segunda-feira, 25 de novembro de 2013

ASSALTANTES SÃO PRESOS EM ROLÂNDIA

Assaltantes são presos após tentativa de roubo a posto de combustível em Rolândia!

Dois elementos foram presos na manhã desta segunda-feira(25)depois de terem tentado assaltar o Posto Costelão saída para Arapongas. No momento que eles estavam chegando para praticar o roubo um frentista gritou e avisou todos que estavam no estabelecimento, apavorados a dupla fugiu a pé sentido Ceboleiro.A Polícia Militar esteve no local, e em minutos conseguiram a prisão dos dois bandidos, na hora da abordagem a dupla já havia dispensado as armas, depois de horas em diligências a ROTAM conseguiu encontrar escondido em um matagal uma bolsa contendo uma pistola 9 mm,um revolver calibre 38, um colete balístico,tocas, luvas e fita adesiva. Caio Vinicius Amadeu, 18 anos e Adriano de Morais Santos 20, foram presos em flagrante. No final da tarde desta segunda-feira(25) a polícia Civil já havia feito algumas diligências nas residências dos elementos pra ver se encontravam objetos de roubos anteriores na cidade. COBRA REPORTER

VÍDEO HISTÓRIA DO RÁDIO em ROLÂNDIA - RUBERVAL CUNHA - PARTE 2 - By FARINA

FOTO AÉREA ( DE CIMA ) DO ACIDENTE COM O TREM EM SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

G1-GLOBO

GALERIA DE FOTOS: imagens aéreas mostram local de acidente

Oito morreram, entre eles uma grávida e duas crianças. Oito ficaram feridos, cinco permanecem internados.
  • Foto aérea mostra dimensão do acidente

VÍDEO HISTÓRIA DO RÁDIO EM ROLÂNDIA - RUBERVAL FERNANDES CUNHA

ROLÂNDIA - VENDA DE ÁREAS PÚBLICAS ( PRAÇAS ) DE NOVO ??


Pelo que vi na TV agora pouco o prefeito Johnny Lehmann pediu para voltar na pauta da Câmara de Vereadores a venda de algumas praças e áreas públicas de vários bairros da cidade. O ver. Zé de Paula trouxe a denuncia. Pelo que sentimos o povo é contra esta venda pois todo morador dos bairros pagou por estas praças e áreas institucionais. Querem vender os terrenos dos bairros para usar no centro da cidade. A pergunta que fazemos: quem vai pagar a desvalorização dos imóveis destes bairros? É que bairro sem praça e áreas institucionais se desvalorizam.... Venda só com autorização de todos os moradores dos bairros afetados. TEXTO e FOTO de JOSÉ CARLOS FARINA.

COLÉGIO NOVO DO JARDIM ITÁLIA ESTÁ ABANDONADO

25/11/2013 - Um morador da região ligou na TV agora pouco para reclamar que por falta de vigias alguns vândalos estão depredando o Colégio José Alexandre Chiarelli no Conjunto Itália. Eu já tinha denunciado isso a pouco tempo. Vejam a que ponto chega o descaso.... Tem dinheiro para pagar cargos de confiança, publicidade em Rádio, TV e jornal e não tem para pagar vigias. É DE CHORAR. SOCORRO BETO RICHA... JOSÉ CARLOS FARINA

PERSEGUIÇÃO CINEMATOGRÁFICA EM ROLÂNDIA

ADOLESCENTES EMPREENDEM FUGA DA POLÍCIA, EM ROLÂNDIA!

Texto: Jean Henke
Dois adolescentes com idades ainda não divulgadas, cometeram várias infrações de trânsito durante um acompanhamento tático, no final da tarde deste domingo 24, em Rolândia!


Informações via 190, davam conta de que haveriam dois menores, possivelmente armados, pilotando uma motocicleta Falcon vermelha pelas ruas do Jd. Rosangelo.



Uma viatura foi enviada até ao local e fez patrulhamento pela região, quando avistaram uma motocicleta idêntica a repassada pela central de operações (COPOM).



