sexta-feira, 20 de abril de 2012

VÍDEO HOMENAGEM A DITINHO - ENTREVISTA

ROLÂNDIA - MAIS CALÇADAS DETONADAS DO JARDIM TEREZÓPOLIS

Mais reclamações, via telefone...
fomos conferir..
olhem as fotos....
TEXTO e FOTOS by  JOSÉ C. FARINA












RUA DR. FERREIRA BRAGA












RUA MACEDO PORTUGAL












RUA MACEDO PORTUGAL












RUA MARIO TOURINHO






    • Fabio Nogaroto Parabéns Farina.....


      já cobrei por requerimento, por indicação, usando a tribuna da Câmara....

      Passo vergonha todas as vezes que vou ao Imperial...A rua Corina Filgueiras em certos pontos nem tem mais asfalto!!!

LONDRINA - VEREADOR SOME E PREFEITO TEM TEMPO PRA RESPIRAR

BONDENEWS

Vereador some e votação de CP contra Barbosa é adiada
Eloir Valença (PHS) estava em Brasília, e partido recomendou que ele fosse favorável à abertura de comissão; decisão ficou para terça
Redação Bonde
Divulgação/CML
A sessão da Câmara Municipal de Londrina, que votaria na tarde desta quinta-feira (19) a abertura da Comissão Processante (CP) contra o prefeito Barbosa Neto (PDT) com base no relatório da CEI da Centronic, foi retirada de pauta por causa da ausência do vereador Eloir Valença (PHS). 

A oposição tem 12 votos e contava com o apoio de Valença para aprovar a CP, já que o PHS é favorável a abertura da Comissão. No entanto, o vereador não compareceu a sessão e a ausência favorece o prefeito Barbosa Neto, que se aproximou de Valença no último mês. Recentemente, o vereador começou a elogiar a administração do PDT em Londrina e a comparecer aos eventos e inaugurações da prefeitura. 

Sem Valença no plenário, o vereador Joel Garcia (PP) pediu a suspensão dos trabalhos por 30 minutos para discutir a possibilidade de obstrução. Assim, a sessão seria suspensa e a votação ocorreria em outro dia. 

No entanto, a oposição enviou a Mesa um requerimento para retirada de pauta por uma sessão, que foi aprovado por volta das 16h10 com 12 votos favoráveis. O projeto volta ao plenário na terça-feira (24) e Eloir Valença, segundo os vereadores, terá uma nova oportunidade para manifestar a posição dele. 



Na galeria da Câmara, populares protestam contra os vereadores que votariam contra a Comissão com base na CEI da Centronic. Além disso, cartazes perguntam: "Cadê o Eloir?". Mas, o prefeito Barbosa Neto conta com o apoio da outra metade da galeria com a presença de eleitores que apoiam a administração do pedetista. 

ROLÂNDIA - TENTATIVA DE FUGA DA CADEIA


Detentos da cadeia de Rolândia tiveram uma tentativa de fuga frustrada pela polícia nesta quinta feira (19). O serviço reservado P2 do 15º BPM recebeu uma denúncia  dizendo que os detentos iriam fugir durante o inicio da noite da delegacia. Com a informação, foi pedido apoio da Rotam e policiais civis que fizeram buscas no interior da prisão e encontraram um buraco de 50 cm x 50 Cm no (X6) onde estavam 12 presos. Todos os encarcerados foram transferidos para outras celas e o buraco será fechado na manhã desta sexta feira. Durante as buscas também, foram localizados  barras de ferro, brocas e serras. Os materiais foram todos apreendidos.
Texto e foto de  Eliandro Piva.

RELATO DE PIONEIRO - AGRADECIMENTO


há ± 1 hora

  • Muito obrigada pela entrevista e pelo seu blog . Com muito orgulho assisti minha tia falar do seu amor pela nossa querida Rolândia! Pessoas que aqui chegaram e ajudaram a construir nossa cidade. Tia Antonia com seus 86 anos tão lúcida e querida. Obrigada por resgatar estas lembranças. 

