sábado, 21 de março de 2015

Retrospecto de Furacão Atlético e Nacional de Rolândia

Retrospecto de Furacão e Nacional de Rolândia - Foto: Geraldo Bubniak - arquivo



Foto: Geraldo Bubniak - arquivo

O Atlético Paranaense volta a enfrentar o Nacional de Rolândia na Arena da Baixada, neste domingo (22), após cinco anos. O último confronto no estádio, na Arena 1999-2011, aconteceu em 12 de abril de 2009. Com gol de Julio dos Santos, o Furacão venceu os visitantes por 1 a 0.
Além deste duelo, a Arena da Baixada foi palco de outros quatro jogos entre os clubes. O Rubro-Negro levou a melhor duas vezes, com duas goleadas por 5 a 1 (em 2006 e 2007), e empatou em outras duas oportunidades, em 1 a 1 (2005) e 2 a 2 (2009). Relembre este jogo em fotos exclusivas.

Atlético Paranaense e Nacional se enfrentam na Arena da Baixada às 18h30 deste domingo (22), pela 10ª rodada do Estadual 2015. O clube visitante é o 11º na tabela de classificação, com três pontos conquistados em nove partidas.

Na história do confronto, este será o 11º duelo entre atleticanos e nacionalistas. A vantagem é do Furacão, que venceu cinco vezes. O NAC venceu uma e ainda aconteceram quatro empates.

Fonte Assessoria de Imprensa

POUCOS TORCEDORES PARA O JOGO ATLÉTICO x NACIONAL DE ROLÂNDIA

No Paranaense, a Arena da Baixada é um estádio quase exclusivo para sócios. (Hugo Harada/ Gazeta do Povo)

GAZETA DO POVO

Sem sócio, Atlético tem público de Nacional de Rolândia. Atletiba salva o Coritiba

No Paranaense, a Arena da Baixada é um estádio quase exclusivo para sócios. (Hugo Harada/ Gazeta do Povo)
Uma das características mais marcantes da política de sócios da dupla Atletiba é manter um ingresso avulso caro. No Couto Pereira, o ingresso cheio mais barato na bilheteria custa R$ 95. Na Arena Baixada são R$ 150. Em ambos os casos, a intenção é forçar o torcedor a se associar – para os mesmos setores, o bilhete avulso equivale a uma mensalidade. Em um campeonato de pouco apelo como o Paranaense, o resultado é uma venda inexpressiva de entradas avulsas. Tão inexpressivas que equivale os campeões de bilheteria do Estadual aos times com menores médias de público.

Nos cinco jogos que fez como mandante, o Atlético vendeu apenas 1.116 ingressos. A média de 223 ingressos avulsos por jogo é inferior à do Nacional de Rolândia, lanterna de público no Paranaense com 252 torcedores por partida. O Furacão chegou a vender apenas 62 ingressos para um jogo, contra o Prudentópolis. Está pouco acima do jogo de pior público da competição: Nacional de Rolândia 1 x 2 J. Malucelli, presenciado por 51 pagantes.

Após o jogo com o Prudentópolis, o Atlético tentou melhorar a venda avulsa com promoção de ingressos casada com apostas na Timemania. Com 35 bilhetes da loteria (o equivalente a R$ 70), era possível ver um jogo no Setor Furacão – o do ingresso a R$ 150. Até para a área VIP do estádio houve promoção, fazendo o ingresso de R$ 800 sair por R$ 300. O Atlético não vendeu ingresso promocional em nenhum dos três jogos e para a partida deste domingo, com o Nacional de Rolândia, a promoção será restrita ao Sócio Furacão.

O cenário do Coritiba não é muito melhor, embora mascarado pelo Atletiba. No clássico da quinta rodada, que detém o maior público do Paranaense, o Coxa vendeu 6.079 bilhetes avulsos. Foram 5,2 mil para a própria torcida (sendo 4.139 ao preço promocional de R$ 30) e 802 para atleticanos (mais do que qualquer jogo na Arena). Por causa do Atletiba, a média de venda avulsa do Coritiba é de 1.540 ingressos (seria a nona média da competição). Tirando o clássico, são 405 pagantes. Mais que o Nacional de Rolândia, porém menos que os 672 do J. Malucelli, vice-lanterna em público.

Somando sócios e venda avulsa, Atlético e Coritiba lideram com folga o ranking de público da competição. O Furacão é o líder, com 8.029 torcedores por jogo (97,2% de sócios). O Coritiba vem em segundo, com 7.442 (79,3% de sócios).

