segunda-feira, 16 de abril de 2012

ROLÂNDIA - REVITALIZAÇÃO DA AV. PRESIDENTE VARGAS

DESDE OS ANOS 80 OUÇO OS CANDIDATOS À PREFEITO PROMETENDO A REVITALIZAÇÃO DA AV. PRESIDENTE VARGAS...
SERÁ QUE ISSO VAI ACONTECER UM DIA?  Texto e foto de José Carlos Farina
 



ROLÂNDIA - PREFEITO OUVE A POPULAÇÃO DO BARTIRA


THOMAS MICHELETTI BEN-FARINA e JOSÉ CARLOS FARINA


VÍDEO PIONEIRO FALA SOBRE O HOSPITAL ALEMÃO

Operação da PM prende 184 pessoas na região de Londrina

BONDENEWS

Redação Bonde
A Polícia Militar divulgou nesta segunda-feira (16), o resultado da Operação Paraná Norte Seguro, que envolveu as cidades de Jataizinho, Londrina, Apucarana, Rolândia, Cornélio Procópio, Ivaiporã e Arapongas, todas pertencentes ao 2º Comando Regional de Polícia Militar. 

A grande novidade da Operação, foi a presença e atuação do helicóptero do Grupamento Aéreo (Graer), que até julho deve ter uma base em Londrina. 

Durante os 10 dias de Operação, foram realizadas 5 mil abordagens à pessoas, 1.500 à veículos, além da apreensão de 2 mil pedras de crack. Ao todo foram realizadas 184 prisões, além de 74 apreensões de menores. Dessas 184, 49 foram realizadas em Londrina, por policiais do 5º Batalhão e da 4ª Companhia Independente da Polícia Militar. 

A Operação ainda cumpriu 79 mandados de prisão, apreendeu 59 veículos irregulares e 44 armas na região. Só Londrina foi responsável por aproximadamente 33% do total de apreensão de veículos com 22 veículos retidos. 

QUEM AMA CUIDA


BOB DYLAN PASSEANDO A PÉ NO RIO

ESTADÃO.COM.BR
Cara de touca. Pouco antes das 16h, saída pela esquerda, já abastecido de uma refeição que custava metade do couvert do Fasano, tomando o rumo da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, para o táxi final antes do show. Ao menos no show ele dará as caras, e a torcida é para que essa noite promova novamente um encontro com a sua música mutante que inaugurou uma nova perspectiva para a arte contemporânea. "Aquele cara de touca e casaco ali parece o Dylan", ela diz, desencanadamente. Só o que me faltava, um sósia a essa hora, eu pensei. Mas aí o sujeito se virou para a avenida e o sangue gelou nas veias.

"A máquina! A máquina! A máquina! É ele! É ele MESMO!" Os segundos pareciam horas, a avenida parecia mais larga, e Dylan olhava para um lado e para o outro sem se decidir, parado na frente da banca de jornais da Rua Inhangá. "No direction home", como sempre. Se for para o outro lado, vai pegar mal correr atrás dele, pensei. Mas aí ele veio para o nosso lado, tranquilamente, como se fosse parte da paisagem, sem causar nenhuma curiosidade dos velhinhos e dos cães de estimação de Copacabana. Caminhando resoluto, com as mãos nos bolsos. Fez uma careta quando viu a máquina fotográfica, mas não parou, continuou andando na direção da lente, e passou por nós aceleradamente.



"Hey, Dylan!" Ele já ia sumindo na rua quando se voltou e respondeu com um grunhido: "You are a f... paparazzi!" Não, não, não, eu jurava, querendo acreditar em minhas próprias palavras. "Para quê a foto?", ele perguntou. "Para o Facebook, para a gente mesmo", menti. Eu me peguei mentindo para Bob Dylan, minha alma estava ficando atormentada, ele era o primeiro ídolo e será o último. "Por quê?", ele ainda perguntou. "Porque você é um dos importantes artistas do século 20", respondi.
E ele sorriu. Só aí ele relaxou. Pediu para a garota se aproximar, para que eu tirasse uma foto dele com ela. As mãos tremiam, o foco desapareceu, a rua desapareceu. Sorriu quando ela perguntou se estava se divertindo no Rio. "Eu adoro!" Não sabia mais como mantê-lo ali. "Você está com fome?", perguntei. Dylan acariciou a barriga com as mãos, fazendo o clássico gesto de bucho cheio. "Não mesmo." Eu apontei: "É que ali na rua de trás tem uma cantina italiana daquelas clássicas, sabe aquelas que parecem frequentadas pela máfia? Muito boa mesmo." Ele se interessou: "Para lá?" Sim, eu disse. "Ok", ele disse, sorrindo de novo, e mudou a direção para a rua de trás. Resolvemos deixá-lo em paz (mas aposto que ele viu a gente pulando e se abraçando no meio da rua como doidos).
Trinta e quatro graus na sombra, e Dylan de casaco, gorro de lã e bota de caubói. Achamos que ele se disfarçaria melhor se saísse de sunga branca e fones de iPod nos ouvidos. No táxi, as mãos ainda suavam, o coração destrambelhado, e eu olhava para o Rio e sorria como uma criança. Não acreditava nos próprios sentidos. Publicar isso tudo seria trair a confiança do velho Dylan? Acho que só se fosse por lucro, e não é o caso.
Ao deixar a gente no hotel, o taxista, que ficou só ouvindo a euforia, perguntou: "Quem vocês focaram?" Ao ouvir a resposta, ele demonstrou conhecimento do assunto. "Ah, o senhor Zimmerman! O narigudo! Aposto que o reconheceram pelo nariz, não?"

