quinta-feira, 31 de julho de 2014

DEIZINHO DO VERMELHO - ROLÂNDIA - PR.

Aqui nos anos 80 fiz um trabalho ao lado dos Caixeta e Mioto... fundei a Associação de Moradores e conseguimos alguns benefícios. Mas isso faz tempo... poucos lembram-se... fiz igual trabalho no Cafezal, Gilgalla, Caramuru e Ceboleiro. JOSÉ CARLOS FARINA

VÍDEO MOSTRA PROBLEMAS COM ENTULHOS EM LONDRINA

Dois ecopontos ( ENTULHOS ) são lacrados pelo IAP em Londrina

O lixo a céu aberto continua sendo um problema na cidade de Londrina. Nesta semana, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) interditou dois ecopontos: do Jardim Bandeirantes, zona oeste de Londrina, e do Califórnia, zona leste. O IAP ainda fará uma revisão nos outros ecopontos e pode até ordenar o fechamento se necessário.
O objetivo desses ecopontos era destinar entulhos para a separação do lixo e impedir que a população jogasse nos fundos de vale, porém, a falta de orientação, fiscalização e de funcionários para receber e recolher os entulhos, gerou um acúmulo de objetos e os pontos viraram um verdadeiro “lixão a céu aberto”.
No Jardim Califórnia ocorreu um incêndio que produziu fumaça tóxica, já que no local havia colchões, latas de tintas e outros objetos. Colégios, creches e até o aeroporto foram afetados pela fumaça.

IAP CONCEDE PRAZO PARA DESCARTE DE ENTULHOS EM LONDRINA

13/05/2014 -

IAP dá prazo para CMTU regularizar descarte de resíduos em Londrina

Guilherme Batista - Redação Bonde


O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) voltaram a discutir a situação dos ecopontos de Londrina na tarde desta terça-feira (13). O órgão estadual deu 30 dias para que o município regularize o descarte de resíduos na cidade. O IAP quer que a CMTU substitua os ecopontos pelos chamados Postos de Entrega Voluntária (PEVs). 


Saulo Ohara/Equipe Folha




A alternativa foi anunciada pela CMTU no ano passado, mas ainda não saiu do papel. A companhia alega que não tem dinheiro para fazer a substituição dos ecopontos pelos PEVs. O projeto de implantação dos postos tem custo aproximado de R$ 600 mil. 



A situação dos ecopontos voltou à tona nesta semana depois de um deles, localizado no conjunto Nova Conquista (zona leste), ter sido incendiado. Outro local, que fica no jardim Primavera (região norte), está abarrotado de lixo. O único ecoponto apto a receber resíduos em Londrina atualmente fica localizado no jardim Santa Rita V (zona oeste). 



O IAP informou que se a CMTU não apresentar o projeto dos PEVs em 30 dias, vai poder ser notificada e até multada pelo órgão. O instituto destacou, ainda, que nenhum dos ecopontos de Londrina têm licença ambiental. As autorizações venceram em abril e não foram renovadas. 



O IAP também chama atenção para um dado preocupante: o número de pontos de descarte irregular subiu de 249 para 305 em Londrina do ano passado para cá. (com informações do repórter Vitor Ogawa, da Folha de Londrina)

CLIQUE E VEJA O VÍDEO DA GLOBO

ROLÂNDIA - FEIRA DA LUA HOJE NA PRAÇA CASTELO BRANCO

31/07/14 - FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA








































ROLÂNDIA - ATERRO DA ANTIGA PEDREIRA CONTINUA INTERDITADO


Pelo que vi no vídeo da TV local a situação do aterro para entulhos da antiga pedreira está irregular desde 2007. O município foi autuado e o local interditado desde quarta-feira. O chefe do IAP concedeu entrevista ao canal e falou que se houver desobediência o prefeito e o secretário poderão ser pessoalmente  responsabilizados. 

