quarta-feira, 9 de maio de 2012

VÍDEOS SOBRE A HISTÓRIA DO CHUMBO EM ROLÂNDIA

DEROSSO de Curitiba ataca repórter do 'CQC'

BONDENEWS

Redação Bonde
Reprodução/Maurício Meirelles
O vereador de Curitiba João Cláudio Derosso (sem partido) não reagiu bem aos questionamentos feitos pelo humorista Maurício Meirelles, do ''CQC'', na manhã desta terça-feira (8). A informação é da jornalista Joice Hasselmann. 

Não escondendo a sua insatisfação ao ser interpelado, o ex-presidente da Câmara Municipal acabou atacando o repórter. Sem que Meirelles pudesse reagir, Derosso arrancou o microfone de suas mãos e o jogou por uma janela do quarto andar do prédio, onde estavam. 

O enviado do humorístico da Band não conseguiu concluir sua pergunta, que tratava do escândalo envolvendo o político. Derosso teria favorecido empresas de familiares em uma licitação. Ele pediu desligamento do PSDB na última segunda-feira (7).

BLOG DO FARINA RECEBE MAIS ELOGIOS - FABRÍCIO


E-MAIL RECEBIDO

Dr. Farina, como vai ?

Pode colocar no seu blog que esse secretário (Que nem imagino quem seja) que muitas pessoas querem que você passe mais tempo cuidando do Blog, e que infelizmente devido a essa administração HORRÍVEL que Rolândia possui hoje, você tem que passar mais tempo nos informando de notícias ruins aos invés de boas.

Gostaria de ler boas notícias no Blog do Farina, mas pelo jeito por mais um tempo vou ter que ler de indústria poluidora, venda de terrenos públicos, etc.........

As eleições estão ai...

Abs

Fabricio Grzelak

RESPOSTA:

Fabrício: Recebo com carinho e posto o mesmo no Blog porque sinto que o elogio brotou do fundo do seu coração. Muito obrigado amigo. Você é muito gentil. Pode contar comigo ( e toda a população). Conforme vc escreveu, gostaria de publicar mais conquistas do que críticas. Deus te abençoe meu amigo. JOSÉ CARLOS FARINA

CHUMBO EM ROLÂNDIA? DE NOVO?

POR DANIEL STEIDLE


Ontem fui lembrar o que o meu avô dizia sobre “ser amigo”: “amigo é aquele que está junto nos momentos bons e ruins”. Estou num momento muito ruim, querendo desistir de lutar “contra os moinhos de vento”, de ser visto como um “D. Quixote das causas perdidas”.
A causa ambiental, aprendi pela dedicação de muitos anos, é antes de tudo uma luta pelos direitos das pessoas. O direito a ser diferente, de poder ter e dar opinião, sem sofrer represália.
Vejo tantos ficando desanimados de lutar. Agora entendo melhor o porquê. Senti bem isso ontem. Medo. Na época em que protestávamos contra o lixão também senti o medo. Apareceram pessoas da prefeitura para intimidar os manifestantes: “cuidado, sua filha é professora na rede municipal”. O movimento na época foi se esvaziando, o lixão foi instalado. Mas ficou a lição: lutar não é ser vencedor ou derrotado. Lutar é ter um sentido maior na vida, de estar em paz com sua consciência.
A paz mais uma vez está sendo perturbada em Rolândia. Há mais ou menos um ano moradores rurais do município, já sofredores da poluição de indústrias próximas, pediram-me socorro. Da mesma forma como me solidarizei com moradores de Londrina preocupados pela mudança do lixão deles, participei nas discussões sobre a vinda a Rolândia de uma indústria de baterias. Afinal, não importa se o problema é no meu quintal ou no quintal do outro. O ambiente não conhece limite e é de todos! Vi logo que o principal problema não era se uma indústria de baterias é ou não perigosa. O problema maior foi o sigilo e as ameaças. De o prefeito ridicularizar e desqualificar pessoas publicamente, de colocar uma discussão comunitária como se fosse uma rixa pessoal. Repetidas vezes o prefeito, olhando em minha direção, mencionava: “alguém, por ter publicado sua opinião num jornal, foi o culpado de Rolândia não ter ganhado o lucrativo negócio de uma central regional de tratamento de lixo”. Por sorte o amadurecimento maior da população fez mais vozes dissonantes se manifestarem. Os meios de comunicação independentes conseguiram levantar um debate maior. “O negócio da indústria de baterias” adormeceu.
Agora o negócio ressurge com força total em outro lugar no município. Será que as eleições a vista são a razão? Essa vez a nova localidade não é tão “longe” do meu quintal. Será represália por ter “incomodado” os negócios da prefeitura? Um castigo para servir de exemplo? Até parece - um funcionário de alto escalão da prefeitura lamentou da indústria de baterias não querer se instalar ainda mais perto de minha moradia. O clima de “briga pessoal” cresce.
O prefeito teria prometido muitos empregos novos num distrito próximo com a chegada de uma nova empresa, mas que a finalidade do negócio precisava ser mantida em segredo. Os vizinhos mais próximos da área já comprada pela indústria de baterias foram neutralizados com a garantia que nada tinham a se preocupar.
Desde domingo, dia 6, dia em que fiquei sabendo da história procuro sensibilizar a comunidade rolandense a se inteirar.  Muito mais do que a vinda de uma “indústria de baterias” potencialmente poluidora são preocupantes as manobras sigilosas e o clima de medo. Estou ficando exausto e desiludido.
Mas estou feliz por ver que também existem amigos, minha família e inúmeras pessoas que corajosamente assumem a luta pelos direitos humanos.
Amigos, ouvi de um bombeiro: “Na hora de agir frente a um acidente não existe mais um líder, cada um é totalmente responsável pela solução do problema.” Este princípio cria uma equipe capaz de salvar vidas.
Na nossa situação de Rolândia, é urgente reconhecermos que na questão do “negócio de baterias” não se trata de briga pessoal, estrelismos, autopromoção, nem política. Trata-se do respeito que cada um de nós merece! Trata-se do nosso Município, do nosso lar, da amizade, que independente de nossas diferenças, pode nos unir.
Daniel Steidle, 08-05-12

