sexta-feira, 24 de maio de 2013

LONDRINA INVESTE EM LIMPEZA PÚBLICA

LIMPEZA DAS RUAS


LIMPEZA DAS RUAS

A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização de Londrina (CMTU) testou na manhã de quarta uma máquina para agilizar o serviço de varrição das ruas da cidade. As varredeiras urbanas recolhem todo tipo de resíduo que está solto no asfalto, através de duas escovas que centralizam o lixo para um bocal com sistema de sucção. Além disso, ela tem um pulverizador para amenizar a poeira. O "trambolho", que custa R$ 330 mil, chamou a atenção de quem passava pelo Centro. Ao todo, estão sendo testados três equipamentos de varrição.

Fonte/Imagem: NossoDiaA Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização de Londrina (CMTU) testou na manhã de quarta uma máquina para agilizar o serviço de varrição das ruas da cidade. As varredeiras urbanas recolhem todo tipo de resíduo que está solto no asfalto, através de duas escovas que centralizam o lixo para um bocal com sistema de sucção. Além disso, ela tem um pulverizador para amenizar a poeira. O "trambolho", que custa R$ 330 mil, chamou a atenção de quem passava pelo Centro. Ao todo, estão sendo testados três equipamentos de varrição.

Fonte/Imagem: NossoDia

FARINA FILMA DANOS EM CARROS CAUSADOS POR QUEBRA-MOLAS GIGANTE EM ROLÂNDIA

ROLÂNDIA - POLÍCIA PRENDE TRAFICANTE COM 125 QUILOS DE MACONHA

24/05 - A polícia P-2 com o apoio da Rotam prendeu Bruno e mais três na Vila Operária com 125 quilos de maconha. Segundo o relato da polícia Bruno já havia vendido parte da droga para viciados e outros traficantes. Bruno concedeu entrevista para dizer que é carpinteiro e que apenas estava fazendo um favor para um amigo ( que não pode dizer o nome) em troca de R$ 3.500,00. Disse também que já esteve preso por pratica de furto. Inocentou as outras pessoas que estavam com ele por ocasião da prisão. JOSÉ CARLOS FARINA - FOTO ELIANDRO PIVA ( JAPA )

ROLÂNDIA - VENDA DE ÁREAS PÚBLICAS - A HISTÓRIA SE REPETE



27/04/2012 
Pelo que vi na TV agora pouco o 
prefeito Johnny Lehmann pediu para voltar na pauta 
da Câmara de Vereadores a venda de algumas 
praças e áreas públicas de vários bairros da cidade.
 É esperado um grande público para a votação  que 
começa segunda-feira. Pelo que sentimos o povo é
 contra esta venda pois todo morador dos bairros 
pagou por estas praças e áreas institucionais. 
Querem vender  os terrenos dos  bairros para usar no centro da cidade. A pergunta que fazemos: quem vai pagar  a desvalorização dos imóveis destes bairros? É que bairro sem praça e áreas  institucionais se desvaloriza muito....quem vai querer morar um um bairro sem  área verde e área institucional?  TEXTO e FOTO de JOSÉ CARLOS FARINA.
A "proposta" de venda de 33 áreas públicas pela "administração" Joni Lehmann é uma aberração jurídica! A Lei nº 6.766/79 (Lei de Loteamentos), com as alterações introduzidas pela Lei nº 9.785/99 estabeleceu em seu artigo 4º, inciso I, que “as áreas institucionais e as áreas livres de uso público (praças e parques), deverão ser proporcionais à densidade de ocupação prevista no Plano Diretor ou aprovada por lei municipal para a zona em que se situem”. Cuida-se, portanto, de norma geral urbanística, com força vinculante para os Municípios. Segundo a lição da Doutrinadora Lúcia Valle Figueiredo, é um “dever do Município o respeito a essa destinação, não lhe cabendo dar (ou vender) áreas que, por força da inscrição do loteamento no Registro de Imóveis, passaram a integrar o patrimônio municipal. Não se insere na competência discricionária da Administração resolver qual a melhor finalidade a ser dada à praças, parques e áreas institucionais. A destinação já foi preliminarmente determinada pela Lei” (Disciplina Urbanística da Propriedade, p. 41, Editora Revista dos Tribunais, 1980). Por sua vez, o eminente Jurista Paulo Affonso Leme Machado em Direito Ambiental Brasileiro, p. 244, Editora Revista dos Tribunais, 1989, leciona que o ente público só poderia se conduzir com discricionariedade nas áreas do loteamento que desapropriasse (ou recebesse em dívidas) e não nas áreas reservadas por força da Lei: “Do contrário, estaria o Município se transformando em Município-Loteador através de verdadeiro confisco de áreas públicas, pois receberia as áreas para uma finalidade e, depois, a seu talante, as destinaria para outros fins.” Também reunimos inúmeros Acórdãos de vários Tribunais contrários à desafetação de Áreas Institucionais: “A Lei 6.766/79 proíbe a alteração da destinação das áreas verdes e institucionais, após a aprovação e registro de loteamentos urbanos (art. 4º, I, parágrafo 1º e 28). Em conseqüência, as áreas verdes e institucionais dos loteamentos em questão são consideradas bens de uso comum do povo e não podem ser objetos de desafetação e alienação" (Apelação Cível nº 201.894-1/8 – TJSP - Rel. Melo Colombi). Fato pacífico, a proposta da "administração" Joni Lehmann é ilegal! Mesmo que aprovada pela Câmara de Vereadores poderá ser impugnada por qualquer cidadão! Vamos aguardar...
RESPOSTA: Muito bem Paulo... Você está corretíssimo.. se esta aberração for aprovada somente no futuro é que surgirá o arrependimento.. Você já pensou se Maringá tivesse um povo assim que pensa em destruir o que os outrios fizeram?  No futuro os prefeitos que virão após terão que desapropriar e pagar caros por terrenos.. é claro que no futuro havera necessidade destas áreas... Espero que os vereadores pensem no futuro de Rolândia e não somente em dar alegria a atual administração... O certo é consultar a população de cada bairro.. se ele assinarem um documento.. por maioria... JOSÉ CARLOS FARINA

