quarta-feira, 16 de maio de 2012

MÃE - AINDA NÃO SE DISSE TUDO SOBRE ELA



DE CARBONO E DE FERRO SÃO FEITAS AS MÃES. 

       (crônica de Ana Zélia da Silva)
 

Mãe não entende 

se você não come tudo que está no prato. 
  Mãe não aceita desculpas do tipo 
"Se os outros podem, por que eu não posso?" 
Mãe responde: "Os outros não são meus filhos". 
  Mãe adora ouvir o barulho da fechadura 
quando o filho chega (não é mesmo, Yvanna,  Zé Carlos, Tati, Christine , Liara, Valquiria, Ciça, Vania, Valéria B, Roseli,  Regina, Terezinha, Tina, Sandra,  Christine,...?). 
  Mãe tem cheiro de banho, tem cheiro de bolo, 
tem cheiro de casa limpa.
....
Mãe fica assustada 

quando vê o caso daquela modelo 
que morreu de anorexia: " 
Eu já falei pra você comer tudo!". 
 .... Mãe fica assustada quando lê notícia de assalto. 
Mãe fica assustada quando lê notícia de acidente. 
Mãe fica assustada quando lê notícia de briga. 
Mãe fica assustada quando lê notícia. 
Mãe fica assustada. 
Mãe não está nem aí 
para os que os outros pensam. 
  Mãe foge com o filho para o Egito, 
montada em burrico. 
  Mãe tem sonho. 
Mãe tem pressentimento. 
Mãe tem sexto sentido - e sétimo, oitavo, nono. 
Mãe não faz sentido (para quem não é mãe).
......

Mãe chora ao pé da cruz. 

Mãe chora em rebelião.  Mãe chora se o filho é messias ou bandido. 
  Mãe acredita. 
Mãe não pode ser testemunha no tribunal. 
Mãe é café com leite. 
Café com leite, pão com manteiga, 
biscoito, bolacha de água e sal,  banana cozida. 
E ainda faz você levar um pedaço de bolo pra casa. 
Mãe só tem uma
, mas é tudo igual.
    Mãe espera o telefone tocar. 
Mãe espera a campainha tocar. 
Mãe espera o resultado do vestibular. 
Mãe espera o carteiro. 
Mãe moderna espera e-mail. 
Mãe espera.  Mãe sempre espera.
......
Mãe ama. 
Assim, verbo intransitivo, 
como queria Mário de Andrade. 
Porque, se é mãe, já se sabe o que ela ama. 
  A culpa é da mãe, dizem os freudianos superficiais. 
Os verdadeiros freudianos sabem que, 
sem mãe, nada feito. 
Uma amiga costuma dizer:  "Pai é palhaço, mãe é de aço!". 
A frase é interessante,  porque o aço é uma liga de ferro e carbono. 
Ferro é o símbolo da força; 
carbono  é o elemento 
presente em todos os organismos vivos. 
  A mãe constitui a liga entre a fragilidade 
e a força do indivíduo.  Não há algo mais vulnerável 
e mais sólido que a maternidade. 
Mãe é de aço. 
............. 
 
A esta altura você deve estar perguntando: 
"Mas por que esse cara está falando tanto de mãe? 
A verdade é que eu não sei. 
Talvez seja  porque 
a palavra mãe não tenha equivalente. 
  Já notaram?
Mãe só rima com mãe.

ROLÂNDIA - TERRA DA FARTURA - POMARES URBANOS - By FARINA

RECICLAGEM COM GARRAFAS PET VIRA BARCO


NACIONAL NAC DE ROLÂNDIA x PARANÁ - HOJE À NOITE


bemparana.com.br
Nilson: escalado no Paraná Clube diante do Nacional (foto: Valquir Aureliano)
O Paraná Clube disputa hoje sua 6ª partida na 2ª divisão do Campeonato Paranaense. Às 20h10, no Estádio Erich George, em Rolândia, enfrenta o Nacional, pela 5ª rodada da competição. O time comandado pelo técnico Ricardinho terá pela frente um velho conhecido, o volante Goiano, de 31 anos, que foi revelado nas categorias de base do Paraná Clube e ficou na Vila Capanema de 1998 a 2009.

Goiano é um dos quatro jogadores que estavam no Rio Branco, de Paranaguá, na 1ª divisão estadual de 2012 e seguiram para o Nacional para a disputa da 2ª divisão. Os outros são o volante Duda, o lateral-direito Baiano e o zagueiro Rodrigo. O time de Rolândia também conta com o centroavante Clênio, 33 anos, que esteve no Paraná em 2008 e 2009. Foram 17 jogos e um gol no Tricolor da Vila Capanema.

Para o confronto de hoje, a tendência é que o técnico Ricardinho escale os titulares. Na segunda-feira, contra o Grêmio Metropolitano, em Maringá, ele utilizou reservas. 

Com cinco vitórias em cinco jogos, o Paraná lidera isolado, com 15 pontos, seguido pelo Cincão, de Londrina, que tem oito pontos em quatro partidas. Se vencer hoje, o Tricolor fica muito próximo do título do 1º turno. Até o final do turno, ainda terá mais três partidas em casa.

Os campeões dos dois turnos e mais duas equipes definidas pela classificação geral disputam as semifinais. Essa segunda fase não ocorrerá se uma mesma equipe conquistar os dois turnos.