ROLÂNDIA: CARROS NA "ILHA" DA CASTRO ALVES CAUSA MAIS UM ACIDENTE

A POUCOS DIAS ACONTECEU UM ACIDENTE EM FRENTE O RESTAURANTE "O GARFO" POR CAUSA DA FALTA DE VISÃO DO VEÍCULOS POR CAUSA DO ESTACIONAMENTO NA "ILHA" DA AVENIDA CASTRO ALVES. NA ÉPOCA EU DENUNCIEI O PROBLEMA, MAS NINGUÉM DEU IMPORTÂNCIA. AGORA POUCO ACONTECEU MAIS UMA ACIDENTE PELO MESMO MOTIVO... FALTA DE VISÃO POR CAUSA DO ESTACIONAMENTO IRREGULAR... DESTA VEZ COM A MINHA FILHA. QUERO SABER QUEM VAI INDENIZÁ-LA. ACHO QUE VOU PROCESSAR A  PREFEITURA QUE TEM CULPA OBJETIVA NA QUESTÃO.  FOTO By WHIKIMAPIA

MONTE RORAIMA MISTÉRIO E MAGIA

FOTOS JORNAL CIÊNCIA

























DANIEL STEIDLE QUER SALVAR O RIO BANDEIRANTES DO NORTE



Que tal construir pequenas causas, dentro das comemorações de um Dia Mundial da Água (22 de março) ou outras datas como a Semana Internacional do Meio Ambiente no começo de junho?... As pessoas precisam dos ganchos e de campanhas sugestivas... Que tal VIVA BANDEIRANTES? O Rio Bandeirantes começa na cidade de Arapongas, tem ao longo do seu percurso algumas empresas potencialmente poluidoras, empreendimentos rurais e logo adiante no município de Rolândia muitos fragmentos florestais que poderiam até formar um “Parque do Bandeirantes”... Uma área nobre como uma enorme escola a céu aberto, espaço de lazer, cultura... e renda para inúmeros proprietário rurais pela ideia da “lavoura d’água”...   Que um VIVA BANDEIRANTES pudesse estar dentro de seus pensamentos, algo concreto que não atrapalhasse, pelo contrário, realizasse as necessidades, as pesquisas e os sonhos de cada um.  Que pudéssemos pagar um pouco da nossa enorme dívida diante um mundo que tanto nos  presenteia.TEXTO By DANIEL STEIDLE. FOTO By FARINA

Mistério cerca morte de quatro jovens no Paraná

Vítor Ogawa - Folha de Londrina

A Polícia Civil de Maringá tenta desvendar um crime permeado de mistérios e que chocou o município de Flórida. Quatro jovens, um deles o londrinense Daniel Gonçalves Júnior, 20 anos, conhecido por "Juninho", que estavam desaparecidos há dez dias, foram mortos em circunstâncias ainda não esclarecidas. A polícia localizou no meio da tarde de ontem os corpos de Eder das Neves de Oliveira, 21, natural de Atalaia, e de Gonçalves Júnior no meio da mata da Fazenda Pinga Fogo, que fica na zona rural entre os municípios de Flórida e Ângulo.

Ambos vinham sendo dados por desaparecidos desde o último dia 8. Na noite da última quarta-feira, os corpos da maringaense Ana Cláudia Alves, de 22 anos, e o atalaiense Jonathan Moreira da Silva, amigos dos dois, já tinham sido encontrados a poucos metros dali. O crime já é considerado uma das maiores chacinas que a pequena Flórida, cidade com cerca de 2.600 moradores, já viu. Entre as linhas de investigação, a polícia descarta relação com o tráfico de drogas.

Tudo indica que os quatro amigos estavam na casa do londrinense Gonçalves Junior no final de semana dos dias 7 e 8 deste mês, onde teriam participado de uma festa, quando desapareceram. Um dos eixos dessa história pode estar centrado em "Juninho", como Daniel Gonçalves Júnior era conhecido entre os amigos. Ele havia se mudado para Flórida há sete meses. Os policiais encontraram sua casa toda desarrumada, indicando a possibilidade de que teria ocorrido uma luta corporal. Dentro da residência foram localizados dois aparelhos de telefonia celular – um pertencente a Ana Cláudia. As roupas estavam espalhadas por vários cômodos, inclusive as sandálias da garota.

Uma amiga da família de Ana Cláudia, que se identificou apenas como Jéssica, ressaltou que há um vídeo que foi gravado por Juninho em um telefone celular com uma mensagem para que a polícia fosse atrás de uma pessoa específica caso alguma coisa acontecesse com ele. Ela não soube dizer para a reportagem quem era essa pessoa.