VÍDEO ROLÂNDIA - LIXO NA RUA FLORESTA

ROLÂNDIA - CALÇADAS NO MATO

Os vizinhos chamaram o Blog do Farina para registrar...
A prefeitura  antigamente tinha uma equipe para cuidar das calçadas...
Esta aí na Rua Vladimir Gatti tá no puro mato...
Os vizinhos já viram sair dali cobras, aranhas e lagartos...
Parece mais um pasto....


ROLÂNDIA - MUITAS CALÇADAS INTRANSITÁVEIS

É direito de todo  morador andar pelas calçadas...
Principalmente idosos, crianças e mães com carrinhos de bebê...
Esta ai fica na Rua Arthur Thomas...

ROLÂNDIA - COBERTURA DA QUADRA DA ESCOLA GERALDA CHAVES


FOTO DE CICLISTAS ATROPELADOS - IMPRESSIONANTE

FOTO DA INTERNET - NÃO FOI MENCIONADO O LOCAL....

ROLÂNDIA - JUIZ FEDERAL MANDA FAZER A CITAÇÃO DO PREFEITO

A seguir cópia da parte final da decisão do juiz:

"Em diligências realizadas inicialmente pelo Ministério Público Estadual da Comarca de Rolândia e, posteriormente, pelo Ministério Público Federal em Londrina, constatou-se, através de informações prestadas pelo próprio réu João Ernesto Johnny Lehmann (Evento 6, PROCADM4, p. 25), que a contratação da empresa PIXEL PUBLICIDADE E PROPAGANDA LTDA. para execução do objeto do convênio em tela não se deu mediante processo de inexigibilidade ou dispensa de licitação, mas sim, por aditivo contratual a procedimento licitatório ocorrido anteriormente, em 15/04/2009, qual seja, Tomada de Preços nº 002/2009, Contrato nº 035/2009.



Em outros termos, o contrato de prestação de serviços nº 035/2009, celebrado anteriormente (15/04/2009) entre os réus PIXEL PUBLICIDADE E PROPAGANDA LTDA. e a Prefeitura de Rolândia, teve seu objeto irregularmente ampliado através de aditivo firmado em 30/11/2009 para o fim de conferir à empresa PIXEL a prestação de serviços previstos como objeto do Convênio MTur/Município de Rolândia - PR/nº 706595/2009, em total afronta à regra geral de obrigatoriedade de licitação para a contratação de serviços pela Administração pública.



Portanto, há indícios suficientes da prática de atos de improbidade administrativa para justificar o prosseguimento do feito.



6. Ante o exposto, havendo indícios suficientes para justificar o prosseguimento do feito, recebo a petição inicial, nos termos dos §§ 8º e 9º do artigo 17 da Lei nº 8.429/92.



7. Citem-se e intimem-se os Réus, devendo especificar as provas que pretendam produzir, de forma fundamentada.

8. Com as contestações, manifeste-se o Ministério Público Federal, no prazo de 10 (dez) dias, devendo especificar as provas que pretenda produzir, fundamentadamente.



9. Não havendo recurso em relação ao item 1 desta decisão, proceda-se à exclusão do Município de Rolândia, como determinado no item 4 da decisão proferida no evento 41."



Londrina, 09 de abril de 2012.



                     Roberto Lima Santos
                    Juiz Federal Substituto

LONDRINA LEC CEDE EMPATE NO ÚLTIMO MINUTO

FOLHAWEB

O sonho de disputar a Série D do Brasileiro e a Copa do Brasil ficou distante para o Londrina. Jogando diante do Roma em Apucarana, o Tubarão vencia por 1 a 0 até os 47 minutos do segundo tempo, quando em uma cobrança de falta do goleiro Diego ainda do campo de defesa o time da casa empatou a partida. "A culpa foi minha", admitiu o goleiro Danilo na saída do gramado. 

