quinta-feira, 25 de abril de 2013

VENDA DE SENTENÇAS NO PARANÁ ? SERÁ ?


Conselho Nacional de Justiça investiga suspeita de venda de sentenças no TJ do Paraná

CNJ apura denúncia de que dois desembargadores do Paraná teriam dado sentenças favoráveis em um processo mediante o pagamento de R$ 200 mil
Publicado em 25/04/2013 | DIEGO RIBEIRO, SANDRO MOSER E EUCLIDES LUCAS GARCIA
GAZETA DO POVO
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) investiga denúncia de tráfico de influência e venda de sentenças envolvendo dois desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). O pedido de investigação foi protocolado no conselho em 2011, ainda durante a gestão da ministra Eliana Calmon, e tramita no órgão desde então.

A denúncia partiu de uma advogada que representava uma das partes em uma disputa pela guarda dos filhos. Segundo a representação no processo do CNJ, o atual presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo, e o desembargador Rafael Augusto Cassetari – aposentado no início do ano – teriam dado sentenças favoráveis a uma das partes mediante pagamento em dinheiro.
Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo
Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo / Clayton Camargo, presidente do Tribunal de Justiça do ParanáAmpliar imagem
Clayton Camargo, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná
  • Saiba mais
Na época das supostas decisões, ambos faziam parte da 12.ª Câmara Cível do TJ. De acordo com a denunciante, os magistrados teriam recebido R$ 200 mil para beneficiar uma das partes – dinheiro que teria sido entregue em quatro pacotes de R$ 50 mil.
O processo corre em sigilo no CNJ e tem a relatoria do atual corregedor nacional de Justiça, Francisco Falcão – que chega hoje a Curitiba. Clayton e Cassetari já apresentaram defesa no processo negando a autoria do fato (veja mais ao lado). O mesmo caso também já foi objeto de um inquérito no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e de uma investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
Correição
O Tribunal de Justiça do Paraná está sendo submetido nesta semana a uma correição do CNJ. Ontem, o juiz auxiliar da corregedoria-geral do CNJ Ricardo Chimenti não confirmou se a investigação da denúncia contra os desembargadores é um dos focos da correição, mas também não negou. “Eu não tenho essa informação. Pode ser que outra pessoa tenha”, disse. De acordo com Chimenti, o objetivo da correição é investigar indícios de descumprimento de determinações feitas pela Corregedoria Nacional após inspeções realizadas em 2009 e 2011.
Segundo ele, há uma equipe de 14 pessoas vistoriando o TJ. “Temos um grupo na área de contratos, outro na área administrativa, outro cobrindo a área jurisdicional, outro com o andamento de reclamações disciplinares contra magistrados e outro com a parte de precatórios”, detalhou.
A baixa produtividade do TJ é um dos pontos que serão analisados pelo CNJ. Segundo o órgão, a média de processos julgados por desembargador no tribunal paranaense corresponde à metade da média nacional de tribunais de outros estados.
O CNJ vai verificar também a falta de estrutura em unidades judiciárias de 1.º grau no interior do estado, além das unidades administrativas e judiciais da Justiça comum estadual de primeiro e segundo graus, além dos cartórios de notas e registros.
Outro lado 1: Clayton Camargo diz que não tem de dar satisfações à imprensa
A reportagem procurou o presidente do Tribunal de Justiça, o desembargador Clayton Camargo, para comentar o caso de suposta venda de sentença e a correição que o CNJ está realizando. Por telefone, ele afirmou que não dá entrevistas nem fala com jornalistas. Disse ainda que não tem de dar satisfações à imprensa. “Vai fazer perguntas pra tua mãe. Não tenho que lhe dar entrevista nenhuma. Não falo com jornal, principalmente com esse teu jornal”, atacou. Procurado também por meio da assessoria de imprensa do tribunal, Camargo reafirmou que não concede entrevistas.
Euclides Lucas Garcia
Outro lado 2: Ex-desembargador nega acusação e diz que caso não passa de factoide
O ex-desembargador Rafael Cassetari, que se aposentou em fevereiro após completar 70 anos, argumenta que a acusação que pesa contra ele é um factoide plantado no CNJ. Segundo ele, que se diz vítima no caso, investigações do próprio tribunal e da Justiça Federal a esse respeito teriam sido arquivadas. “[Trata-se da] parte que não se contentou com a defesa. [As minhas] decisões foram tomadas todas elas com parecer do Ministério Público, são decisões limpas”, defendeu. “Tanto eu quanto o outro desembargador estamos movendo ação criminal contra quem fez a denúncia, com processo de difamação, calúnia. Existe uma série de crimes aí, três ou quatro.”
Afirmando ter aberto seus sigilos bancário e fiscal ao CNJ, Cassetari disse que não tem nada a esconder. “Fizeram a denúncia sem o mínimo de fundamento, não existe prova, não existe nada. Me aposentei agora em fevereiro com uma vida totalmente limpa.”
Euclides Lucas Garcia. Colaborou: Yuri Al’Hanati
Aumento de despesas com servidores será avaliado
Euclides Lucas Garcia
Um dos alvos da investigação do CNJ no Judiciário do Paraná é o risco de aumento de despesas com magistrados e servidores. Isso ocorre mesmo diante dos baixos números de processos julgados por desembargador no estado: 626 casos contra 1.227 na média nacional – os dados são de 2011.
Nos últimos meses, o TJ encaminhou à Assembleia Legislativa três projetos de lei aumentando o número de desembargadores e também o de funcionários, efetivos e comissionados. Dois deles já foram aprovados. Um cria 25 novos cargos de desembargador e 175 postos em comissão para assessorá-los, a um custo que vai chegar a R$ 30,1 milhões para 2015. O outro cria 115 cargos de assessor comissionado de desembargador, o que custará R$ 12,2 milhões aos cofres públicos em 2015
.

