segunda-feira, 1 de julho de 2013

FARINA VAI PEDIR AMANHÃ INVESTIGAÇÃO DO SUMIÇO DA MADEIRAS

A SEGUIR A PETIÇÃO:

EXMO. SR. DR.  PROMOTOR DE JUSTIÇA RESPONSÁVEL  PELA PROMOTORIA DE DEFESA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DA COMARCA DE ROLÂNDIA-PR.


JOSÉ CARLOS FARINA, brasileiro, casado, advogado, inscrito na OAB-PR. sob o n 8836, portador do RG. nº 1.278....-Pr., e do CPF Nº 331....., residente e domiciliado em Rolândia-Pr. à Rua Arthur Thomas, 2.320, infra-assinado, vem respeitosamente à presença de V. Exa., requerer a abertura de procedimento Investigatório para apurar a seguinte infração em detrimento do Patrimônio Público da população rolandense:

                                   1)- No dia 26 de março de 2013 o Blog do Farina, veículo de mídia virtual com milhares de acessos junto aos internautas de Rolândia, divulgou que o vereador José de Paula Martins  denunciou que parte das madeiras do Hotel Rolândia que a prefeitura adquiriu para reconstruir em outro local sumiram. As poucas madeiras que sobraram estavam mal armazenadas e deterioradas pela ação da umidade.

                                   2)- Na matéria foi formulado um pedido  para que a prefeita em exercício na  época, Sabine Giesen, mandasse abrir uma sindicância para que os culpados sejam punidos em que não  haja prejuízo aos cofres públicos, visto o valor alto pago pelas madeiras ( R$ 60.000,00)

                                   3)- O editor da matéria também  pede que os culpados sejam punidos exemplarmente e que devolvam ao cofres públicos o valor das madeiras extraviadas ou roubadas.

                                   4)- Até o presente momento, nem o executivo, nem o legislativo tomou alguma providência deixando  transparecer um total descaso com o patrimônio público, o que não concorda o requerente.

                                   Em vista do exposto requer a abertura do devido processo de investigação, apurando-se a denuncia e condenando os culpados nas sanções penais e cíveis, principalmente ressarcindo o erário de todo os prejuízos verificados.

                                   Requer sejam ouvidos os vereadores José de Paula Martins e Sabine Giesen, o prefeito Johnny Lehmann e os guardas (vigias) da prefeitura.

                                   Rolândia, 02  de julho de 2013



                                   JOSÉ CARLOS FARINA - ADVOGADO

MAIORIA DOS VEREADORES DE ROLÂNDIA FAZEM COLUNA SOCIAL



01/07 - bonde news

Um levantamento feito pelo portal Bonde nas Câmaras de Vereadores de Cambé, Ibiporã e Rolândia, três das principais cidades da Região Metropolitana de Londrina (RML), aponta falta de iniciativa dos parlamentares quando o assunto é proposição de projetos de lei. 


No primeiro semestre deste ano, os vereadores dos municípios discutiram e votaram, ao todo, 64 projetos. O que chama a atenção é que 42 ou 65% deles foram apresentados pelo Executivo. "Acontece nestas cidades menores o que é registrado em Brasília. O Legislativo perde a independência e cria o costume de discutir a pauta do Executivo, que é o dono do cofre, que tem o dinheiro. Isso é ruim para a população e para os próprios parlamentares, que perdem o poder de fiscalização", analisou o professor de Ciência e Filosofia Política da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Elve Cenci. "Por que os deputados e os vereadores não discutem e apresentam grandes temas? Por que sempre estão atrelados aos assuntos dos governos", completou. 



Rolândia 

Outro dado preocupante envolve a apresentação de projetos "irrisórios", que, na prática, não representam, de fato, mudanças no cotidiano da população de cada cidade. Em Rolândia, por exemplo, metade das vinte matérias discutidas e votadas pelos parlamentares em 19 sessões previam nominações de ruas, declarações de utilidade pública, comemorações e homenagens. 



"Passamos por um período muito turbulento neste primeiro semestre, depois que o prefeito teve a diplomação cassada e a presidente (da Câmara) precisou assumir o Executivo. Quando a gente conseguiu formular um projeto com ela (Sabine Giesen), o Johnny Lehmann conseguiu voltar ao cargo e tudo precisou ser refeito. É por isso que não conseguimos fazer um trabalho melhor", justificou o vice-presidente da Câmara de Rolândia, João Manoel Ardigo (PSB). 