Com os resultados da rodada, o Londrina fica a cinco pontos do Cianorte na briga pela vaga na Série D. Na próxima rodada, os times se enfrentam no estádio do Café. Caso o Londrina vença, ainda tem que torcer para que o Leão do Vale perca para o Arapongas na última rodada, além de vencer o Rio Branco em Paranaguá. 

"Não pode deixar um jogo desses. A gente tentou fazer de tudo, tivemos muitos contra-ataques para matar o jogo. Aí vem o castigo de novo. Fomos incompetentes de novo", afirmou o técnico Cláudio Tencatti após a partida. 

Questionado se o Londrina precisaria de uma 'missão impossível' para se classificar, o treinador resumiu: "temos que acreditar". 

ROLÂNDIA - PREFEITURA REALIZA VÁRIAS OBRAS NO DISTRITO DO BARTIRA


A Prefeitura de Rolândia por meio das Secretarias de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico, Serviços Públicos e Planejamento está realizando desde o início do ano, várias melhorias no Distrito de Nossa Senhora Aparecida (Bartira).
Uma reivindicação dos moradores era a retirada do abastecedouro de água. A obra está sendo concluída. Devido ao mau cheiro e o uso contínuo dos agricultores para a utilização no enchimento de tanques pulverizadores para a plantação, os moradores não terão mais problemas com lama e poeira no local.
A construção das primeiras 22 casas do Programa Minha Casa Minha Vida no Distrito já está em andamento. Após estas, um novo projeto vai construir mais 60 casas para a população.
As ruas também foram contempladas com mais de 160 toneladas de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) em 800 metros no centro do Bartira. Já estão concluídas as Ruas Tupi, Tupinambá e Tapajós. O Bartira também está sendo beneficiado com a operação “Tapa Buracos” no trecho da entrada do Distrito até o KM 10.
O Cemitério também não foi esquecido. As sepulturas receberam cruz padronizada, houve a reconstituição do muro que cerca o local e a aplicação de um gramado na linguagem campestre entre os túmulos.
O objetivo da administração é ainda realizar a colocação de bancos e também instalação de iluminação no cemitério, para melhorar a segurança dos moradores que moram próximos ao local.

VENDA DE ÁREAS PÚBLICAS - por PAULO FARINA

VIA FACEBOOK


  • Paulo Farina Que a administração venda ou permute, por exemplo, para construir o Novo Cemitério, os 30 alqueires doados à Corol ou outros terrenos comprados ou recebidos em dívida. Neste caso, NADA CONTRA! Contudo, Áreas Institucionais, Verdes e de Lazer são bens FORA do COMÉRCIO! Saudações à Todos(as)!


    Maria Luiza Muller Muller Farininha, voce é um cara preparado e sabe muito bem que o atual governo nunca cogitou em vender áreas institucionais. Tudo o que for feito sera de acordo com os moradores das associações de bairro e Câmara de Vereadores, e reais necessidades de investimento. Venha tomar café comigo, agora, já estamos falando a "mesma lingua".

    • há 7 horas · 

    • Paulo Farina 
      Olá Maria! Estou preocupado. Tenho um compromisso moral com a atual administração e tenho sido cobrado por este fato. É público que militei por Joni & Sabine nas últimas eleições. Entretanto, nos projetos de lei enviados à Câmara (publicados pelo Jornal Manchete Do Povo) constam, por exemplo, Áreas Verdes e Institucionais nos seguintes Bairros: Panamá; Araucária; Do Café; Dos Pioneiros; Nobre; Marabú; Hortências e outros. Contudo, também há lotes nestes mesmos Projetos sob os quais não há qualquer vedação legal no que tange a venda ou permuta. Sugiro, portanto, que se exclua dos Projetos os Bens de Uso Comum do Povo. Neste caso, faço questão de militar pela aprovação dos mesmos!!! Muito obrigado pela compreensão e pelo convite para o café! Sucesso e Abraços.


      • Rodrigo Stutz Nos projetos apresentados existem sim áreas verdes e institucionais a serem vendidas. ISSO É CONTRA LEI. Estas áreas são do povo e não ha motivo, "POR MAIS NOBRE QUE SEJA" que justifique a venda. QUE SE FAÇA A LEI!!!!

        • há 4 horas ·  ·  1

        • Aline França gente, isso não há nem que se discutir... apoiado Rodrigo Stutz... o Brasileiro em geral já está cansado de contribuir com impostos e não ver a contrapartida... ainda querem tomar o pouco que o povo tem por direito.

          José Carlos Farina Uma área institucional ou área para praça de um bairro só pode ser vendida se todos os moradores abdicarem do seu direito "por escrito" através de uma consulta popular onde os proprietários sejam advertidos das consequências que poderão surgir no futuro. Ex. O bairro ficar privado de praça, escola, posto de saúde, parquinho, academia da 3ª idade, etc. Bom... se eu fosse vereador agiria desta forma...