ALIMENTOS COM FIBRAS E A SUA SAÚDE - MUITO BOM


OUTRA IDOSA CAI NO GOLPE DO "DOENTE"


  • Idosa dá R$ 200 a golpista ao ser enganada que filha estava no hospital em Rolândia

    PAULINE  ALMEIDA








Um mesmo golpe foi aplicado duas vezes em uma semana, em Rolândia (24 km de Londrina). Uma idosa perdeu R$ 500 ao ser enganada que sua filha estava no hospital e precisava de dinheiro.
Nessa quarta-feira (24), Jurassi Gardinalli Derossi, 82 anos, estava em um ponto de ônibus da Avendia Tiradentes, no Centro, quando foi abordada pelo estelionatário. O homem afirmou que a filha da idosa estava no hospital e precisava comprar remédios.
Jurassi deu R$ 500 em dinheiro ao golpista que fugiu correndo na mesma hora, sentido ao Calçadão do município. Quando percebeu que havia sido enganada, ela chamou a Polícia Militar, porém o criminoso não havia sido encontrado até às 7h desta quinta-feira (25).
Há sete dias, também no Centro de Rolândia, um idoso de 75 anos foi alvo do mesmo golpe e perdeu R$ 200.Nessa ocasião, o criminoso disse que o filho estava no hospital porque havia sofrido um acidente e só receberia atendimento médico se pagasse em dinheiro.

RECURSO DE JOHNNY NO TSE DEVERÁ SER JULGADO EM 60 DIAS

Conversei agora à tarde com um dos advogados de Johnny Lehmann quando lhe perguntei sobre o processo de cassação. Ele me me respondeu que o recurso deverá ser julgado no TSE em Brasília dentro de 60 dias. Falou também de uma decisão do Estado do Rio de Janeiro prolatada em um caso parecido com o de Rolândia onde o acórdão foi reformado em favor do réu. JOSÉ CARLOS FARINA

NOVO COLÉGIO ESTADUAL EM ROLÂNDIA ESTÁ QUASE PRONTO

25/04 -Estive visitando agora à tarde o colégio estadual em construção nos Cinco Conjuntos. Vai ser um ótimo colégio. salas, quadra esportiva, computação,  , elevador, jardins tudo de primeira. São vinte salas de aulas mais os setores administrativo, cozinha, refeitório, biblioteca, computação e quadra. Conversei com um dos encarregados da empreiteira, Maguiver, e ele afirmou que se não houver nenhum contra-tempo  a obra será entregue em junho. TEXTO e FOTOS  by  JOSÉ CARLOS FARINA

JORNAIS ANTIGOS DE ROLÂNDIA ANOS 1990 /91 By FARINA

AEROPORTO ( CAMPO DE AVIAÇÃO ) DE ROLÂNDIA - PR.


PESQUISA JOSÉ CARLOS FARINA - A VOZ DE  ROLÂNDIA
O POSTO DE GASOLINA MENCIONADO NA MATÉRIA ESTAVA LOCALIZADO ONDE HOJE É A
 VALENTIN CONFECÇÕES.

