terça-feira, 26 de novembro de 2013

Helicóptero de Senador Zezé Perrella com 400 quilos de cocaína pura

Helicóptero da família de senador é apreendido com 400 kg de cocaína no ES. O helicóptero é da empresa Limeira Agropecuária, que tem o deputado estadual Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella (foto), como um dos sócios: http://folha.com/no1376551

Laudo médico descarta necessidade de regime domiciliar para Genoino


Fernanda Calgaro
Do UOL, em Brasília
  • Eduardo Knapp - 15.nov.2013/Folhapress
    O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores José Genoino ao se entregar à Polícia Federal no último dia 15
    O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores José Genoino ao se entregar à Polícia Federal no último dia 15
O laudo da junta médica que avaliou o deputado licenciado José Genoino (PT-SP), um dos presos pela condenação no julgamento do mensalão, a pedido do STF (Supremo Tribunal Federal), afirma que não "é imprescindível a permanência domiciliar fixa". O parecer servirá de base para o presidente do tribunal, ministro Joaquim Barbosa, decidir se concede em definitivo a prisão domiciliar para ele.
A avaliação foi realizada no último sábado (23), em Brasília, por uma junta de médicos indicados pela UnB (Universidade de Brasília) e pelo Hospital Universitário de Brasília, coordenada por Luiz Fernando Junqueira Júnior, e o resultado foi divulgado hoje.
O documento diz que Genoino é portador de "cardiopatia que não se caracteriza como grave". Afirma ainda que ele é portador de hipertensão arterial sistêmica "leve a moderada", que deve ser controlada por meio do uso continuado de medicação, aliada a uma dieta com pouco sal e restrição de atividade física pesada. A junta médica afirma que o tratamento deve ser associado à "prática regular de leve a moderada atividade física aeróbica e restrição da influência de fatores psicológicos estressantes", acrescentando que não é "imprescindível, para tanto, a permanência domiciliar fixa do paciente".
O laudo observa ainda que ele é portador de "distúrbio de coagulação", que deve ser controlado por meio de exames periódicos para ajustar as doses do remédio. No entanto, reitera mais uma vez que, enquanto Genoino receber o tratamento anticoagulante, não é "imprescindível (...) a permanência fixa do paciente".
O relatório traz um breve histórico da saúde de Genoino e da cirurgia pela qual passou em julho. Ressalta que recentemente vivenciou um "intenso estresse emocional" e, desde a sua prisão, "vem apresentando um conjunto de manifestações clínicas sintomáticas, de forte componente psicossomático".
O laudo cita, entre as queixas do petista: dor de cabeça, palpitações, tontura, diarreia e constipação intestinal, rouquidão, anorexia, escarros ferruginosos e cansaço. Diz que os sintomas apresentados por Genoino recentemente, como escarros ferruginosos e sangramento nasal, provavelmente foram causados pela dose errada do remédio, "que uma vez ajustada fez desaparecer aquelas manifestações".
Ao ser avaliado pelos médicos no sábado à tarde, Genoino não apresentava nenhum desses sintomas, segundo o laudo, "apenas certa ansiedade, rouquidão e cansaço ao esforço de falar". A pressão arterial dele estava 12 por 8.
Na última quinta-feira (21), o deputado, que foi preso no dia 15 de novembro em São Paulo e depois transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, passou mal e foi internado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal.
Após ter sido descartada a hipótese de infarto, o parlamentar foi colocado em prisão domiciliar.
O documento foi encaminhado diretamente ao STF, porém não se sabe quando. Joaquim Barbosa poderá enviar o documento para análise da Procuradoria Geral da República antes de definir sobre o pedido ou decidir diretamente sobre o caso.

Igreja pede fim de privilégios aos mensaleiros


mensaleiros na cadeia - Evando Éboli -  O Globo

A Pastoral Carcerária Nacional, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, criticou o livre acesso de políticos e de amigos e parentes dos condenados do mensalão nas visitas ao Complexo da Papuda. O coordenador nacional da Pastoral, padre Valdir João Silveira, afirmou que os visitantes não devem ter privilégios e que sejam submetidos às revistas, ainda que humilhantes e vexatórias, para conhecerem a realidade do sistema carcerário do país. Padre Valdir disse que a principal novidade do mensalão é que o setor mais privilegiado da sociedade está conhecendo como funcionam os cárceres no país.

