciou no resultado médio - que em setembro estava em 2% - foi o aumento do índice no parque industrial daquele município, que chegou a 14%. ''Nessa área há muito utensílio de metal que fica em desuso no pátio e acumula água'', justificou Sbardella. ''Além disso, a nossa região é complicada por ser vizinha do Paraguai, que neste ano já registrou 30 mil casos de dengue e 67 óbitos.'' 

Para combater os focos, os agentes de saúde e de endemias passaram a atuar exclusivamente contra a dengue, percorrendo os bairros e as áreas comerciais fazendo um arrastão de limpeza e trabalhos de orientação e conscientização. Conforme Sbardella, é a primeira vez que o município atinge um índice ''tão alto''. Neste ano, a cidade teve um pouco menos de 20 casos da doença. 

Em Santa Terezinha de Itaipu também estão sendo realizadas campanhas de conscientização em virtude do elevado índice apontado pelo Liraa. ''O período de estiagem contribui para não ter foco, mas a chuva torrencial que ocorre neste período é agravante'', explicou o diretor de Saúde, Jorge Soares Ferreira. 

Para ele, a tendência é que o índice fique ainda pior por causa da situação climática e também pelo período de férias, no qual muitas pessoas deixam as casas fechadas para viajar e, por isso, falta controle do acúmulo de água por parte dos moradores. A proximidade com Foz do Iguaçu e Paraguai também é um ''problema'', conforme Ferreira. O município teve três casos confirmados de dengue neste ano. 

Colaboração 

A pesquisa realizada em 1.239 municípios brasileiros mostra, ainda, que 375 cidades estão em situação de alerta para a dengue (índice de infestação entre 1% e 3,9%), enquanto 787 registraram índices considerados satisfatórios (menores que 1%). No Paraná, são 26 municípios em alerta e 27 com resultados satisfatórios. 

Em Goioerê (Centro-ocidental), o índice aumentou consideravelmente do Liraa realizado em setembro para o levantamento atual, saltando de 0,7% para 3,6%, o que coloca o município em alerta. Para a supervisora de Endemias, Leonice Rodrigues da Silva, o índice de infestação é resultado do ''descuido dos moradores''. ''Esperamos que eles colaborem para que consigamos diminir este número porque estamos em um período preocupante'', alertou, acrescentando que campanhas são conduzidas em toda a cidade com o objetivo de eliminar focos. 

Londrina também está em alerta, conforme a diretora de Vigilância em Saúde, Sandra Regina Caldeira. O último Liraa realizado pelo município apontou índice de 1%. ''É considerado baixo para o período, mas é um alerta. Não podemos baixar a guarda e devemos manter as campanhas preventivas pensando que o pico dos casos ocorre em dezembro, janeiro e fevereiro'', disse. 

Ações contínuas 

De acordo com a chefe do Departamento de Vigilância Ambiental da Secretaria de Estado da Saúde, Ivana Lúcia Belmonte, o aumento da temperatura e da umidade do ar fazem com que os ovos depositados pelos mosquitos no período do inverno eclodam com a mudança climática. ''Por isso, as ações contínuas realizadas durante o ano devem ser intensificadas nesta época'', defendeu. 

''É um momento de alerta porque estamos próximos do início do verão, que é um período crítico, com risco maior de epidemias. E a dengue já é endêmica no Estado'', completou. 

Ivana adiantou que o supervisor de Vigilância em Saúde da Sesa, Sezifredo Paz, se reuniu ontem com gestores dos municípios da região de Foz do Iguaçu, para definir ações a serem tomadas para diminuir esses números.(Com Agência Brasil) 


Aline Vilalva 

Reportagem Local
FOLHA WEB

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Carteira de Habilitação será renovada automaticamente


Motoristas paranaenses que precisem renovar  a Carteira Nacional de Habilitação não precisarão ir até o Departamento de Trânsito do Estado repetir o processo de biometria, fotografia e agendamento de exame médico. Segundo o Detran, em 2013 cerca de 527 mil renovações, quase 64% do total previsto para o ano, serão feitas de forma não presencial. A estimativa é que nos próximos três anos, 1,4 milhão de pessoas deixe de ir a uma unidade da autarquia e receba a CNH em casa. 

