sábado, 19 de outubro de 2013

Moradores atiram bombas sobre pessoas na Concha Acústica em Londrina

Heloísa Prado - Redação Bonde

VEJAM VÍDEO DE UM OUTRO ATENTADO

Um evento realizado na Concha Acústica de Londrina terminou com duas pessoas feridas e muita confusão na noite desta sexta-feira (18). Segundo os organizadores, o incidente foi causado pormoradores de um prédio que teriam jogado supostas bombas em direção aos participantes. Cerca de 500 pessoas estavam no local quando os artefatos foram lançados. 

Realizado em favor da diversidade sexual, o Cabaré da Diversidade foi organizado pelo Coletivo Elite Trans, um grupo de trabalho do Núcleo Londrinense de Redução de Danos, com o apoio das Secretarias de Saúde, da Mulher e do Idoso. 

De acordo com Melissa Campus, presidente do Elitytrans, o evento foi devidamente autorizado pela prefeitura e as apresentações musicais e de teatro poderiam acontecer até as 22h. No entanto, por volta das 21h30 começaram os ataques. "Foi um horror. Não foi possível identificar exatamente de queapartamento partiram as bombas ou rojões, apenas que vinham de determinado prédio. As pessoas entraram em pânico. Muitas crianças que estavam no local ficaram bastante assustadas e duas pessoas tiveram ferimentos leves", declarou em entrevista ao Bonde. 

O incidente revoltou os participantes e muitos deles quiseram invadir o condomínio, mas foram contidos pelos organizadores. 

Poliana Oliveira, presidente do Coletivo Eva, grupo organizador da Marcha das Vadias, também estava no local. "Nosso evento era totalmente pacífico, legalizado, as pessoas estavam se divertindo e lutando por seus direitos. Não dá para aceitar essa violência", desabafou.

A Polícia Militar foi acionada, mas apenas orientou que os participantes que se sentissem lesados deveriam registrar boletim de ocorrência na delegacia. Os feridos foram encaminhados à 10ª Subdivisão Policial para formalizar a queixa e realizar exame de corpo de delito.

Melissa Campus informou que o Núcleo Londrinense de Redução de Danos pretende processar o condomínio. "Não temos como provar de onde partiram as bombas e acionar o morador, por isso fomos orientados a mover uma ação contra o condomínio. Quatro advogados já nos procuraram para trabalhar na causa".

Ela disse ainda que, segundo algumas testemunhas e um morador do próprio prédio, esta não foi a primeira vez que objetos foram arremessados do alto dos prédios. "Um homem que mora no local e participava do evento contou que já jogaram até enlatados no público que assiste a eventos na Concha. Isso é um absurdo. Esses moradores se sentem donos de um espaço que é público. Não têm o direito de ficar agredindo as pessoas. Por isso resolvemos tomar providências contra o condomínio", justificou.
NÃO É A PRIMEIRA VEZ.. VEJAM ESTE VÍDEO:

PEDÁGIO DE ARAPONGAS - AUDIÊNCIA PÚBLICA

Audiência pública discute o pedágio em Arapongas

Comunidade aceita sistema, porém questiona valores das tarifas cobradas

TNOnlineCarol Flores - Tribuna do Norte - Diário do Paraná   
Credito:   ( )
Moradores de Arapongas participaram de uma audiência pública, na última quarta-feira à noite, organizada por diversos representantes de entidades de classe da cidade, por iniciativa da CPI do Pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná. O debate foi em torno da legalidade do pedágio no Estado.

Diferente do que muita gente possa imaginar, a bandeira levantada pela organização Movimento Popular Por Amor a Arapongas não é o fechamento da praça de pedágio que está entre Arapongas e Rolândia, e sim que a concessionária cumpra com o contrato. Os organizadores do Movimento defendem preço justo e melhorias nas estradas.

Uma das idealizadoras do debate em Arapongas, a empresária Iracema Ferreira, diz que o valor cobrado pela concessionária Viapar em Arapongas é fora da realidade local. Ela argumenta que R$ 6,20 é muito caro para o estudante que precisa ir até Londrina ou Rolândia e ainda mais pesado quando a pessoa necessita fazer algum tratamento médico em cidades vizinhas, “O valor cobrado pela Viapar não condiz com a realidade de Arapongas. Não somos a favor do fim do pedágio e sim que se cumpra a lei, o que está no contrato”, reclamou.

O presidente do Sindicato Rural Patronal,José Mendonça, acredita que o pedágio penaliza o agricultor rural devido ao alto valor, encarecendo demasiadamente o transporte, e esse valor acaba sendo repassado para o consumidor final. “Uma carreta hoje gasta cerca de R$ 150 até o Porto de Paranaguá, é um absurdo. A praça de pedágio é o grande prejuízo do produtor e do cidadão paranaense”, afirmou.