"Todos deveriam passar pelas revistas, para que os amigos deputados, senadores e até ministros vejam como são os presídios no Brasil. E que passem também por revista vexatória por que todos os familiares de presos passam. Eles ficam despidos e examinados em situação humilhante. Que sintam o que milhares de pessoas sentem ao visitar seus parentes" disse o padre Valdir.

O coordenador afirmou que a Papuda é um dos presídios mais rigorosos no controle e nas revistas e que os integrantes da própria Pastoral Carcerária, durante anos, passaram por constrangimentos para chegar aos presos. "Estive na Papuda. É dos locais de revista mais vexatória. Agora diminuiu um pouco" disse. "Os privilégios e as exceções geram mal-estar nos demais familiares de presos. O tratamento precisa ser igual para todos".

O padre Valdir propôs também que os condenados do mensalão cumpram suas penas nos seus estados de origem, para que se conheçam as condições de diversos presídios do país. Para ele, a discussão sobre o sistema prisional, neste momento, está focada apenas em Brasília, e no Complexo da Papuda:

"Quanto mais os presos do mensalão forem espalhados pelo Brasil, em unidades prisionais de seus locais de origem, seus colegas políticos, ao visitá-los, conhecerão o sistema prisional, onde nunca pisaram antes. Será bom porque vai provocar um debate e questionamentos das autoridades e da sociedade sobre o assunto"

GENOÍNO PODERÁ VOLTAR PARA A CADEIA

Genoino não precisa de prisão domiciliar porque não tem doença grave, diz laudo da UnB. Agora Joaquim Barbosa decidirá se condenado no mensalão vai voltar ao presídio da Papuda. Veja mais emhttp://oesta.do/1dyP0mO (via Politica Estadão). Foto: JF Diório/Estadão - 20/2/2013

DIRETORIA VAI COBRAR EX-DIRETORIA DA COROL

Segundo ouvi agora na Rádio terra Nativa de Cambé com a radialista Ted Perez a atual diretoria da COROL pode cobrar judicialmente a ex-diretoria pelas diferenças  constatadas entre os balancetes forjados e a realidade apurada pela auditoria. É que a diferença foi muito grande. A ex-diretoria falava em uma dívida de R$ 300 milhões e o que foi apurado é R$ 800 milhões. Vejam que o patrimônio total da empresa é de R$ 400 milhões. O advogado da atual diretoria na entrevista disse também que faltou documentos. Lamentável que a destilaria está toda sucateada. De positivo apenas foi o sucesso da Ação Popular do advogado Paulo Costa que conseguiu anular todas as penhoras e hipotecas que recaíram sobre o terreno de Município com 30 alqueires em São Martinho. Aquele lote que Eurides e a Câmara da época doaram para a Corol montar um frigorifico de boi.  TEXTO e FOTO de  JOSÉ CARLOS FARINA

VÍDEO VEREADORES DE ROLÂNDIA - CHUMBO OU ÁGUA LIMPA??

PRESO TIRA FOTO E PÕE NO FACEBOOK

Preso tira foto em delegacia do Paraná e posta no Facebook

Redação Bonde
Um preso da Delegacia de Campo Largo (região metropolitana de Curitiba) usou um celular para fazer uma foto sua e de outros detentos. A imagem foi postada no perfil dele do Facebook por volta das 22h de segunda-feira (25). 

A polícia descobriu a situação após o recebimento de uma denúncia anônima. O preso confessou que fez a foto, mas afirmou que a imagem foi publicada no Facebook por sua mãe. 

Reprodução/Facebook


O perfil do preso na rede social já foi excluído. Ele será punido, de acordo com a polícia. A delegacia também pretende realizar uma operação para recolher celulares da cadeia. 

A unidade, com capacidade para 28 presos, abriga 100 detentos atualmente.

ROLÂNDIA EM PERIGO ( CHUMBO - ÁGUA - AGRICULTURA - POVO )



Fantástica definição de nossa real situação

Só cego não vê que estamos permitindo que os gestores públicos coloquem seus interesses políticos á frente do que realmente é bom para a população com a tentativa de industrializar a PR 170.

Até quando vamos agir como burros com a sela no lombo puxando a carroça da hipocrisia carregada de falastrões, que usam a palavra desenvolvimento para seu próprio benefício. Não é possível que a consciência deles não doa quando de fato se deparam com a realidade que é lógica e muito mais clara que a água que estamos consumindo.
Fantástica definição de nossa real situação


  • José Carlos Farina ONTEM COMPARECEU DOIS ESPIÕES DA IND. DE CHUMBO... UM DELES CHEGOU A ABORDAR A MARIA JOSEFA....