O HOMEM MAIS CORAJOSO DE ROLÂNDIA

SEBASTIÃO ULIAN
De saudosa mémoria era um homem muito honesto, trabalhador e bom chefe de família. Tive o prazer de ser seu amigo e captar dele algumas "estórias". Antes que alguém fale que as "estórias" são mentirosas digo de antemão que todas foram confirmadas por familiares e pessoas que conviveram com ele. 
Sebastião foi pioneiro em Rolândia-Pr. tendo chegado na década de 30. Em um determinado dia um dos seus vizinhos de lote (próximo da 1ª ponte do Caramurú) estava andando próximo ao rio e ouviu um barulho de alguém cortando lenha... Pan... pan.. pan... Procurou... procurou... e nada... até que olhou para cima. Lá estava o seu Sebastião em pé em cima de um dos galhos de uma enorme peroba usando o machado. O  vizinho com medo que ele caísse ficou quietinho olhando escondido, quase sem respirar. E assim viu que o seu Sebastião estava tirando um ninho de papagaio para pegar os filhotes. O medo era porque o seu Sebastião estava em pé do lado em que o galho iria cair. Mas deu tudo certo e ele pegou os filhotes de papagaio e desceu sem nenhum problema.
Em 1968 o prefeito Primo Lepri ordenou uma reforma total na praça Castelo Branco mandando destruir um lindo coreto que tínhamos lá em forma de tartaruga e no lugar foi instalado dois super postes  com lâmpadas enormes vindas da Alemanha. Estas duas lâmpadas sozinhas iluminavam toda a praça e até um raio de mais ou menos 500 metros do entorno. Para a instalação deste equipamento foi erguido enormes andaimes de  madeira com cerca de 30 metros de altura. Em um determinado dia os operários se descuidaram e adivinhem quem subiu até o fim do andaime e ficou em pé na última viga e acenou com o chapéu para cumprimentar o grande público presente? O engenheiro alemão quando viu o seu Sebastião em pé lá em cima ficou louco de raiva e já pensou que era um doido querendo se suicidar. Mas foi tudo bem e quando ele desceu foi cumprimentado como herói pelo público. A mesma façanha o seu Sebastião repetiu quando estavam instalando o telhado da igreja matriz. Ele me contou que lá também ficou em pé na última viga, e andando para lá e para cá cumprimentou o público abanando o chapéu.
O mesmo vizinho que me contou a estória dos papagaios  contou que no sítio do seu Sebastião tinha um touro que vivia dando "carrerão" nas pessoas. Um dia este touro correu atrás do seu Sebastião.... pra que?... se fosse outro teria corrido, mas o seu sebastião resolveu pegá-lo "a unha". Seu Sebastião agarrou-o pelos chifres e foi arrastado por muitos metros. Lutou... lutou.. até que o derrubou por um barranco ao lado do rio. E assim forma parar lá no riacho o seu Sebastião e o touro bravo. Diz a lenda que daquele dia em diante o touro só "bufava" e cavucava a terra com as patas quando ele passava, mas nunca mais deu "carreirão".  O touro marcou bem a fisionomia do seu Sebastião. Depois ficaram bons amigos.
Um dia o Sr. Nahin Adas, de saudosa memória, sem querer deixou cair os documentos em uma fossa em uso e contratou o seu Sebastião para o resgate. Chegando lá ele já foi descendo para o fundo da fossa sem usar cordas ou escadas. Ele era tão forte que conseguia descer pelo barranco usando as mãos e pernas. Desceu e subiu em poucos minutos trazendo de lá os documentos. Um pouco sujos mas trouxe. O Sr. Nahin quase desmaiou com medo que ele se afogasse. Ele não tinha nojo de nada. Uma pessoa o contratou para desentupir um esgoto. Chegando ao local foi logo enfiando a mão no tubo e tirando de lá sujeira de banheiro. O dono do serviço correu e lhe deu uma luva. Ele recusou e disse: - "eu não tenho nojo de nada... isso aqui (olhando para o cocô) é a nossa natureza... um dia todos vamos virar comida pra verme."
O Sr. Sebastião criava abelhas. Um dos seus vizinhos ( aqui próximo a saída para a represa do Ingá) reclamou contra ele na prefeitura e assim o fiscal passou lá para notificá-lo. Quando o fiscal chegou se apresentou como fiscal municipal. O seu Sebastião falou assim: - "Ah é... o senhor é fiscar municipar?... pois eu sou fiscar federar... Ponha-se daqui para fora porque as minhas abelhinhas não fazem mal pra ninguém"... E o vizinho ainda teve que ouvir umas boas.
Um dia estávamos conversando na varanda da minha casa e apareceu uma aranha de porte grande. Peguei o chinelo para matá-la mas seu Sebastião me impediu. Foi até a aranha, pegou-a com a mão e levando para perto do seu rosto começou a conversar com ela: - "Olha o Farina é meu amigo e tem medo de você então eu te peço que vai embora e não faça mal pra ele." Depois soltou a aranha na grama do jardim e ela se foi.
O seu Sebastião demandou na justiça contra um parente. Problemas com partilha de herança. Quando saiu a sentença favorável a ele, comprou uma caixa de foguetes, e andando de bicicleta em volta do Fórum, soltou um por um sem falar para ninguém os motivos de tal ato. Todos pensavam que se tratava de um maluco.
JOSÉ CARLOS FARINA
COMENTÁRIO

Gostaria de lhe agradecer pois você consegui descrever muito bem o “Seu Bastião” . Ele foi meu tio e era sem duvida a pessoa mais destemida que eu conheci. Uns o achavam maluco outros o julgavam um herói. Na época eu criança confesso que o achava muito engraçado. Nos velórios da família, durante a noite, ele conseguia fazer todo mundo rir com os seus “causos”. Obrigada Farina por me trazer a memória esta pessoa especial que um dia fez parte das nossas vidas. Obrigada também por entrevistar minha tia Antonia que apesar da idade tem uma lucidez impressionante.
RESPOSTA:
Fico feliz  que tenha gostado. Ele foi meu amigo e posso dizer também que sinto saudade dele. Ele era uma pessoa especial. Faz falta sim, como toda a pessoa de bom coração e boa índole. Deus te abençoe.
JOSÉ CARLOS FARINA