O novo sistema está em implantação e agilizará o atendimento de outros serviços, que exijam a presença do motorista e não possam ser feitos online. "Hoje, com o Detran Fácil, oferecemos quatro serviços pela internet e a ideia é ampliar esse número. Assim, garantimos facilidade e comodidade aos usuários, sem filas ou deslocamentos", disse o diretor-geral do órgão, Marcos Traad. 

Ao contrário dos pedidos para segunda via da CNH ou do Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo (CRLV) e da Permissão Internacional para Dirigir (PID), feitos pelo site www.detran.pr.gov.br, o motorista não precisará sequer solicitar a renovação automática de sua habilitação. Quando sua CNH estiver para vencer, ele receberá pelos Correios um aviso com prazo e código de barras para o pagamento do novo documento. 

O valor continua R$ 101,79 e, depois de pago, permitá que seja feito, pelo site do Departamento, o agendamento da consulta médica, exigida pela legislação de trânsito. Na clínica, será feita a biometria, que é a identificação do motorista por sua impressão digital e garante a segurança do processo. Assim, se ele for aprovado no exame de saúde fisica, o Detran emitirá automaticamente a nova CNH, usando a fotografia do documento anterior. O documento chega no endereço cadastrado no prazo máximo de cinco dias úteis. 

Para evitar erros e atualizar o banco de imagens o motorista fará a renovação de forma presencial, mas somente a cada 10 anos. Assim, um condutor com 19 anos de idade renovará sua CNH automaticamente por duas vezes - de cinco em cinco anos - para então, com 34 anos de idade ir ao Detran para atualizar foto e biometria. 

Fim de ano – Com o início das férias e o pagamento do décimo terceiro salário o movimento nas unidades do Departamento de Trânsito do Paraná tende a aumentar em até 40% nos próximos meses. "É um crescimento histórico, que acontece todos os anos. Na próxima semana receberemos o reforço de 20 servidores estatutários, chamados do concurso público realizado pela Seap em 2009. Até dezembro serão mais 30 convocados", afirma Traad.

BOND NEWS

Londrina: ex-prefeito condenado por desvio deixa PEL II

O ex-prefeito de Jundiaí do Sul (64km ao sul de Jacarezinho), Valter Abras (PSDB), deixou a Penitenciária Estadual de Londrina (PEL) II nesta terça-feira (28) dois dias depois de o Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerar nulos os crimes cometidos por ele. Na decisão, o STJ alega que as acusações são de responsabilidade do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) e não da Justiça de Ribeirão do Pinhal, que condenou o prefeito a 16 anos de prisão por desvio de dinheiro público e falsificação de documentos. As informações são do G1 Paraná. Os crimes teriam sido cometidos antes de 2008, quando ele ainda era prefeito. As decisão saíram em 2009 e 2010. 

Ele foi eleito em 2008, mas foi impedido de assumir porque teve o diploma cassado pela Justiça Eleitoral. A decisão do STJ não anula os mais de 21 processos que Abras continua respondendo na Justiça. 

O ex-prefeito foi levado para a PEL II em agosto após ser recapturado em Guaratuba, no litoral do Paraná. Ele ficou foragido por três meses depois de ter escapado da Penitenciária de Guarapuava em abril. (com informações do G1 Paraná)
BONDE NEWS

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Apostador leva sozinho R$ 33 milhões na Mega-Sena

BONDENEWS
Um apostador de Araxá, Minas Gerais, levou sozinho o prêmio de R$ 33,8 milhões sorteados pela Mega-Sena. Segundo informações da Caixa Econômica Federal, as dezenas sorteadas no concurso 1.445, em Quatis, foram: 05 - 19 - 32 - 41 - 49 - 58.

Outras 133 pessoas acertaram a Quina e deve receber cada uma, mais de R$ 25 mil. Já a Quadra saiu para 10.497 apostas, sendo que cada uma delas receberá R$ 455,83. O próximo sorteio da Mega-Sena, na quarta-feira (28), deve pagar R$ 2,5 milhões.

domingo, 25 de novembro de 2012

PENSÃO ALIMENTÍCIA - Projeto estipula alternativas a devedores


Detenção em regime fechado pode ser substituída por prisão em semiaberto e inscrição em cadastros de proteção ao crédito

O desempregado Marcelo (nome fictício) teve prisão decretada em razão de uma dívida de pouco mais de R$ 1 mil, por falta de pagamento da pensão alimentícia do filho. Quando foi entrevistado pela FOLHA, estava detido há um dia. 