Vídeo mostra mulher sendo atropelada no PR ( imagens são fortes )



IMAGENS FORTES

Redação Bonde
Uma mulher foi atropelada pelo motorista de um táxi durante a manhã desta terça-feira (26) no centro de Maringá (noroeste do Paraná). Ela ficou gravemente ferida, de acordo com o Corpo de Bombeiros. 

A mulher esperava para atravessar a rua em uma faixa de pedestres quando acabou atingida em cheio pelo táxi. Antes de bater contra a vítima, o taxista havia se envolvido em uma colisão com outro carro. 

A mulher foi arremessada depois da colisão. O táxi rodou na pista e só parou após bater contra um veículo parado. 

A atropelada foi encaminhada em estado grave para o Hospital Santa Rita. Os outros envolvidos sofreram apenas ferimentos leves. 

Veja o vídeo do acidente; as imagens são fortes

Rapaz é assassinado com 7 tiros

Um rapaz de 20 anos caiu morto dentro de casa, na noite desta segunda-feira (20), em Cambé. O crime foi registrado por volta das 23h, na rua Caingangues, no Jardim Tupi. 

Jonatas Ruela de Oliveira foi assassinado com sete tiros. Conforme o Siate, ele foi atingido no crânio, abdômen, duas vezes no dorso e três no tórax. 

A Polícia Militar tem informação de que uma pessoa alvejou Jonatas no portão de casa. A vítima tentou correr e morreu no interior da residência. O suspeito teria fugido em um carro. 

O corpo de Jonatas foi encaminhado ao IML de Londrina.

Lucas Emanuel Andrade - Redação Bonde

COROL ROLÂNDIA - DÍVIDA MAIOR QUE PATRIMÔNIO

Corol negocia dívidas que devem chegar a R$ 800 mi


Valor é 166% maior que o divulgado no último balanço da cooperativa; técnicos adiaram anúncio de auditoria por divergências em números desde 2009
Os diretores da Corol Cooperativa Agropecuária se reuniram ontem, em Curitiba, com os maiores credores da organização de Rolândia, para negociar dívidas estimadas em R$ 800 milhões. Apesar de a auditoria interna contratada em julho não ter acabado ainda, o assessor jurídico da associação, Anacleto Giraldeli Filho, diz que há informações de que o valor seja 166% maior do que os R$ 300 milhões do último balanço, relativo a 2011. 

No encontro de ontem, o advogado e o presidente da Corol, João Menolli, pediram paciência aos principais credores da cooperativa, instituições como o Banco do Brasil, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Fertipar Fertilizantes. Eles, que assumiram o grupo em julho, buscaram convencer os executivos de que as dívidas são altas e que é melhor para todos que sejam quitadas. A outra opção é que a cooperativa seja liquidada em leilões, o que reduziria o valor arrecadado. "Temos R$ 800 milhões em dívidas e R$ 400 milhões em patrimônio, então muita gente ficaria sem receber", diz Giraldeli Filho. 


A cooperativa sofre com a ameaça de processos antigos, que pedem a venda das instalações do grupo em leilões para quitar débitos. No início deste mês foi anunciado que itens como a sede, a fábrica de sucos e os barracões seriam vendidos pelo maior lance no dia 5 de dezembro, mas Giraldeli Filho conseguiu cancelar o pregão. "Mostramos avaliações de mercado recente que comprovaram que existiam instalações que seriam vendidas por R$ 7 milhões, quando na verdade valiam R$ 45 milhões. O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Londrina entendeu que a venda não poderia ser por valor vil." 


Os representantes da Corol dizem que a auditoria não acabou ainda porque foram identificados erros nos balanços desde 2009, ano em que a associação entrou em crise. "Os técnicos não aceitaram fechar os números de 2012 porque os de 2009 a 2011 estavam maquiados", diz o advogado. Ele diz que a situação não é boa, mas que é possível resolvê-la. 


A Corol contratou a PricewaterhouseCoopers para fazer o balanço patrimonial e a Martinelli Advocacia Empresarial para levantar questões societárias, trabalhistas, previdenciárias, tributárias, cíveis e certidões. Quem analisa o patrimônio e determina o valor de mercado da cooperativa é a Engeval Engenharia de Avaliações. A expectativa dentro da cooperativa é que os números finais sejam finalizados até o próximo dia 15, para que depois sejam apresentados aos associados, em assembleia. 