“...independente de nossas diferenças, podemos nos unir”

3ª feira, dia 15 de maio, às 18:30 h., no Sindicato Rural de Rolândia, poderá ser um momento especial para pedir o respeito que cada um merece.
Estará em pauta na reunião do Conselho de Defesa do Meio Ambiente a questão da “indústria de baterias” que quer instalar-se em Rolândia.

VÍDEO REUNIÃO CONTRA O CHUMBO NO KM 10



SUCURI GIGANTE EM BONITO - MS.


INDÚSTRIA DE CHUMBO - AMBIENTALISTAS E MORADORES PEDEM PROVIDÊNCIAS

Atendendo deliberação da reunião havida no km. 10, a comissão abaixo deu entrada junto a Promotoria de Justiça com o presente pedido:



EXMO. SRa. DRa. PROMOTORA DE JUSTIÇA RESPONSÁVEL PELA PROMOTORIA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE DA COMARCA DE ROLÂNDIA-PR.

  

                              ALBERTO JACOB HEINEMANN, brasileiro, casado, agricultor, portador do RG. Nº 391785-Pr., residente e domiciliado em Rolândia-Pr. à  Fazenda Santa Isabela,  MATIAS JOSÉ KNOOR, brasileiro, casado, agricultor, portador do RG. Nº 5691950-3-Pr, residente e domiciliado em Rolândia-Pr. à Sítio Coqueiro, estrada da águia,  PÂMELA LONARDONI MICHELETTI, brasileira, casada, bióloga, portador do RG. Nº 9246216-1-Pr., residente e domiciliado em Rolândia-Pr. À Rua Amazonas, 477, MARIA DOROTEIA CONSANI, brasileira, casada, professora, portadora do RG. Nº 3518225-0-Pr., residente e domiciliado em Rolândia-Pr. à PR-170,. à (Fazenda Bimini), ADRIAN SAEGESSER, brasileiro, solteiro, agricultor, portador do RG. Nº 4212679-9-Pr., residente e domiciliado em Rolândia-Pr à Chácara Marabú, estrada do Ingá,  JOSÉ CARLOS FARINA, brasileiro, casado, advogado, portador do RG. Nº 1278476-Pr., residente e domiciliado em Rolândia-Pr à Rua Arthur Thomas, 2320, infra-assinados, vem respeitosamente à presença de V. Exa.,  apresentar a presente RECLAMAÇÃO COM PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS URGENTESpassando a expor e requerer o que se segue:

                              1) -  Os requerentes tomaram conhecimento pela internet que a Prefeitura Municipal de Rolândia está instalando uma Indústria de Baterias no km. 7 da rodovia PR-170, ao lado de uma nascente;

                              2)- Os requerentes participaram de reuniões comunitárias quando a prefeitura pretendia instalar esta mesma empresa na Gleba Bandeirantes próximo a captação da Sanepar e próximo ao maior criador de peixes alevinos do Brasil, quando descobriram que esta empresa está tentando ser instalar  em muitas cidades do Brasil, mas ninguém a quis em face do grande potencial poluidor;

                              3)- Para a surpresa dos requerentes a prefeitura desistiu da instalação na Gleba Bandeirantes mas agora está dando apoio para a instalação no km. 7 ao lado de uma nascente e em frente o Aterro sanitário.