GUGU ESTÁ SENDO PESADO PARA A RECORD

Y

Salário de Gugu na Record é o equivalente a 600 demissões, diz jornal

Apresentador tem 54 anos (Foto: AgNews)
A alta cúpula da Record se reuniu nesta semana e decidiu fazer uma revisão geral dos gastos da emissora. Segundo os cálculos do canal, o dinheiro gasto com o salário de Gugu Liberato seria o equivalente ao montante economizado com 600 demissões de outros funcionários. A informação é da coluna "Outro Canal", do jornal "Folha de S. Paulo", desta sexta-feira (24).

Segundo o jornal, o salário do apresentador é de R$ 3 milhões, o mais alto da emissora. Porém o apresentador segue estagnado no terceiro lugar em audiência, o que reflete negativamente nas contas do seu programa.
O contrato de Gugu com a Record tem validade até 2017 e prevê uma multa por rescisão acima de R$ 100 milhões.
A ordem na emissora é de eliminar os programas que estão no vermelho. O "Programa da Tarde" está na lista das atrações que devem se despedir do canal.

OSUEL TOCA SÓ BLUES NO DIA 02 e 09 DE JUNHO ( ACÚSTICO BLUES TRIO )


Briga entre vizinhos deixa três mortos em condomínio de Alphaville, em São Paulo


Fachada do condomínio onde crime ocorreu (Foto: Marcos Bezerra/ Estadão Conteúdo)
SÃO PAULO - Uma briga entre vizinhos resultou na morte de três pessoas em um condomínio de alto padrão de Alphaville, bairro nobre de Barueri, na Grande São Paulo, na noite desta quinta-feira, de acordo com informações do site G1.

Um casal foi morto a tiros dentro de seu apartamento por um homem que disparou ao menos seis vezes contra os vizinhos e se matou logo depois.
A filha do casal, de apenas 1 ano e meio, estava no apartamento, mas não se feriu.
O agressor era empresário do setor de metalurgia e vivia com a mulher. Segundo a polícia, ele tinha porte de armas e usou um revólver calibre 38 registrado.
Testemunhas disseram que o atirador e as vítimas discutiam sempre por causa de barulho.
O casal e Miriam Cecília Amstalden Baida, 37, e Fábio de Rezende Rubim, 40 (Foto: Reprodução/ Facebook)

SENHORA PLANTOU UMA FLORESTA EM LONDRINA


Gilberto Abelha / Jornal de Londrina
Gilberto Abelha / Jornal de Londrina / Dona Claudina, a direita, com a mãe Lúcia: Qualidade de vida melhorou com a miniflorestaDona Claudina, a direita, com a mãe Lúcia: Qualidade de vida melhorou com a minifloresta