Investigação

O delegado-chefe da 9ª Subdivisão da Polícia Civil, Osmir Ferreira Neves Junior, afirmou que possui algumas linhas de investigação, mas uma é mais forte que as demais. "Não posso revelar para não prejudicar as investigações, mas não há relação com o tráfico de drogas", descartou. Segundo o delegado, este caso é muito diferente dos que está acostumado a lidar no dia a dia. Ele destacou que pelo posicionamento dos corpos não há a possibilidade que tenha sido um latrocínio ou um sequestro comum. As primeiras duas vítimas encontradas eram filhos de beneficiárias do programa Bolsa Família. Os corpos localizados ontem seriam encaminhados ao Instituto Médico-legal de Maringá.

Duas das mortes indicam execução

Primeiros a ter os corpos localizados pela polícia, Jonathan Moreira da Silva foi encontrado de bruços, com as mãos amarradas nas costas por um fio telefônico, e Ana Cláudia estava caída para a frente. "Foram atingidos por tiros na nuca, o que indica uma execução", relatou o delegado-chefe da 9ª Subdivisão Policial de Maringá, Osmir Ferreira Neves Junior. A polícia não forneceu mais detalhes sobre as outras execuções. "Estamos com 12 investigadores trabalhando no caso e as viaturas da PM. Ainda não temos nenhuma pista dos assassinos", afirmou. Ana Cláudia e Jonatham foram sepultados ontem.

PREFEITO VAI EXONERAR 100 CARGOS DE CONFIANÇA DE UMA ÚNICA VEZ

Prefeitura de Arapongas vai demitir 100 funcionários comissionados para reduzir gastos

Redação Bonde






O prefeito de Arapongas (região metropolitana de Londrina), Padre Beffa (PHS), anunciou na tarde desta sexta-feira (20) que a prefeitura vai exonerar cerca de 100 funcionários comissionados para reduzir gastos com pessoal. As demissões deverão ser publicadas no dia 1º de abril.

De acordo com o procurador do município, Fernando Augusto Sartori, as medidas serão tomadas para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, cujo artigo 169 preoconiza que os custos com funcionários não devem ultrapassar 54% do valor utilizado para investimentos.

O líder do Executivo também passou uma recomendação às secretarias para que reduzam em pelo menos 20% o número de horas extras realizadas pelos funcionários.

Além dos cortes, os salários do prefeito, vice, secretários, assessores e outros cargos comissionados foram congelados.

As medidas passam a valer a partir do dia 1º de abril e devem, nas contas da prefeitura, economizar aproximadamente R$ 5 milhões ao ano.

Líder do PSDB pede abertura de inquérito contra ministro de Rolândia

Agência Estado
Agência Brasil
O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), protocolou nesta sexta-feira (20) representação junto à Procuradoria da República do Distrito Federal pedindo a abertura de inquérito civil contra o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Thomas Traumann. O tucano alega que o ministro praticou improbidade administrativa por produzir um documento cujo objetivo, segundo ele, seria promover a imagem pessoal da presidente Dilma Rousseff dentro de um contexto político-eleitoral.

O texto foi revelado pelo portal Estadao.com na terça-feira, 17. O documento afirma que os apoiadores do governo estão levando uma "goleada" da oposição nas redes sociais e recomenda o investimento massivo em publicidade oficial na cidade de São Paulo.
Agência Brasil


Na avaliação do líder, Traumann usa a máquina administrativa e os recursos públicos em favor do projeto de poder do PT. "Pelo que se extrai do referido documento, em nenhum momento as ações da Secom visavam beneficiar o cidadão brasileiro, mas sim fazer com que a presidente Dilma se viabilizasse politicamente e eleitoralmente", afirmou o tucano.

Para Sampaio, ao produzir o documento, o ministro extrapolou as atividades da Secretaria, que deveriam estar relacionadas às atribuições da presidente da República. "Esse proceder do ministro ofende os princípios da impessoalidade e da legalidade e, por consequência, faz com que ele incorra no disposto no artigo 11 da lei 8.429/92", finalizou. Se condenado, o ministro poderá perder a função pública. O ministro está em férias.

NOVO PROGRAMA NA TV CULTURA CANAL 27 ( DIEGO SILVA ) DE OLHO EM ROLÂNDIA


AÇÃO DE IMPROBIDADE CONTRA TRAUMANN ??

 Blogs e Colunistas

sexta-feira, 20 de março de 2015

Traumann: problemas
Traumann: problemas
O PSDB decidiu entrar na Justiça Federal com uma ação  contra o ministro Thomas Traumann por causa do documento da Secom em que se discutia o que o governo deveria fazer na área de comunicação para vencer o “caos político”.  Na ação, o argumento principal é que o governo “confessou que utiliza verbas publicitárias para abastecer seu exército de blogueiros”. Por Lauro Jardim
LEIA MAIS