                              4)- Os Requerentes ( e todos os que participaram da reunião – vide Blog do Farina – link: (http://blogdojosecarlosfarina.blogspot.com.br) são contra esta empresa ( ou qualquer outra que produza chumbo) pelo fato constatado por especialistas que afirmam e comprovam ser este metal perigosíssimo ao meio ambiente e a saúde humana. O chumbo causa deformidade em fetos, e adoece o fígado humano sem que haja reversão da doença, mesmo com tratamento.

                              5)- Uma vez lançado o chumbo na atmosfera, solos ou rios , via fumaça ou partículas que desprendem nas operações de limpeza ou transporte, permanecem “ad eternum” prejudicando todos os seres vivos das imediações, e num raio de abrangência que ainda não se sabe ao certo até onde pode ir.

                              6)- Os representantes da prefeitura presentes na reunião de moradores de ontem ( 08/05/2012) no km. 10, não souberam ou não estavam autorizados a falarem sobre o assunto.

                              7)- Dá a impressão que a prefeitura está escondendo os projetos e os nomes dos interessados desta empresa.

                              8)- A verdade é que 100% dos moradores não querem esta empresa ao lado de uma importante nascente, e ao lado de centenas de famílias de agricultores e comerciantes, que sempre primaram pela proteção de suas nascentes, solos e atmosfera.

                              9)- É direito dos proprietários ribeirinhos (atuais e futuras gerações), utilizarem-se livremente da água da citada nascente, livre de todo e qualquer tipo de contaminação e poluição;

                              10)- Nenhuma indústria de chumbo ( ou similar ) pode se instalar em uma região agrícola sem autorização de TODOS os moradores num raio de 10 quilômetros;

                    Em vista do exposto,  requer a notificação do Exmo. Sr. Prefeito Municipal, do IAP (Instituto Ambiental do Paraná) e COMDEMA ( Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente) para que informem a existência ou não de projeto de instalação de indústria de Baterias ou chumbo no Município de Rolândia.

                    Termos em que,

                     PEDE DEFERIMENTO.

                    Rolândia, 09 de maio de 2012

INDÚSTRIA DE CHUMBO - PREFEITURA INFORMA


A Prefeitura esclarece que ainda não foi informada oficialmente sobre a instalação de indústria desta natureza na cidade. O que se sabe, por enquanto, é que um empresário comprou uma área particular para instalação de uma nova empresa na expansão do Parque Industrial de Rolândia até o Distrito de São Martinho. A administração deixa claro que a partir do momento da entrada do projeto  oficial na Prefeitura para a abertura de indústria ou empresa, a Prefeitura irá analisar a documentação, assim com em todos os casos desta natureza. Na sequencia, a Prefeitura irá analisar se concede ou não a autorização para o funcionamento da mesma, levando-se em consideração as leis, regras e principalmente, se a nova empresa ou indústria em questão não irá causar danos ou prejuízos aos rolandenses e ao Meio Ambiente.
COMENTÁRIO:
Como que o empresário iria pagar R$ 200 mil o alqueire sem ter a certeza da aprovação dos projetos?
Com este  COMDEMA composto de 80% de funcionários indicados pelo prefeito....
Estamos atentos....
Ambientalistas e agricultores prometem resistir e convocar até a polícia montada  se for preciso...

NOVO ELOGIO AO BLOG

Recebi um telefonema de uma leitora do blog, a Sra. Clarice  Mazzer. Ela disse-me que admira o nosso trabalho, lê diariamente as notícias que publicamos e tem feito propaganda para os seus parentes moradores de Santa Catarina e Itália. Falou também que gosta das fotos e dos vídeos da cidade que passou a amar. Aconselhou-me a não se importar com os invejosos. Eles sempre vão existir. 
RESPOSTA:
Muito obrigado Senhora Clarice. As suas palavras, principalmente aquelas que lembraram da minha família, mãe, pai e esposa me deixaram muito feliz. Deus abençoe a senhora e toda a sua família. Podem continuar contando comigo e com o Blog do Farina. JOSÉ CARLOS FARINA