A pequena floresta de dona Claudina

Em seis anos, aposentada transformou 9 mil metros quadrados usados para plantar milho e mandioca em área de preservação
24/05/2013 | 00:01Erika Pelegrino
Um grande exemplo
“A dona Claudina tem o dedo verde. Já fizemos restauração de área em várias propriedades e é difícil obter o desenvolvimento que ela conseguiu”, afirma a bióloga Alba Cavalheiro do Laboratório de Biodiversidade e Restauração de Ecossistemas (Labri) da UEL, que faz a restauração da propriedade de dona Claudina. Em um período de 8 anos, ela já tem árvores com alturas entre 5 metros e 17 metros. Orgulhosa, dona Claudina mostra a mangueira que plantou em 1985 e uma árvore [que ela não sabe o nome] plantada em 2005. Uma ao lado da outra e a mais nova já ultrapassou a altura da mais velha. Para transformar uma área em reserva legal, segundo a bióloga, é preciso plantar árvores nativas da região. O Labri tem o mapeamento destas espécies e na chácara de dona Claudina foram plantadas algumas ameaçadas de extinção, como o jaborandi; frutas silvestres para atrair a fauna entre outras. “Dona Claudina transformou completamente o cenário ali”, diz Alba. O grande impacto é na transformação climática: a temperatura fica amena e mais úmida. “Outro grande benefício é a influencia de dona Claudina sobre outros proprietários. Ela é um grande exemplo. Dizemos que ela existir é o grande benefício.”
O dedo verde de Claudina Scopel transformou uma área degradada pela urbanização em um refúgio para a flora e a fauna na zona leste de Londrina. Onde até 2005 existia plantação de milho e de mandioca, hoje tem uma minifloresta com mais de 1.400 árvores de espécies nativas. À medida que cresciam as mais de 100 espécies foram chegando também os pássaros, gambás, quatis, furões, tatus, cobras e outros pequenos animais que antes estavam sempre de passagem, e agora se instalaram na propriedade.

A senhora de 73 anos e sua mãe, Lúcia, 95 anos, ainda colocam a mão na terra e nos últimos 15 dias plantaram mais 122 mudas. Dona Claudina decidiu transformar sua propriedade de 10,7 mil metros quadrados em reserva legal para melhorar sua qualidade de vida e garantir que a área, localizada ao lado da Milênia, não acabasse sendo utilizada futuramente para outros fins que não o da preservação ambiental.

Ela conta que sofria com dores de cabeça e enjoos e que sentia muito cansaço. “Não tinha energia para fazer nada. E minha mãe sofria com problemas respiratórios”, relata. Ela diz acreditar que os sintomas eram provocados pela poluição do ar. Foi então que resolveu melhorar seu próprio habitat transformando-o em uma reserva legal. De acordo com as determinações legais, para isso bastava que ela reservasse 20% da área de sua propriedade para plantar espécies nativas da região. Dona Claudina foi além e reservou quase 90% de suas terras para realizar o desejo de viver em um lugar saudável. Foi com este sonho que ela comprou a chácara em 1985, já viúva e com os filhos adultos.

Ao visitar o local foi seduzida pelo barulho do Ribeirão Lindóia que passa ao fundo da propriedade. Era o som da infância de quem viveu até os 6 anos em um sítio. “Lá também tinha um rio onde via os peixinhos”, relembra. Dona Claudina se mudou para o local em 1986. Em 2005, começou sua empreitada e, hoje, já tem o parecer técnico da Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) que atesta área como reserva legal. “Todos os sintomas que eu e minha mãe tínhamos desapareceram”, conta.

Para isso, ela foi povoando mais de 9 mil metros quadrados com araucária, jaborandi, peroba, pau-marfim, palmito jussara, pau Brasil, jatobá, jequitibá, caviúna, copaíba, ingá feijão, coração negro, aroeira, jabuticabeira, pitangueira, ipê roxo, abacateiro, laranjeira, limoeiro, figueira e muito mais. Com flora veio a fauna.

Dona Claudina diz acreditar que sua pequena floresta também beneficia os moradores mais próximos, com um clima mais agradável e um ar mais puro. “Alguns me disseram que eu transformando a propriedade em reserva legal, estou comprometendo o seu potencial comercial. Mas eu acredito que se não substituirmos a ganância por outros valores, nosso fim será triste”, diz. “O que eu gostaria é que todos os proprietários rurais fizessem sua parte, pelo menos com o mínimo exigido, que são os 20% de reserva legal.”

ROLÂNDIA - CAMPANHA PARQUINHO É IMEXÍVEL


Aquecimento global acelera crescimento de ÁRVORES , afirma estudo


Mas pesquisadores dizem que é preciso avaliar melhor o que isso significa.