''Estamos piores do que os presos ali dentro (do regime semiaberto), eles têm TV, regalias. Não temos nem espaço para nos movimentar dentro da cela'', reclamou Marcelo, que disse que sua prisão foi ''injusta''. ''Eu já tinha pago parte da dívida, mas minha ex-mulher e o advogado não comunicaram ao juiz'', afirmou. 

O desempregado relatou à reportagem da FOLHA que, por não ter trabalho, não tinha como pagar toda a dívida. E apontou que não tinha outra alternativa a não ser permanecer preso durante os 30 dias previstos na ordem judicial. ''Não tenho como recorrer à nada. Não tenho advogado. Minha mãe não tem condições de me ajudar. Vou ficar por aqui. Não tenho nem como trabalhar para levantar esse dinheiro'', argumentou. 

Todos os dias, casos semelhantes ao de Marcelo ocorrem em todo o Brasil. A detenção vem sendo utilizada como principal mecanismo para pressionar inadimplentes a quitar débitos de pensão. A Lei nº 5.478, de 1968, e o Código de Processo Civil, de 1973, estipulam a decretação de prisão em regime fechado em casos de falta de pagamento de pensão alimentícia: na primeira lei, o prazo máximo de detenção previsto é de 60 dias; no Código de Processo Civil, varia entre um e três meses. Esse rigor, no entanto, está perto de mudar. 

A reforma do código, atualmente em discussão no Congresso Nacional, pode contemplar alternativas à prisão em situações desse tipo. De acordo com relatório apresentado em uma comissão especial da Câmara Federal, que analisa o projeto de reforma do Código de Processo Civil, estão sendo propostas duas mudanças principais. 

''Não tiramos a possibilidade de prisão, mas havendo a detenção, propomos a prisão em regime semiaberto, para que o devedor possa trabalhar durante o dia e ter condições de quitar o débito. A prisão muitas vezes não resolve o problema. Primeiro, a pessoa que está devendo a pensão em muitos casos realmente não tem dinheiro para pagar. Em segundo lugar, a prisão agrava o conflito familiar'', explicou o ex-deputado federal Sérgio Barradas Carneiro (PT-BA), autor do relatório e que deixou a Câmara no último dia 9: por ser suplente, perdeu a vaga com o retorno do titular. 

A proposta estipula prisão em regime fechado em caso de reincidência. Em todo caso, porém, o detido deverá ficar separado de presos comuns. Se essa separação não for possível, a prisão será domiciliar. Outra diferença importante sugerida no relatório é que os devedores poderão ser incluídos em cadastros de proteção ao crédito. 

A votação do relatório já foi adiada três vezes e o debate só será retomado em fevereiro de 2013. Depois, o projeto vai a plenário. A proposta original de reforma do código foi elaborada por um grupo de juristas e aprovada pelo Senado em 2010, mas o texto sofreu várias alterações na Câmara. 

Daniel Laufer, membro da Comissão de Direito Criminal da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná (OAB-PR), acredita que a prisão por falta de pagamento de pensão alimentícia pode ser ''eficaz'' em certos casos, mas é ''desproporcional''. Por isso, ele aponta que seria benéfica a adoção de medidas alternativas à prisão em regime fechado. 

''A questão do patrimônio não pode suplantar a ideia de liberdade individual. Esse é o único caso de prisão por dívida previsto no Brasil. A necessidade de detenção nessas situações é discutível. Como está hoje, é apenas uma maneira de coerção'', critica.
Fábio Galão 
Reportagem Local
FolhaWeb

Lei determina que SUS trate câncer em 60 dias


Shutterstock

Na prática, hoje a média de espera por alguns procedimentos chega a quatro meses
São Paulo - O paciente com câncer atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) deverá começar a receber tratamento em até 60 dias após o diagnóstico. Na prática, a média de espera por alguns procedimentos chega a quatro meses. De acordo com relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) divulgado em novembro do ano passado, pacientes com indicação para radioterapia aguardam, em média, 113,4 dias.

O prazo foi determinado pela Lei 12.732, sancionada pela presidente Dilma Rousseff na última semana e publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União. Para médicos e entidades ligadas a pacientes, a lei representa uma boa notícia. A questão é como a regra, que entrará em vigor daqui a 180 dias, será posta em prática.