Em Rolândia
Nacional: Ednaldo; Baiano, Rodrigo, Carlão e Renan Silva (Alisson); Goiano, Doriva, Victor Hugo e Joelson; Clênio e Willian (Vinícius). Técnico: Claudemir Sturion
Paraná: Luís Carlos; Paulo Henrique, André Vinícius, Alex Alves e Igor; Lucas, Douglas Packer, Luisinho e Welington; Nilson e Douglas. Técnico: Ricardinho
Árbitro: Osvaldo Massafera Junior
Local: Estádio Erich George, em Rolândia, hoje às 20h10

CORINTHIANS x VASCO - BRASIL PÁRA HOJE À NOITE

FOLHAWEB

Vasco e Corinthians se reencontram

Após disputarem título brasileiro, rivais iniciam hoje luta por vaga na semifinal da Copa Libertadores
AFP Photo/Nelson Almeida
Alessandro é uma das novidades do time paulista para confronto em São Januário
São Paulo - As quartas de final da Copa Libertadores marcaram o reencontro entre dois times que, no ano passado, protagonizaram disputa palmo a palmo pelo título brasileiro. Corinthians e Vasco, campeão e vice do Nacional em 2011, abrem nesta quarta-feira, às 21h50, o confronto que vale vaga na semifinal do principal torneio de clubes do continente. 

Mas, se quis o destino que corintianos e vascaínos se reencontrassem no mata-mata de um torneio ainda mais cobiçado que o Campeonato Brasileiro, a situação de ambas as equipes já não é a mesma de cinco meses atrás, quando o Corinthians levou a melhor nos pontos corridos e ficou com o penta nacional.

ROLÂNDIA NA FOLHA SOBRE O CHUMBO

FOLHA DE LONDRINA

15/05/2012 

Rolandenses lutam contra instalação de indústria de baterias

Empreendimento pode ser instalado na PR-170, próximo a propriedades rurais; Prefeitura não confirma informação
Olga Leiria
Os agricultores Zaira e João Barreto estão preocupados: ''Já temos o lixão. Essa fábrica vai ser mais uma dor de cabeça''
Rolândia - A possibilidade de instalação de uma indústria de baterias em Rolândia é causa de preocupação para moradores das áreas urbana e rural. Na tentativa de impedir que a fábrica opere naquela cidade, um grupo de rolandenses está se mobilizando para conscientizar a população sobre os riscos de contaminação por chumbo. 

Os agricultores Zaira e João Barreto são vizinhos da propriedade onde poderá funcionar a indústria e se mostram bastante insatisfeitos com a possibilidade. ''Moramos aqui há 37 anos e não queremos que essa fábrica venha para cá. Ficamos receosos porque o chumbo é muito perigoso'', justificaram. O terreno que fica ao lado da propriedade do casal, na PR-170, faz divisa com uma nascente que deságua nos ribeirões Caiobi e Águia, cujas águas são usadas por vários moradores daquela região. ''Temos medo de poluir o solo e a mina'', desabafaram. ''Já temos o lixão aqui em frente e é um transtorno; essa fábrica vai ser mais uma dor de cabeça.'' 

Além de participar do grupo que está se mobilizando para tentar barrar a instalação da indústria, Zaira e João estão colhendo assinaturas de moradores das zonas rural e urbana para apresentar à Prefeitura. ''Estamos tentando impedir de todas as maneiras, mas se não for possível, teremos de sair daqui. Dizem que vai ser apenas um centro de distribuição, mas quem garante que depois não vão manipular chumbo?'', questionou o casal, que no final do ano passado foi procurado para vender parte do sítio para o novo proprietário do terreno vizinho, de cinco alqueires. 

Para o educador ambiental Daniel Steidle, que também tem propriedade naquela região, o problema não está apenas na localização da indústria, mas também no ramo de atividade do empreendimento. ''Tem que ser em um local onde existe fiscalização e um polo industrial adequados. O perfil de Rolândia é outro. Não tem como abrigar uma fábrica dessas'', defendeu. 

De acordo com Steidle, os funcionários que já estão trabalhando no terreno disseram aos vizinhos que se trata de uma indústria de baterias. Ele acrescentou que a informação foi confirmada por uma imobiliária da cidade. ''Outros municípios pequenos bateram o pé e não aceitaram a instalação. Nós vamos fazer o mesmo e conscientizar a população sobre os riscos que estamos correndo.'' 

Segundo a professora Neusa de Almeida Heinemann, que também integra o movimento, a luta para impedir a instalação da indústria começou há cerca de um ano, quando alguns rolandenses foram informados que a fábrica seria instalada próxima ao curtume da cidade. ''Mas isso não aconteceu e agora voltaram a comentar o assunto. Tenho informações de que é uma fábrica de Londrina que está querendo vir para cá. Como temos um pouco de conhecimento sobre os efeitos do chumbo, vamos conscientizar a população e deixar claro que não queremos o empreendimento em lugar nenhum'', comentou. 

Prefeitura 

Em nota, a Prefeitura de Rolândia esclareceu que ainda não foi informada oficialmente sobre a possível instalação de indústria dessa natureza na cidade. ''O que se sabe, por enquanto, extraoficialmente, é que um empresário comprou uma área particular para instalação de uma nova empresa na expansão do Parque Industrial de Rolândia até o Distrito de São Martinho'', informou, por meio de nota, a administração municipal.

Aline Vilalva 
Reportagem Local