Artigo foi publicado na revista científica americana PNAS.  BY FRANCE PRESSE
Foto: Jupiterimages via AFP 22-03-2009

E daí? - Cientistas destacam que devem ser realizados estudos mais aprofundados para determinar as consequências do crescimento das árvores (Foto: Jupiterimages via AFP 22-03-2009)


O aquecimento global pode causar um crescimento mais rápido das árvores e aumentar a duração das temporadas propícias a seu desenvolvimento, afirma um estudo publicado nesta semana nos Anais da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS).

Para realizar a pesquisa, os cientistas do Centro de Investigações Ambientais Smithsonian (Maryland) reuniram dados coletados em árvores de 55 bosques diferentes do leste dos Estados Unidos, além de informações de 100 anos de medições meteorológicas e de 17 anos de medições de emissões de gás carbônico.

Segundo os resultados, o crescimento recente das árvores "superou os valores esperados", provavelmente por causa das mudanças climáticas.

"Sabe-se que o aumento das temperaturas, da duração do período de crescimento e das emissões de CO2 influenciam a fisiologia das árvores", destaca o estudo.

Leia também:

Consequentemente, o aquecimento global "tem provavelmente uma grande influência sobre o aumento de crescimento constatado", observa a pesquisa.

Concretamente, as temperaturas mais altas aceleram o metabolismo das árvores, enquanto que o aumento do nível de gás carbônico na atmosfera ajuda seu crescimento, graças a um processo chamado de fertilização carbônica (que favorece a fotossíntese e a produção de biomassa vegetal).

Os cientistas destacam que devem ser realizados estudos mais aprofundados para determinar se esses resultados ocorrem em uma escala maior e também as consequências do crescimento das árvores.

ROLÂNDIA - COQUETEL LANÇAMENTO ZEPELIN VIAGENS E TURISMO

BLOG DO FARINA FAZ ENQUETE PARA PREFEITO


PRA QUEM VC VOTA PARA PREFEITO?

BANDIDOS QUE ATIRARAM EM POLICIAL EM RANCHO ALEGRE FORAM PRESOS


Dois jovens e um adolescente foram presos na estrada de Frei Timóteo, em Jataizinho. O trio é acusado de balear um policial militar em Rancho Alegre. Guilherme Aparecido de Lima e Rodrigo Siqueira Mota, ambos de 18 anos, e um adolescente de 17 anos, tentaram se esconder em um matagal da região. Com eles foram encontradas diversas armas, como uma pistola .45, revólver calibre 38 e a pistola .40, do policial baleado. Os dois maiores são moradores do Jd. do Sol e o menor morador do Jd. Nossa Senhora da Paz (Bratac), e teriam se deslocado para a região para cometer assaltos. A PM da região se mobilizou na busca dos criminosos, que teriam ainda cometido um assalto a uma residência. O veículo utilizado para fuga, um Meriva, foi abandonado em Uraí e a polícia busca uma motocicleta também utilizada pelos ladrões. Os detidos foram encaminhados para a delegacia de Urai. O estado de saúde do soldado Sobrinho é grave. Ele levou um tiro no rosto e segue internado na Santa Casa de Cornélio Procópio.

Texto: odiario.com / Fotos: Eliandro Piva

OCORRÊNCIAS POLICIAIS DE ROLÂNDIA 24/05/2013


RELATO DE OCORRÊNCIA DE VULTO:

DATA
HORÁRIO
MUNICÍPIO
BAIRRO
23/05/2013
10h00min
    Rolandia
Centro
LOGRADOURO
Av Pres. Vargas - 2210
NATUREZA
Receptação / Veiculo Recuperado
VITIMA
XXX
AUTORIA



Recebemos denúncia anônima de que um veículo vw/Voyage de cor cinza, com placas ABS-9093 estaria circulando pela av. Pres.Vargas, nas proximidades da rodoviária e que este veículo possuía alerta de furto. Perante a situação, a equipe PM realizou patrulhamento pela região e localizamos o referido veículo trafegando pela rodovia, e defronte o numeral 2210 foi feita a abordagem padrão e a revista pessoal no condutor, de 26 anos, mas com ele nada de ilícito foi localizado. Diante do fato, constatamos ser mesmo o veículo produto de furto e sendo assim dado voz de prisão pelo crime de receptação e encaminhado ele e o veículo até a delegacia de Rolândia para as devidas providências.
       