POLÍCIA FEDERAL INVESTIGA ASSESSORES DE WALDYR PUGLIESI / PMDB


O gabinete do deputado estadual Waldyr Pugliesi (PMDB) foi alvo de uma ação da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (25/04). Documentos e computadores foram apreendidos dentro da Operção Factal, que investiga o envolvimento de assessores do deputado e também de policiais militares em jogos ilícitos e contrabando.
O deputado confirmou a operação e disse que ficou surpreso com a prisão de seu assessor, Elielton Mayer. “Estou surpreso. Estava em casa quando fui avisado de que a Polícia Federal precisava entrar em meu gabinete. Nem sabia do que se tratava. Vim logo para ninguém dizer que estou fugindo”, disse Pugliesi.

ESTATUETA "ROLAND" PARA CURTAS METRAGENS

ROLAND“, PARA O MELHOR FILME AMBIENTAL!

ATENÇÃO SETOR DE CULTURA DA PREFEITURA

TEXTO DANIEL - FOTO By  FARINA


Rolândia, a Babelsberg  Pé Vermelho?

O grande interesse dos meios de comunicação pelo projeto „CINE PAIOLZÃO“, o resgate da Era Aurea do Cinema em Rolândia e o enorme valor pedagógico que o „cinema“ poderia ter para as nossas escolas conduzem a uma experiência histórica: o “Studio Babelsberg“! É o estúdio de cinema mais antigo do mundo que surgiu na Alemanha em 1912 motivado pela preocupação com a preservação ambiental e a valorização humana. Centenas de filmes foram produzidos lá, incluindo clássicos como „Metrópolis“ (Fritz Lang) e „O Anjo Azul“ (Josef v. Sternberg), além de produções recentes como „Valkyrie“ com Tom Cruise e „O Leitor“ com Kate Winslet.

Rolândia, ainda preserva muito do passado e é divulgado através de uma estatueta de aproximadamente 25 cm do herói Roland presenteada à visitantes ilustres. Não seria interessante aproveitar esta estatueta para inspirar um tipo de "Oskar"?... Um "Roland" para premiar curtas de um "Festival de Cinema Ambiental"? Quem sabe até "astros do cinema nacional e internacional", poderiam fazer a entrega deste "Roland"?... 

Mas mais do que „festivais badalados“ surgem perspectivas pé no chão de produções locais, cinemas comunitários e parcerias de sucesso neste cenário global, como por exemplo o curta de 35 minutos „Das Crianças Ikpeng para o mundo“. Uma obra feita por cinegrafistas indígenas do Brasil com o apoio da Noruéga. 

Rolândia, vizinha de Londrina que já tem o seus tradicionais Festivais Internacionais de Teatro e Música, poderia através da 7ª arte“, o cinema, somar com seu potencial e atender necessidades tão procuradas de socialização, cultura, lazer, educação e intercâmbio com outras realidades. Que assim „regionalização e globalização... uma relação de igual para igual“ aconteçam de verdade!

PROGRAMAÇÃO DO CINE PAIOLZÃO:

Dia 28 de abril: curta indígena das crianças Ikpeng contando...
Dia 05 de maio: + curtas indígenas apresentados por Luis Mioto...
Dia 12 de maio: NO DIA DAS MÃES NÃO HAVERÁ SESSÃO 
Dia 19 de maio: aguardamos a sua sugestão!

Daniel  Steidle, 25-04-13

EU SOU REPÓRTER - RICMAIS - RICTV - RECORD - PARANÁ NO AR

Quem tiver uma matéria de no máximo 40mb envie para "Eu Sou o Repórter" da RIVtv "Paraná no Ar". Lá é você quem dá a notícia. Clique no link e compartilhe conosco o que acontece no seu bairro http://ow.ly/i44XW

CASTANHAS RETARDAM O ENVELHECIMENTO - UMA POR DIA



Uma castanha por dia, não mais do que isso, garante as doses de selênio de que seu corpo precisa para preservar cada célula, botar para fora possíveis substâncias tóxicas e viver mais.

Cabe na palma da sua mão, e ainda sobra um espaço e tanto, a arma que vai superproteger as unidades microscópicas do seu organismo.

Em segundos, ao mastigar uma única castanha-do-pará, você recarregará os níveis de um mineral extremamente importante para uma vida longa e saudável: o selênio.

A pequena oleaginosa repõe a quantidade do nutriente necessária para dar combate ao envelhecimento celular, causado pela formação natural daquelas incansáveis moléculas que danificam as células, os radicais livres.

Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, atesta que a ingestão diária de duas castanhas-do-pará recentemente rebatizadas castanhas-do- brasil eleva em 65% o teor de selênio no sangue.


É que as castanhas produzidas no Norte e no Nordeste do Brasil são tão ricas em selênio que bastaria uma unidade para tirar o mesmo proveito.