NOTA DE FALECIMENTO - ROLÂNDIA - 27/10/13

FUNERÁRIA BOM PASTOR INFORMA
O FALECIMENTO DO SR:
APOLONIO PEIXOTO DOS SANTOS
(ACIDENTE DE TRABALHO)
DEIXA DUAS FILHAS - ELE ERA MORADOR DA VILA OLIVEIRA - SERA VELADO NA CAPELA DA VILA OLIVEIRA - O SEPULTAMENTO SERA HOJE (28/10)      AS 11:00HS

POLÍCIA MATA TRÊS LADRÕES DE CASA

Ladrões de residência morrem em confronto com a PM

Redação Bonde
Três ladrões foram mortos por policiais militares durante tiroteio registrado no início da manhã deste sábado (19) em um matagal localizado no bairro Umbará, em Curitiba. 

O trio armado teria roubado uma residência e fugido em um Palio, também fruto do roubo, para o matagal. 

A polícia conseguiu encontrar os assaltantes e teria sido recebida a tiros por eles. Os criminosos foram baleados e morreram na hora. Com eles, a polícia apreendeu três revólveres - um calibre 22 e dois calibre 38. (com informações da rádio Banda B)

ABATE DE POMBOS EM LONDRINA

FOLHA DE LONDRINA

Sema cogita abate de pombos

Olga Leiria
Sema estima que população das aves chegue a 400 mil na zona urbana
Londrina - A reunião realizada ontem pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) com representantes de classe do setor rural, a fim de tentar definir uma estratégia para diminuir a superpopulação de pombos em Londrina, sinalizou algumas sugestões. Para os representantes, principalmente de empresas de grãos e cooperativas, a primeira medida a ser adotada é o manejo das aves. Segundo eles, as tentativas realizadas isoladamente surtiram pouco ou nenhum efeito, como o uso de repelentes, que só mudaram o "problema" de lugar. As empresas devem continuar, entretanto, com cuidados no transporte e armazenagem dos produtos, como preconiza as diretrizes de segurança alimentar. 


Conforme o secretário municipal, Cleuber Brito, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) já autorizou o manejo, mas com algumas condicionantes. "Precisamos de um programa que atenda vários requisitos, como destinação e presença de um veterinário. Vamos deixar bem claro que não se trata de extermínio das aves, mas controle populacional", enfatizou. Em declarações anteriores, no entanto, o secretário havia se posicionado contrário nessa questão. 



A Sema não possui números concretos ou um estudo da quantidade de pombos, porém, a estimativa é de que existam 400 mil na área urbana (100 mil somente no Bosque) e mais de 1 milhão na zona rural. 



Diante da demanda apresentada, o secretário se comprometeu a apresentar um esboço do Programa de Manejo no prazo de 30 dias. Nesse projeto irão constar outras medidas a serem implantadas concomitantemente. Dentre elas, recuperação de áreas de preservação ambiental (APPs), limpeza dos locais (fezes e alimentos) e mapeamento das áreas onde as capturas poderão ser realizadas. 



Brito ratificou que os repelentes em testes usados na Praça Sete de Setembro e Bosque, na área central da cidade, não surtiram efeito. Já os dois aparelhos colocados no Terminal de Ônibus do Distrito do Irerê (zona sul), que estão em fase de testes, apresentaram resultado satisfatórios e vão continuar em funcionamento. Cada um custa R$ 6 mil.


Marian Trigueiros
Reportagem Local

PM que baleou ladrão e evitou roubo de moto recebe condecoração

O oficial da Polícia Militar que evitou o roubo de uma motocicleta e baleou o suspeito no último fim de semana, foi condecorado nesta sexta-feira (18) com a Láurea de Mérito Pessoal em 1º Grau, o mais alto da honraria da corporação. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a láurea é concedida a policiais que se destacam em atos de bravura. Ele também recebeu um elogio publicamente no Quartel do Comando-Geral durante a entrega da honraria. O oficial da PM de 45 anos presenciou o assalto, deu voz de prisão ao suspeito e, ao perceber que o jovem estava armado, atirou. .

As imagens do assalto e da intervenção policial foram gravadas pela própria vítima com uma câmera acoplada ao capacete e teve grande repercussão nas redes sociais. 

Com a condecoração, a SSP desmente a notícia de que o oficial havia sido afastado de suas funções e incluído no Programa de Acompanhamento e Apoio ao Policial Militar (PAAPM), conforme havia sido divulgado pelo deputado estadual Major Olímpio (PDT). 

Na avaliação do Comando da PM, as imagens mostram uma ação legítima, praticada segundo o procedimento operacional padrão e a postura do oficial em seu horário de folga, pondo em risco a própria vida, demonstra profissionalismo e devoção à causa pública.(Com informações do Terra e G1) 

Redação Bonde