Na avaliação de Elve Cenci, o vereador não consegue formular projetos melhores justamente por estar ocupado atendendo interesses do Executivo. "Eles votam os projetos da prefeitura e ficam fazendo 'coluna social'. O Executivo se agiganta e os vereadores ficam 'reféns'. É claro que alguns se aproveitam da situação. Preferem ficar na base para ter os requerimentos atendidos. O vereador precisa atender os interesses da população para se eleger. Desde a poda de árvore ao buraco da rua", argumentou o professor.

COMENTÁRIO: Caio Cezar É um levantamento que infelizmente não surpreende, mas não deixa de ser decepcionante. É nítida essa relação refém que alguns Vereadores mantém com o Executivo. Os que não tem essa relação opta por "apenas" fiscalizar o Executivo, e quem perde é a população. Eu sempre bato na tecla de que, o Vereador tem, e isso é obrigação, de apresentar projetos que visem resolver os problemas do cotidiano da população. Se isso entrar em choque com o Executivo, venha a público e diga. Não use isso como desculpa para não apresentar. Eu abomino esse tipo de Vereador que bate no peito e diz que a sua obrigação é fiscalizar o Executivo. Parafraseando o Farinão; Não é só isso pôô, e as outras obrigações?. E o que é pior, tem muita gente que apoia e acha que é isso mesmo....lamentável sob todos os aspectos.

FARINA SOFRE ACIDENTE POR CULPA DA PREFEITURA

Por culpa da prefeitura que não pintou e não sinalizou este gigante quebra-molas caí  da moto no sábado, por volta das 23 horas. sofri algumas escoriações leves e danos materiais de pequena monta. Depois fiquei sabendo que dezenas de outros  motoristas e motociclistas tbm sofreram prejuízos por causa de mais esta prova de incompetência . Será que depois da sentença de cassação tudo o que a prefeitura faz, faz pelas metades? Pela foto abaixo dá para imaginar o risco de um quebra-molas destes, sem pintura, em uma noite escura destas  com chuva e cerração. Se não pintarem logo esta p..... a prefeitura vai amargar dezenas de processos de indenização na Justiça. TEXTO e FOTO By  JOSÉ CARLOS FARINA
COMENTÁRIO: valentim filiput1 de julho de 2013 
Também tem um quebra molas na rua Franklin Umbehaum. sem nenhuma sinalização. Gostaria que o departamento competente da Prefeitura tomasse as devidas providências colocando sinalização no mesmo.

SANEPAR INFORMA OS SEUS CONSUMIDORES EM ROLÂNDIA

Recebi comunicado agora pouco da Sanepar comunicando os seus  consumidores que a falta d´água verificada em vários bairros de Rolândia se deu em face da elevação da turbidez da água. É que em razão das chuvas prolongadas na última semana "tivemos que parar o tratamento para limpeza da ETA".  Duas estações elevatórias de água estão em fase de testes  próximo à Faccar e do Lago São Fernando para melhorar o abstecimento de água na cidade. JOSÉ CARLOS FARINA
COMENTÁRIO: O presidente Cido Barbeiro acabou de informar que os Cinco Conjuntos continuam sem água.

CALA A BOCA GALVÃO BUENO DA GLOBO

VOCÊ NÃO SE MANCA MESMO
ENQUANTO O POVO MORRE NOS CORREDORES DOS HOSPITAIS. VOCÊ E SEUS PUXA-SACOS FICAM  SE DESCABELANDO POR CAUSA DE 11 MILIONÁRIOS JOGANDO EM ESTÁDIOS SUPER FATURADOS.. CALA A BOCA GALVÃO... VAI CUIDAR DOS SEUS CAVALOS DE RAÇA QUE VOCÊ GANHA MAIS....

GUILHERME SPANGUENBERG CRITICA JOHNNY LEHMANN DE ROLÂNDIA

01/07 - PROGRAMA DA RÁDIO LÍDER - 11:30 HORAS
POR CAUSA DA FESTA DO ANIVERSÁRIO
CONTRATAÇÃO DE RÁDIOS E EMISSORAS DE FORA
FALTA D´ÁGUA NOS BAIRROS

E  DOS BURACOS NA RUA

COMENTÁRIO: 

GOSTARIA DE SABER SE ELE AGORA É CONTRA TAMBÉM A INDUSTRIA DE CHUMBO E VENDA DE 20 ÁREAS INSTITUCIONAIS DOS BAIRROS.

FUTEBOL NO BRASIL - PÃO E CIRCOI

TODOS SATISFEITOS? CLARO! NEYMERDA E TODOS OS OUTROS MERCENÁRIOS SAÍRAM MAIS RICOS DO JÁ ESTAVAM. AGORA, IDIOTA QUE FOI AO MARACANÃ, IDIOTA QUE GASTOU SEUS MÍSEROS REAIS COM FOGOS, ADOEÇA! SEJA ASSALTADO! PROCURE UMA CRECHE PRO SEUS FILHOS! VÁ NUMA FARMÁCIA PROCURAR UM REMÉDIO! LEVA SUA MÃE A UM PRONTO SOCORRO! FELIPÃO E TODA A CAMBADA DELE TEM PLANO DE SAÚDE E HOSPITAL PARTICULAR.