De acordo com o médico Robson Ferrigno, presidente da Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT), a lei é impossível de ser cumprida. ''Não há estabelecimentos nem médicos suficientes. Existe uma demanda reprimida muito alta, inúmeros pacientes na lista de espera. Precisa de mais investimentos e de mais contratações de serviços. Se não fizer parcerias público-privadas, não vejo acontecer.''

Ferrigno observa que uma boa iniciativa do governo é o projeto de estruturação de 80 serviços de radioterapia até 2015. ''A ressalva é o prazo grande. O ideal é que o governo contrate serviços para ajudar na demanda.''

Para o diretor-geral do Hospital de Câncer de Barretos Henrique Prata, a política recente relativa à radioterapia - que aumentou o valor repassado para as instituições que atendem pelo SUS - foi bem-sucedida em diminuir as filas. ''Quando o SUS passou a pagar bem a radioterapia, nossa fila, que era de 1.200 pacientes, diminuiu para 400. Com a simples resolução de pagar bem o serviço, todo mundo se interessou em oferecer o tratamento pelo SUS.'' Ele acrescenta que, se for feito o mesmo para outros procedimentos, a aplicação da lei pode ser efetiva.
Mariana Lenharo
Agência Estado
Folha Web

Trem pé-vermelho pode sair do papel

Obra, estimada em R$ 672 milhões, pode ser incluída no PAC da Mobilidade Urbana
Londrina - O Trem Pé-Vermelho pode sair do papel depois de seis anos. A Secretaria Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, vinculada ao Ministério das Cidades, pré-aprovou o projeto dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade para médias cidades, que contempla municípios entre 250 mil e 700 mil habitantes.

O Trem Pé-Vermelho é um projeto do Laboratório de Transportes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O ramal ferroviária ligaria os municípios de Ibiporã, na Região Metropolitana de Londrina, a Paiçandu, na Região Metropolitana de Maringá. A linha teria 130 quilômetros de extensão, cortaria 13 municípios, com demanda diária para 30,7 mil passageiros, transportando mais de 13,2 milhões de pessoas por ano.

''O trem desonera o sistema de transporte, deixa as rodovias mais vazias, e seria um grande avanço para a região porque é notório que cidadãos das regiões metropolitanas se deslocam diariamente para os grandes centros, Londrina ou Maringá, seja para estudar ou trabalhar. A linha atenderia uma população de 1,7 milhão de pessoas'', explicou o secretário estadual de Infraestrutura, José Richa Filho.

O projeto do trem será apresentado na próxima terça-feira na Secretaria Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana. ''É uma sinalização de investimento, considera que o governo (federal) olhou com bons olhos para o projeto, que está estimado em R$ 672 milhões e pode ser desenvolvido até por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP)'', ressaltou.

O Trem Pé-Vermelho pode ser usar a tecnologia de veículos leves sobre trilho (VLT), uma espécie de metrô sobre superfície, usado normalmente para o transporte de longos percursos de passageiros. Os sistemas de light rail são elétricos, seja por fiação aérea (catenária), carril (pelo trilho) ou até mesmo por diesel.
Danilo Marconi
Reportagem Local
Folha Web

sábado, 24 de novembro de 2012

ROLÂNDIA - CASO DOS HOLERITES - PREFEITO FALTA COM A VERDADE

O prefeito Johnny Joni Lehmann faltou com a verdade ao afirmar que determinou a  paralisação das entregas dos holerites. Ora, se nem os Holerites dos oposicionistas Fábio Nogatoto e de Veridiana Naves eles recolheram, imaginem os demais?  Penso que o caso é grave e que vai receber a justa punição  de acordo com os pedidos entabulados na inicial.  A lei não preve o caso de "engano". Se fosse assim o cara que assaltou uma pessoa pensando tratar-se de outra seria absolvido. JUSTIÇA!....