Histórico 


A Corol enfrenta uma crise desde 2009 e entrou em racha interno no início deste ano. Um grupo de 600 produtores havia assinado 903 Notas de Crédito Rural (NCRs), no valor de R$ 15 milhões. A administração anterior usou os papéis como garantia na busca por crédito com o BRDE, mas não quitou as NCRs e alguns cooperados acabaram com o nome executado no Serasa. 


Como a diretoria anterior não havia apresentado o balanço de 2012 até junho, o que é exigido pelo estatuto da Corol, uma comissão de associados forçou a destituição da administração da cooperativa, em assembleia. O mesmo grupo, capitaneado por Menolli, assumiu a cooperativa em julho, com a missão de renegociar as dívidas.

Fábio Galiotto - Reportagem Local



COMENTÁRIO - QUE LÁSTIMA!... R$ 800 MILHÕES.... Uma diretoria que se dizia "a melhor"...   falência de uma cooperativa onde todos os agricultores sempre ajudaram comprando, armazenando e pagando por todos os serviços prestados.  Mesmo obtendo ajuda financeira dos Bancos oficiais não livrou a instituição da falência. Enquanto isso a COCAMAR e COAMO ( aqui do lado ) apresentam sucessivos superávits e distribuição de lucros aos seus cooperados. É LAMENTÁVEL!... JOSÉ CARLOS FARINA

Padre e Diocese de Umuarama terão de pagar R$ 50 mil cada ( PEDOFILIA )

FOLHA DE LONDRINA
Igreja é condenada a indenizar vítima de pedofilia
Umuarama - Um padre da paróquia da cidade de São Tomé (Noroeste) e a Diocese de Umuarama foram condenados pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pagarem indenização a um garoto que sofreu abuso sexual em 2012, quando tinha 14 anos. A indenização arbitrada pelo STJ foi de R$ 100 mil, sendo que cada um deles deverá pagar R$ 50 mil "de forma solidária". 

A decisão foi tomada em julgamento realizado no dia 19, quando o STJ analisou um recurso da Diocese, que questionou condenação no Tribunal de Justiça do Paraná. O STJ confirmou que aconteceu um "ato ilícito" do padre com "responsabilidade civil" da Igreja. Até o final da tarde de ontem a decisão ainda não havia sido publicada no Diário Oficial. 

O advogado da Diocese de Umuarama e do padre, Hugo Sarubbi Cysneiros de Oliveira, argumentou que não houve responsabilidade solidária, uma vez que os atos foram "exclusivamente" praticados pelo padre, que "desenvolvia trabalho voluntário e vocacional de ordem religiosa". Ele classificou a decisão do STJ como "fraca, simplista, perigosa e pobre tecnicamente". "A instituição não tem como vigiar a pessoa, que é ré confessa, 24 horas por dia. Ele estava desconectado de suas funções", argumentou. 

O TJ entendeu que o fato de o padre cumprir funções e horários na igreja foi "suficiente para configurar a relação de preposição". Para a relatora do caso no STJ, ministra Nancy Andrighi, a subordinação do padre à Igreja ficou "clara". "O primeiro recebia ordens, diretrizes e toda uma gama de funções do segundo, e, portanto, estava sob seu poder de direção e vigilância, mesmo que a ele submetido por mero ato gracioso (voto religioso)." O voto foi acompanhado pelos outros três ministros da Terceira Turma. 

Oliveira sustenta que a decisão demonstra um "profundo desconhecimento" sobre as funções dos membros da Igreja Católica. "Um padre é um padre 24 horas por dia, mas suas atribuições não são exercidas o dia inteiro", argumentou. O advogado afirmou que a partir do momento em que ele se fecha em seu quarto passa a agir de maneira privada. 

Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo e Mestre em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, Edson Martins destacou que "esse problema acontece em todos os segmentos da sociedade e só ganhou mais visibilidade porque envolveu um padre". Declarou ainda que casos como esse desgastam a imagem da Igreja Católica, mas lembrou que a própria instituição está agindo para coibir a pedofilia. Entre as medidas já adotadas estão uma vigilância maior nos seminários vocacionais e uma maior fiscalização dentro da própria Igreja. "Com a repreensão da própria Igreja, os outros que cometem esses atos acabam sendo desestimulados", apontou.
Vítor Ogawa - Reportagem Local