DATA
HORÁRIO
MUNICÍPIO
BAIRRO
23/05/2013
11h20min
    Rolandia
Rural
LOGRADOURO
Estrada Ingazinho ( próximo Jd das flores)
NATUREZA
Adquirir, Vender, Fornecer e ou Produzir Drogas
VITIMA
xxxxx
AUTORIA



Nos últimos dias policiais do serviço de inteligência do décimo quinto batalhão vem recebendo informações que um individuo seria um dos responsáveis por trazer drogas para a cidade de Rolandia, sendo que em data de hoje policiais desta seção avistaram o veiculo vw/gol, sendo conduzido por ele , trafegando pela rodovia BR 369, sentido Londrina-Rolandia. Ao chegar próximo ao posto da policia rodoviária estadual, em Rolandia, o condutor  adentrou a uma estrada rural, conhecida como estrada do Iingazinho. Diante das circunstancias foi realizada a abordagem do veiculo e em seu interior havia alem do condutor, de 36 anos, um outro individuo de 20 anos era passageiro e durante a revista pode-se notar que o painel do veiculo estava com sinais de que fora recém desmontado. Ao fazer a checagem, foi encontrada no interior do painel, uma sacola plástica, contendo substancia entorpecente com características e odor de crack. O qual totalizou aproximadamente 510 gramas do referido entorpecente. Ato continuo, o homem de 20 anos, informou que em sua residencia havia mais algumas pedras de crack e munições. Diante da situação foi dada voz de prisão aos ocupantes, do veiculo do que tudo restou lavrado no respectivo auto de prisão em flagrante.
    

DATA
HORÁRIO
MUNICÍPIO
BAIRRO
23/05/2013
14h15min
    Rolandia
Vila oliveira
LOGRADOURO
Rua Marfim – s/n
NATUREZA
Adquirir, Vender, Fornecer e ou Produzir Drogas
VITIMA
xxx
INFRATOR AD.



Em patrulhamento pela Rua Marfim, foi realizado abordagem de dois menores, onde foi encontrado com um dos adolescentes duas pedras de crack, uma porção de maconha e próximo a eles havia um cigarro de maconha e uma porção grande do entorpecente pesando cinqüenta e três gramas, foi indagado aos menores de quem seria a droga. Um deles assumiu a propriedade. Com eles foi ainda encontrado celulares e dinheiro. Ambos foram encaminhados para delegacia de Rolandia para providencias cabíveis. 
    

Rolândia, 24 de maio de 2013.

FARINA DEDICA PINTURA A JOHNNY LEHMANN e ERNESTO NOGUEIRA











FORA CHUMBO!... O PARQUINHO É IMEXÍVEL...
VÃO CUIDAR DOS PROCESSOS E DEIXEM O MEIO AMBIENTE EM PAZ

INCÊNDIO NO RIO DE JANEIRO


FOLHA DE LONDRINA

Yasuyoshi Chiba/AFP
Um funcionário da distribuidora de combustíveis morreu durante o incêndio
Rio - Um funcionário da distribuidora de combustíveis e lubrificantes Petrogold morreu ontem durante um incêndio que atingiu um depósito da empresa em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. 

Quando o fogo começou, às 11 horas, havia cerca de dez funcionários no depósito. Gelson da Silva Ferreira, de 43 anos, chegou a ser levado pelos colegas ao Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, mas morreu por volta das 14 horas. 

Segundo o hospital, outras sete pessoas (cinco homens e duas mulheres) foram atendidas no hospital, nenhuma em estado grave. Seis foram liberadas após breve atendimento e um homem de 21 anos deixou o hospital à revelia. 

O depósito tinha seis tanques (dois com gasolina, dois com álcool, um com óleo diesel e outro com água) e, embora esteja situado à margem de uma rodovia, fica em área residencial e bem em frente a uma escola municipal. 

Às 12h30, uma grande explosão ampliou o fogo. Quatro quarteirões foram interditados. As pessoas tiveram que deixar a área e a escola foi evacuada. 

O fogo foi controlado, mas não debelado, por volta das 15h30, e a previsão era de que até a noite de ontem 80% dos moradores fossem autorizados a voltar a seus imóveis. 

Segundo a Prefeitura, o alvará municipal mais recente concedido à Petrogold é de 2009. Como ele tem validade de um ano, a empresa está irregular há quatro anos. Por conta da área de atuação, a empresa também é fiscalizada pela Secretaria Estadual do Ambiente e pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). 

O advogado da Petrogold, Fábio Calil Gandara, afirmou que, até onde tem conhecimento, a empresa funciona legalmente.

Fábio Grellet
Agência Estado