COMENTÁRIO: Aconselho o prefeito e secretário da área a pesquisarem como funciona os depósitos de entulhos na região de Londrina. Na minha modesta opinião o "depósito da pedreira" deveria receber autorização para receber apenas entulhos de obras, ou seja, restos de areia... pedra.. tijolos  e  terra. Os funcionários da secretaria teriam que fiscalizar todas as cargas evitando a entrada de Lixo orgânico.   TEXTO e FOTO de JOSÉ CARLOS FARINA
CLIQUE- DECISÃO DE 2005 CONTRA A PREFEITURA

RECEITAS MILAGROSAS E CASEIRAS CONTRA TOSSE DO TIO FARINA


EXPERIMENTADA E COMPROVADA


Ferva por 3 minutos um copo  de água com duas colheres rasas de gengibre picado em pedaços pequenos.... após acrescente uma colher de açúcar cristal e ferva por mais 2 minutos.... desligue o fogo e esprema um limão médio. Mexa bem. Tome quente de preferência ao deitar-se. 

OBS.: Beba em doses pequenas... não tome tudo de uma vez... se o paciente for adulto e não estiver consumindo remédios de farmácia pode-se acrescentar ao xarope umas três colheres de pinga ou conhaque. Se a tosse for muito forte.. além de beber o xarope é aconselhável mastigar também pequenos pedaços de gengibre. O alívio é na hora.

2ª RECEITA

Ferva um copo de leite com 3 dentes grandes de alho amassados. Quando começar a ferver desligue o fogo e acrescente uma colher cheia de mel.  Tomar ao deitar-se à noite. 
JOSÉ CARLOS FARINA


LONDRINA - Excesso de pombos e saúde pública

31/07/2014 - FOLHA DE LONDRINA

Fragmento remanescente da extensa mata que cobria o Norte do Paraná até os anos 40 do século passado, o Bosque Marechal Rondon tornou-se um problema de saúde pública em Londrina nos últimos anos. Em vez de funcionar como "pulmão" verde para a poluição causada pelo intenso tráfego de veículos do centro da cidade, o local serve de dormitório para milhares de pássaros. No final da tarde, o Bosque é invadido principalmente pelas pombas amargozinhas (Zenaida auriculata) que deixam um rastro de sujeira de suas fezes quando partem pela manhã em busca de alimentos no campo. 


O crônico problema de mau cheiro e sujeira no Bosque persiste há anos sem que uma solução seja encontrada. A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), já fez várias tentativas para reduzir o número de aves. Foram construídos pombais, usados repelentes químicos e eletromagnéticos, feita poda de árvores e até soltura de predadores naturais, como gaviões. Nenhuma iniciativa surtiu efeito. 

Agora, inspirada numa experiência de Araraquara (SP), a administração municipal instalou refletores direcionados para duas árvores próximas da calçada da Avenida Rio de Janeiro. A meta é afugentar os pombos para o centro do Bosque, e assim deixar as calçadas onde o público circula livre dos excrementos. O teste deve durar 15 dias, mas os moradores próximos parecem duvidar se o objetivo proposto será alcançado. A descrença ocorre justamente pela série de medidas paliativas já tentadas. 

Vale lembrar que as fezes dos pombos transmitem doenças, como a criptococose que ataca o sistema respiratório do homem, além dos piolhos. Portanto, é um problema de saúde pública que precisa ser encarado com mais empenho pelas autoridades municipais e estaduais. Já se buscou autorização do Ibama para exterminar parte dessa superpopulação de aves, mas a ideia não seguiu adiante. 

Em artigo publicado dia 16 de julho na FOLHA, o pesquisador Norman Neumaier, de Londrina, sugere várias ações de manejo para se combater essa verdadeira praga que incomoda os moradores do entorno. Entre elas, inclui-se o abate do excesso populacional e monitoramento contínuo das aves. Será que alguém do poder público contatou o pesquisador para ouvir seus apontamentos?

ROLÂNDIA - CUIDADO COM A DENGUE


DENGUE, AINDA NÃO ESTAMOS LIVRE!
Fique atentos em suas residencias, não deixem água parada de qualquer maneira. TODO CUIDADO É POUCO. DENGUE MATA!!!

OREMOS PELA PAZ NA FAIXA DE GAZA e ISRAEL


Oremos por todas as vítimas inocentes dessa guerra.
"Enquanto houver a filosofia de que existe um povo superior e outro inferior sempre existirá guerra."
Haile Selassie