VÍDEO - ADVOGADOS DE EURIDES FALAM SOBRE A AUDIÊNCIA DOS HOLERITES

VÍDEO By  RODRIGO STUTZ

LINK


http://youtu.be/k2V5tYBuKNw

MORTO QUER PROVAR QUE ESTÁ VIVO

FOLHADELONDRINA

Montador de móveis prcisou entrar na Justiça para provar que está vivo

Marcos Costa: ''Estou legalmente morto, e isso, além de ter sido um choque, é um absurdo''Londrina - O montador de móveis Marcos Rogério da Costa, natural de Cianorte (Noroeste), trabalha cinco dias por semana em dois períodos, mora com a esposa - com quem é casado há sete anos - em Londrina, justificou sua ausência nas eleições de 2008 e 2010 porque não tinha alterado sua residência eleitoral e estava vivendo ''normalmente'', não fosse um detalhe: legalmente está morto desde 2006.

Foi a necessidade de renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), em agosto deste ano, que mostrou o erro. Ele descobriu que, em agosto de 2006, uma religiosa da Toca de Assis, que Costa garante nunca ter encontrado, nem ouvido falar, foi declarante da morte dele na Acesf e no cartório que expediu seu atestado de óbito.

Como não abriu empresa, não fez passaporte nem foi em sua zona eleitoral votar, o erro passou despercebido por todo esse tempo. Há dois meses, Costa luta na Justiça para provar que está vivo. A certidão de óbito de Costa, que consta seu nome completo, o nome de sua esposa, sua data de nascimento e o nome completo dos pais, contém alguns erros, mas que não foram suficientes para que alguém suspeitasse que o falecido, enterrado no cemitério Jardim da Saudade em uma cova pública, não era o montador de móveis.

''O nome da minha esposa tem um erro de grafia, e consta que meus pais também são falecidos, mas meus pais são vivos.'' Além disso, na certidão consta que ele deixa um filho. ''Eu ainda não sou pai''. Costa atualmente tem 34 anos e estaria morto desde os 27.

Assim que foi alertado pelo Detran que sua carteira não poderia ser renovada porque seu cadastro era ''inexistente'', Marcos foi até a Secretaria de Segurança Pública (SSP) para entender o que estava acontecendo com seu registro. ''No Detran não explicaram qual seria o problema. Na SSP, a moça puxou meu nome, me olhou com os olhos arregalados e disse que eu estava morto.'' Segundo Marcos, a atendente saiu correndo para chamar sua superiora. Ainda na SSP o montador de móveis colheu as digitais - que foram enviadas para Curitiba para que o reconhecimento fosse feito. ''Os dados, porém, não foram suficientes para provar que eu estava vivo.''

Segundo o advogado que está cuidando do caso, Eliezer Machado de Almeida, não é possível desfazer o erro de forma automática. ''É necessário ser feito judicialmente porque existem pessoas que forjam a morte para dar golpe em seguro, por exemplo, ou para fugir de alguma responsabilidade jurídica. Não é o caso dele, mas a Justiça precisa ter esses dados e julgar cada um separadamente.'' Há pouco mais de 60 dias o advogado entrou com um pedido na 1 Vara da Fazenda Pública para anulação do registro público, em caráter de urgência. ''Somente depois ele poderá ter novamente seus documentos normalizados.'' Por conta da urgência o processo está correndo rapidamente - um processo de anulação de registro semelhante demorou 292 dias para ser concluído, segundo o advogado.

Enquanto isso, Marcos Costa está sem a carteira de habilitação. ''Estou legalmente morto, e isso, além de ter sido um choque, é um absurdo. Preciso da minha moto para trabalhar, eu sou autônomo e monto móveis para cinco lojas. Como vou sustentar minha família sem meu meio de transporte?'', questiona. O processo, que já teve uma audiência e está em fase final, deve ser concluído até o final do ano. Até lá, Marcos Costa vive normalmente, mesmo estando legalmente morto.