VIOLÊNCIA NO RIO ONTEM AO REDO DO MARACANÃ

Grupo faz protesto no entorno do estádio do Maracanã neste domingo

Às 15h30, polícia jogou bombas de gás e disparou balas de borracha.
Eles pretendem sentar ao redor do Maracanã.

Luís Bulcão e Mariucha MachadoDo G1 Rio
550 comentários
Polícia faz cordão de isolamento perto da Estação São Cristóvão e só deixa passar quem tem ingresso (Foto: Luis Bulcão/G1)Polícia faz cordão de isolamento perto da Estação São Cristóvão e só deixa passar quem tem ingresso (Foto: Luis Bulcão/G1)
O grupo que tentava se aproximar do  Maracanã, onde México e Itália se enfrentam na tarde deste domingo (16), se afastou do estádio por volta das 16h e se concentrou na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte do Rio, onde entrou em confronto com a Tropa de Choque. Desde o começo da tarde, a polícia tenta impedir a aproximação de um grupo de aproximadamente 300 pessoas do Maracanã. Os manifestantes foram contidos por barreiras e com gás de pimenta.
Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, o trânsito foi liberado por volta das 16h na Avenida Radial Oeste, sentido Méier, que chegou a ser fechado pelo grupo. No entanto, o trânsito na região, que já tem diversas ruas interditadas devido ao esquema especial de tráfego para os jogos, está complicado e os motoristas enfrentam lentidão.
Tropa de Choque fecha a Radial Oeste e impede a chegada de manifestantes (Foto: Luis Bulcão/G1)Tropa de Choque fecha a Radial Oeste e impede a
chegada de manifestantes (Foto: Luis Bulcão/G1)
Bombas de gás
Policiais do Batalhão de Choque (BPChq) jogaram bombas de gás lacrimogêneo e dispararam balas de borracha contra os manifestantes já na subida do Viaduto de São Cristóvão, um dos acessos ao Maracanã. Os manifestantes correram pela Avenida Radial Oeste em direção ao Centro. Agentes da Força Nacional de Segurança também participam do esquema de segurança.
Torcedores que chegavam ao estádio ficaram assustados com o confronto e tentaram procurar abrigo. Muitos, inclusive crianças, ficaram em meio ao tumulto e sofreram com os efeitos das bombas de efeito moral: ardência nos olhos e na garganta. Agentes da Força Nacional de Segurança também participam do esquema de segurança.
Os gritos de guerra "Se a passagem não baixar, a roleta eu vou pular" e "Eduardo Paes, cadê você, cadê você" são os mais repetidos no protesto. Os manifestantes planejam caminhar até o estádio e sentar ao redor.
Ppoliciais montaram barricadas  no viaduto que dá acesso ao estádio e pedem que os torcedores apresentem os ingressos para o jogo. A barreira impede que os manifestantes, que se concentravam na altura da estação de São Cristóvão.

 
Policiais em cima do viaduto que dá acesso ao Maracanã (Foto: Luis Bulcão/G1)Policiais fazem barreira no viaduto que dá acesso ao Maracanã (Foto: Luis Bulcão/G1)

A manifestação foi convocada pelas redes sociais e faz parte de uma série de atos que acontecem em todo o país desde a semana passada e que pedem a redução dos preços das passagens. Parte dos manifestantes também protesta contra a realização da Copa das Confederações no país.
Reforço na segurança
O Rio tem um efetivo de mais de 15 mil homens atuando na segurança da cidade até o final da Copa das Confederações. De acordo com o general José Alberto da Costa Abreu, a 1ª Divisão de Exército conta com a atuação de 7.126 militares. Já segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança do Estado do Rio (Seseg), são quase 8 mil policiais atuando na capital fluminense.
De acordo com a secretaria, não houve mudança no patrulhamento ordinário das regiões. Além do efetivo já existente, 2.600 policiais civis e militares atuarão como reforço durante o evento.
Desde este sábado (15), navios da Marinha do Brasil fazem o patrulhamento do litoral carioca e aeronaves do Exército fazem o controle do tráfego de helicópteros, enquanto o Centro de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) cuida do espaço aéreo.
Policiamento no acesso ao Maracanã (Foto: Reprodução/TV Globo)Policiamento no acesso ao Maracanã (Foto: G1)