A recomendação é de que um adulto consuma, no mínimo, 55 microgramas por dia, diz a nutricionista Bárbara Rita Cardoso, pesquisadora do Laboratório de Minerais da Universidade de São Paulo.

E com uma unidade da castanha já é possível encontrar bem mais do que isso de 200 a 400 microgramas do bendito selênio.

Aliás, o limite de consumo diário do mineral é de 400 microgramas, portanto, não vá com muita fome ao pote. No caso de uma criança, meia castanha seria suficiente, afirma Silvia Cozzolino, presidenta da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição.

E por que toda essa fama do selênio?

Ele é essencial para acionar enzimas que combatem os radicais livres, responde Christine Thomson, a pesquisadora neozelandesa que investigou as propriedades da castanha. O selênio se liga a algumas proteínas já existentes em nosso corpo para formar essas enzimas antioxidantes, descreve, completando, Bárbara Cardoso. Na ausência dele, as tais enzimas ficam sem atividade e, então, deixam de combater os radicais e ainda desguarnecem as defesas do organismo.

O mineral da castanha também teria um papel especial na proteção do cérebro. É que, com essa capacidade de acabar com a farros radicais livres, as células nervosas seriam preservadas, evitando o surgimento de doenças neurodegenerativas com a idade
RETARDE O ENVELHECIMENTO COMENDO UMA CASTANHA POR DIA.

Uma castanha por dia, não mais do que isso, garante as doses de selênio de que seu corpo precisa para preservar cada célula, botar para fora possíveis substâncias tóxicas e viver mais.

Cabe na palma da sua mão, e ainda sobra um espaço e tanto, a arma que vai superproteger as unidades microscópicas do seu organismo.

Em segundos, ao mastigar uma única castanha-do-pará, você recarregará os níveis de um mineral extremamente importante para uma vida longa e saudável: o selênio.

A pequena oleaginosa repõe a quantidade do nutriente necessária para dar combate ao envelhecimento celular, causado pela formação natural daquelas incansáveis moléculas que danificam as células, os radicais livres.

Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, atesta que a ingestão diária de duas castanhas-do-pará recentemente rebatizadas castanhas-do- brasil eleva em 65% o teor de selênio no sangue.


É que as castanhas produzidas no Norte e no Nordeste do Brasil são tão ricas em selênio que bastaria uma unidade para tirar o mesmo proveito.

A recomendação é de que um adulto consuma, no mínimo, 55 microgramas por dia, diz a nutricionista Bárbara Rita Cardoso, pesquisadora do Laboratório de Minerais da Universidade de São Paulo.

E com uma unidade da castanha já é possível encontrar bem mais do que isso de 200 a 400 microgramas do bendito selênio.

Aliás, o limite de consumo diário do mineral é de 400 microgramas, portanto, não vá com muita fome ao pote. No caso de uma criança, meia castanha seria suficiente, afirma Silvia Cozzolino, presidenta da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição.

E por que toda essa fama do selênio?

Ele é essencial para acionar enzimas que combatem os radicais livres, responde Christine Thomson, a pesquisadora neozelandesa que investigou as propriedades da castanha. O selênio se liga a algumas proteínas já existentes em nosso corpo para formar essas enzimas antioxidantes, descreve, completando, Bárbara Cardoso. Na ausência dele, as tais enzimas ficam sem atividade e, então, deixam de combater os radicais e ainda desguarnecem as defesas do organismo.

O mineral da castanha também teria um papel especial na proteção do cérebro. É que, com essa capacidade de acabar com a farros radicais livres, as células nervosas seriam preservadas, evitando o surgimento de doenças neurodegenerativas com a idade

FARINA NA FOLHA DE LONDRINA


FOLHA DE LONDRINA - 25/04/2013
Trem pé-vermelho
Sobre a matéria "Trem pé-vermelho pode ter linha para passageiros" (Economia, 23/4), isso somente será possível em termos de trem turístico (onde não há pressa de chegar). Com o atual sistema que permite o cruzamento de trens sem a necessidade de "virar a borboleta", as locomotivas precisam esperar no local assinalado a chegada do outro. A operação de "cruzamento" de trens sempre demanda uma perda da tempo que o transporte com passageiros não permite. O problema mais grave é o da estação de Londrina que foi desativada na década de 80. Além disso, a prefeitura utilizou o terreno da antiga RFFSA para a construção da Avenida Leste-Oeste. O atual pátio de manobras de Londrina fica nos fundos do Parque Ney Braga, muito longe do centro da cidade. A maioria dos usuários do transporte coletivo das cidades vizinhas utilizariam mais desse transporte desde que pudessem parar próximo do centro de Londrina.
JOSÉ CARLOS FARINA (advogado) - Rolândia