Paula Barbosa Ocanha

Reportagem Local

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

ROLÂNDIA - FUNCIONÁRIOS CONFIRMAM PROPAGANDA EM HOLERITES

PAÇOCA COM CEBOLA

O prefeito reeleito de Rolândia Jonhy Lemann vai ter dor de cabeça nos próximos dias. Hoje à tarde, no Fórum de Rolândia, houve uma audiência sobre o famoso caso dos Holerites. A denúncia foi feita pela campanha de Eurides Moura, adversário de Lehmann. Segundo o advogado Vinicius Borba, na semana da eleição, os servidores municipais receberam o holerite com frases que elogiosas ao governo de Lemann. A determinação para colocar as frases nos holerites teria partido do secretário de Comunicação da prefeitura, Ney Volante que era subordinado a Johnny Lehmann. ”Nós ingressamos com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral por abuso de poder político e uso da máquina pública contra a coligação liderada pelo prefeito”, disse Borba. As testemunhas de acusação levaram cópias dos holerites para análise do juiz. Os advogados de defesa disseram que alguns servidores realmente receberam o holerite com as frases polêmicas mas que o prefeito havia determinado que eles fossem recolhidos e que a culpa seria exclusivamente do Secretário de Comunicação. Ney Volante foi um dos coordenadores da campanha de Lehmann.  Até terça-feira às 13h os promotores vão apresentar as alegações finais. Em uma semana deve sair a sentença.
COMENTÁRIO: Colocar a culpa no Assessor de Imprensa Ney Volante "não cola". Ora, é sabido que o prefeito responde por todos os atos criminosos e de improbidade de seus secretários, ainda mais sendo o  mesmo um dos coordenadores de sua campanha. Só tem um jeito do juiz não anular esta eleição: Se alguém provar que  os adversários de Johnny não ficaram em desvantagem  perante os eleitores.

.

CICLISMO DE ROLÂNDIA NA FOLHA DE LONDRINA



23/11/2012 - FOLHA DE LONDRINA

Ciclismo de Rolândia tem ano de ouro

Equipe feminina de Rolândia conquistou título nos Jojup´s
2012 tem sido um ano puxado para os jovens atletas que representam Rolândia no ciclismo. Eles disputaram cerca de 20 competições, entre provas nacionais, estaduais e regionais, segundo o treinador José Ricardo Moraes. E tanto esforço valeu a pena para a equipe formada há apenas dois anos. 

No último fim de semana, por exemplo, a equipe feminina foi campeã na classificação geral dos Jogos da Juventude do Paraná (Jojup´s), competição realizada em São José dos Pinhais. Ao todo, a equipe rolandense conquistou nove medalhas, chegando a 118 pontos, um a mais que o time de Maringá, conhecido por ser um dos mais fortes do estado. "Foi para fechar o ano com chave de ouro. As meninas disputaram ponto a ponto com as atletas de Maringá", avalia Moraes. 

As ciclistas citadas pelo técnico costumam se destacar na maioria das provas que a equipe de Rolândia disputa. Dessa vez não foi diferente e elas foram responsáveis pelos resultados mais importantes. Jenifer Kolben foi a campeã no contra-relógio e circuito da categoria "C" (até 14 anos). Em ambas as provas, ela chegou acompanhada da vice-campeã e colega de equipa Luana Caroline, que também foi campeã no cross country. Renata Lopes ficou em segundo lugar no contra-relógio e circuito da categoria "B" e Fernanda Romado em terceiro no contra-relógio e cross country da categoria "A". 

Mas essas medalhas não foram as únicas da equipe durante o ano, que de acordo com o treinador, esteve sempre entre os primeiros colocados nas provas regionais, mas também se destacou em outros eventos pelo estado e até mesmo em nível nacional. Jenifer foi campeã brasileira e paranaense na sua categoria e Renata pegou um bronze no brasileiro, ouro no paranaense e uma prata nos Jogos Escolares. Ela agora se prepara para o último desafio no qual a equipe estará sendo representada, as Olimpíadas Escolares, que começam domingo em Cuiabá (MT). 

Além do talento nato de algumas atletas, Moraes destaca que os resultado são fruto de um trabalho bem direcionado e, principalmente, da grande dedicação das ciclistas, as quais ele visualiza que podem "ter futuro" no esporte. "Como são atletas jovens têm essa perspectiva boa a longo prazo. Elas se dedicam muito e a tendência é continuar a evoluir e buscar competições mais importantes". 

Mas com um plantel de ciclistas tão talentoso, Moraes também se preocupa. A equipe não tem patrocínio, apenas apoios e outras equipes, que contam com investimentos mais altos já estão de olho nas atletas. "Elas já estão recebendo convites de equipes que têm mais estrutura e a nossa intenção é buscar patrocínio para manter e melhorar esse trabalho", finaliza Moraes. 

A equipe tem apoio da Prefeitura Municipal e da Ótica King, Metalúrgica Metalmax e Armarinhos Frazato.

João Fortes
Reportagem Local