Foi dado voz de parada aos indivíduos, mas os mesmos não respeitaram a ordem de parada e empreenderam fuga, iniciando um acompanhamento tático por toda a cidade. Foi necessário o apoio da ROTAM e de mais uma viatura de área para efetuar um cero à motocicleta.



Durante o acompanhamento, os menores furaram sinais vermelhos, cruzaram várias preferenciais e desenvolveram alta velocidade, o que colocava em risco a vida de outras pessoas que circulavam pelas vias públicas. A polícia acredita que os adolescentes possam ter dispensado algum objeto durante a fuga e pede para que se alguém viu ou possa colaborar com alguma informação, que informe a polícia através do 190.





 Mais fotos:





PALESTRA CONTRA O CHUMBO EM ROLÂNDIA HOJE NA CÂMARA

QUERO A PRESENÇA DE JOHNNY LEHMANN e ERNESTO NOGUEIRA. HOJE Á TARDE (A PARTIR DAS 18:00H) NA SESSÃO DA CÂMARA FALARÁ NO ESPAÇO DA TRIBUNA LIVRE A DRA. YABE (QUÍMICA-UEL)... A GRAVE SITUAÇÃO DA FALTA DE ÁGUA EM ROLÂNDIA DEVERÁ ESTAR NA PAUTA... ISSO INTERESSA TANTO CIDADE COMO AGRICULTURA. QUE A IMPORTANTE PRESENÇA DO SINDICATO E PESSOAS LIGADAS Á ROLÂNDIA PUDESSEM APROVEITAR O MOMENTO. ABRAÇO, DANIEL

FARINA GANHA AÇÃO PARA PRESERVAR O JARDIM VALE VERDE ( MATA CILIAR DE 70 METROS)

AÇÃO CIVIL PÚBLICA-0000330-18.2003.8.16.0148- ASSOCIAÇÃO MOVIMENTO NOSSA TERRA DE ROLÂNDIA - AMONTER  e outro  x  NARCISO FERNANDES BOUÇAS JUNIOR e outros-  O feito comporta julgamento antecipado, na forma do inciso I do art. 330 do Código de Processo Civil, vez que os fatos encontram-se suficientemente demonstrados, e a matéria pendente de julgamento, em consequência, e consoante restará assente, é exclusivamente jurídica, o que enseja, desde logo, a entrega da prestação jurisdicional. Cumpre, contudo, e antes de tudo, dirimir questões processuais ainda pendentes. Em verdade, uma melhor análise da petição inicial teria ensejado ordem para emenda, evitando-se, inclusive, o verdadeiro tumulto processual instaurado com a citação daqueles cuja pertinência subjetiva para litigar a respeito do conflito trazido a Juízo é - e sempre foi -inexistente. Ora, o que as autoras pretendem, mediante o ajuizamento desta ação, é tão somente a condenação do Município de Rolândia/PR à readequação dos projetos do loteamento Jardim Vale Verde à legislação aplicável, de forma que eventual acolhimento de tal pedido em nada esbarraria na esfera jurídicas das demais pessoas indicadas no pólo passivo, e que não poderiam ser atingidas por tal decisão, em consequência. Não há, pois, como condenar um Vereador, ou uma empresa privada, a executar determinados projetos, e de determinada forma, quando, sabe-se, tal atribuição cabe exclusivamente ao Poder Executivo. A exceção do Município de Rolândia/PR, pois, as demais pessoas indicadas no pólo passivo não detém legitimidade ad causam, de forma que o feito deverá ser julgado extinto, em tal particular, sem resolução de mérito. O pedido de denunciação da lide formulado pelo réu Eurides Moura, por sua vez, não bastasse prejudicado por aquilo que acima assentado, é totalmente despropositado, eis que inocorrentes - sequer mencionadas - quaisquer das hipóteses previstas nos incisos do art. 70 do Código de Processo Civil. A tese quanto à alegação de que a pretensão das autoras encontra-se acobertada pela coisa julgada (ou de que seria contraditória relativamente àquilo que anteriormente determinado à Municipalidade), por sua vez, é igualmente descabida, vez que o fato do Município de Rolândia/PR ter sido condenado judicialmente a proceder ao loteamento Jardim Vale Verde, não significa que tal obrigação possa ser adimplida de qualquer modo ou a qualquer custo (a margem da legalidade, por exemplo), daí, inclusive, a razão de existir desta ação. Consigno, no mais, ainda a fim de dirimir questões processuais pendentes, que o Município de Rolândia/PR, a rigor, é revel, vez que na primeira vez que compareceu nos autos limitou-se a postular pelo reconhecimento de benefícios processuais que decorrem de lei e defender direito alheio, deixando, contudo, de impugnar especificamente os fatos e argumentos articulados na petição inicial (fls. 147/149). Seja como for, mas a vista da relevância da matéria debatida, bem como porque se trata de questão eminentemente jurídica, deixo de aplicar os efeitos da revelia, razão pela qual as teses de direito invocadas de lado a lado serão consideradas nesta decisão. Assentadas as premissas supra, e no mérito, outra não pode ser a conclusão senão que o pedido formulado na petição inicial deve ser acolhido. A propósito, a tese de que o pedido das requerentes cinge-se à declaração de "ineficácia" de lei municipal, e que, portanto, o pedido é juridicamente impossível (em verdade, inadequação da via eleita), não procede. É que há muito se assentou o entendimento de ser possível a declaração de inconstitucionalidade/ilegalidade de lei em ação civil pública, desde que isso seja feito de forma incidental de forma a resolver questão prejudicial indispensável ao atingimento do provimento final. Ou seja, o pedido formulado na ação civil pública não pode se restringir à declaração incidental de inconstitucionalidade, mas deve ir além disso, buscando um outro resultado que tenha por base essa declaração de inconstitucionalidade. Ora, as autoras pretendem a declaração meramente incidental de inconstitucionalidade da Lei Municipal nº 2.928/02, vez que o objetivo desta ação, em verdade, e consoante já se consignou linhas atrás, é evitar que o Poder Executivo execute projetos com base em referido diploma legal, qualificado como "aberração jurídica". O que as autoras pretendem, pois, e em última análise, é que o Poder Público, ao promover projeto de loteamento do Jardim Vale Verde, assim o faça em estrita observância às leis que reputam juridicamente válidas, seja aquelas municipais, estaduais ou federais (dada a competência concorrente dos entes da Federação para legislação acerca do meio-ambiente), abstendo-se, em especial, de executar projetos em conformidade com a Lei nº 4771/65 (antigo Código Florestal). Seja como for, tal discussão, a esta altura, é inócua, já que a Lei nº 4771/65 foi expressamente revogada pela Lei nº 12.651/12, não havendo que se falar, em consequência, na aplicabilidade daquele diploma legal. Note-se, a propósito, que o pedido formulado pelas autoras somente não carece de interesse processual (já que não há qualquer sentido em postular em Juízo a condenação de alguém ao cumprimento de lei), porque, ao que tudo indica, a municipalidade insiste em atribuir vigência a texto de lei municipal que, a esta altura, repristina vigência de lei federal expressamente revogada, o que, efetivamente, e em tal sentido, configura absurdo jurídico. Ante o exposto, ao tempo em que JULGO o feito extinto sem resolução de mérito relativamente aos réus Eurides Moura, Narciso Fernandes Bouças Júnior, Arno Andreas Giesen, Enéias Galvão, Eugênio Serpeloni, Ismael Ferreira Martins, José Danilson Alves de Oliveira, José Giuliangeli de Castro, Milton Alves, Paulo Augusto Farina, Paulo Santis, Valdemiro Anesi, Waldiceu Aparecido Verri e K.R.B. Construtora de Obras Ltda, o que faço com arrimo no inciso VI do art. 267 do Código de Processo Civil, JULGO PROCEDENTE o pedido formulado na petição inicial para DECLARAR incidentalmente a inconstitucionalidade da Lei Municipal nº 2928/02, e, em consequência, CONDENAR o Município de Rolândia a readequar o(s) projeto(s) atinentes ao loteamento Jardim Vale Verde à legislação municipal, estadual e federal pertinente, extinguindo o feito, neste particular, com resolução de mérito, na forma do inciso I do art. 269 do já citado diploma legal. Conquanto sucumbente relativamente aos réus excluídos do pólo passivo, deixo de condenar as associações ao pagamento de custas e honorários, por ausência de comprovação de má-fé (Lei nº 7.347/85, art. 18). Por outro lado, porque sucumbente, condeno o Município de Rolândia ao pagamento das custas judiciais devidas pelo ajuizamento desta ação e aos honorários devidos ao(s) advogado(s) da parte autora, os quais fixo, por equidade, sopesados os critérios legais, em R$ 1.000,00 (mil reais). Ciência ao Ministério Público." -Adv. do Requerente JOSÉ CARLOS FARINA 

LEI Nº 2928/2002

PERMITE QUE O LOTEAMENTO JARDIM VALE VERDE TENHA SUAS ÁREAS "NON AEDIFICANDI" E DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE, AS ESPECIFICAÇÕES DA LEI FEDERAL Nº 4.771/65.
A CÂMARA MUNICIPAL DE ROLÂNDIA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou e eu PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º - Fica o Município de Rolândia autorizado a executar as obras do loteamento Jardim Vale Verde de acordo com as metragens e especificações da Lei Federal nº 4.771/65, tanto no que se refere a área "non aedificandi" quanto a de preservação permanente ou ambiental.
Art. 2º - Esta Lei tem a finalidade única e exclusiva de regularizar a situação de fato e de direito existente antes da vigência da Lei Municipal nº 2.558/96, não se aplicando a outros casos.

Art. 3º - Fica o Prefeito Municipal autorizado a declarar de utilidade pública as áreas que se encontrarem dentro da faixa de 30,00 (trinta) metros lineares contados a partir da margem do córrego existente, bem como a proceder os processos de imissão de posse dos lotes abrangidos, a saber:
- Quadra 08 - lotes: 14, 15 e 16
- Quadra 09 - lotes: 10, 11 e 12
- Quadra 03 - lotes: 17 e 18.
Art. 4º - Revogadas as disposições em contrário esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.
Prefeitura Municipal de Rolândia, em 22 de Julho de 2002.
EURIDES MOURA
Prefeito Municipal


PLANO DIRETOR ( 1996 ) ESTABELECE  UMA FAIXA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL EM TODOS OS FUNDOS DE VALES LOCALIZADOS NA ÁREA URBANA DE 70,00 METROS LINEARES AO LONGO DOS RIOS E NASCENTES.

Furacão pode atingir o Brasil ainda esta semana, alerta meteorologistas

Segundo estudos recentes na área de meteorologia, o Brasil tem cerca de 85% de chances de ser atingido – e devastado – por um furacão nos próximos dias

21/11/2013 | Categoria: Noticias

Os bombeiros de todo o Brasil estão em estado de alerta por conta de um possível furacão previsto para esta semana em terras tupiniquins.
O IMBRAIM (Instituto de Meteorologista Brasileiro Associado Internamente) deixou claro que há cerca de 85% de chances de um furacão passar pelo Brasil ainda esta semana.
“Provavelmente conheceremos a fúria de um furacão.  É bom que estejamos preparados para o pior, por isso os bombeiros já estão fazendo um treinamento próprio para lidar com este tipo de situação” disse Fraga Mello, capitão de emergências do IMBRAIM.
Alerta:
Fraga ainda nos disse que o furacão só chegará acompanhado de chuva. Portanto, se chover, tome cuidado pois esta chuva pode estar acompanhada de um fenômeno da natureza sem precedentes no Brasil.