terça-feira, 7 de abril de 2015

ROLÂNDIA: ESTRADA SÃO RAFAEL...AQUI TEM TURISMO.....

KATIA DE LEMOS

Análise da foto. Estrada do São Rafael. Em qual espaço é proibido jogar lixo?

PENDÊNCIA ENTRA SABINE E ZÉ DE PAULA NO PAÇOCA COM CEBOLA

Possibilidade de cassação de prefeito, esquenta o clima na Câmara de Rolândia

A possibilidade real do prefeito de Rolândia, Johnny Lemann, ter o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral, deu início a uma “guerra” na Câmara de Vereadores da cidade. A relatora do processo de Lehmann, a ministra Maria Thereza de Assis Moura, já pediu data para julgamento do caso que pode acontecer ainda esta semana.
Se Lehmann for cassado, assume a prefeitura o atual presidente da Câmara, José de Paula.
Mas o próprio José de Paula está num embate árduo com a ex-presidente da Casa, Sabine Giesen, que foi vice-prefeita no primeiro mandato de Lehmann. Ela quer destituir o presidente da Câmara e a Mesa Diretora.
O imbróglio começou quando um vereador pediu ao presidente José de Paula para fazer parte de uma Comissão Permanente. Conforme a Lei Orgânica da Câmara, cabe à Mesa Diretiva definir os nomes dos integrantes das Comissões respeitando a representatividade de cada partido.
José de Paula negou o pedido do vereador.
Sabine Giesen, ingressou com um pedido de abertura de uma Comissão Especial de Inquérito para investigar se houve abuso de poder por parte do atual presidente. Porém, um dos vereadores que assinara o pedido de CEI retirou sua assinatura. E a Mesa Diretiva entendeu, orientada pela Assessoria Jurídica, que não deveria ler o pedido de CEI- primeiro passo para que ela pudesse ser aberta – em Plenário.
Sabine Giensen, inconformada, entrou com uma ação na Justiça pedindo uma liminar para que o solicitação da CEI fosse lida em Plenário. Mas o juiz do caso entendeu que quem deve decidir se o pedido de CEI será lido ou não é o Plenário. A discussão deve acontecer na sessão de hoje da Câmara ou no mais tardar na próxima segunda-feira.

ROLÂNDIA: PRÉ-CONFERÊNCIA MUNICIPAL DA SAÚDE ACONTECEU HOJE

07/04/2015 - Participei, fotografei e filmei a Conferência Municipal da Saúde que aconteceu ainda pouco no Nanuk. Foi tudo bem, mas no final a nova secretária da saúde, disse para mim que não me autoriza  veicular filmagens onde aparece a sua fala. Sai de lá decepcionado e disse em voz alta que pensava que todos tinham falado ali verdades e reivindicado apenas as reais necessidades para o setor. Um setor tão importante, de onde surge tantas reclamações... esperava mais desta Conferência. Amanhã editarei o vídeo, cortando as falas da secretária (a pedido dela), e após, divulgarei aqui neste Blog o que o povo reivindicou...  não preciso pedir licença pra ninguém pra falar e expressar opiniões minhas e do meu povo ( a quem sirvo), mesmo sem nada receber em troca. O nosso limite é a verdade e a justiça. Procuramos atender os interesses apenas do povo. Deus abençoe Rolândia, seu povo e suas autoridades. Desejamos sucesso a nova secretária. Esperamos que ela atenda pelo menos 50% de tudo o que eu ouvi o povo pedindo  hoje na conferência. TEXTO e FOTO By JOSÉ CARLOS FARINA.
E/T.: Sendo a Conferência municipal a mesmo era pública. Se eu estava filmando, quem não queria aparecer era só não falar nada.. não dar opinião.. ficar calado.. ou não? Não compareceu nenhum vereador. Sentimos tbm a ausência do Sr. Jessé e Neusa Dobis.
COMENTÁRIO:
Luiz Francisconi Neto Francisconi Amigo José Carlos Farina. Já passou da hora de passar da teoria para a prática, quando se trata do assunto saúde de Rolândia. Lembra -se do ano passado, da audiência pública da saúde, com a presença do Promotor, Vereadores, direção do Hospital, médicos, população, ... Qual o resultado prático daquela Audiência ? Os motivos que justificam a qualidade ruim da saúde, queixas de usuários do sistema e funcionários, todos nós sabemos. Quanto à nova Secretária, ela é inteligente e competente. Porém, receio que ela não tenha toda a autonomia que precisa para implementar as ações necessárias. Pelo menos, não nesse momento. Desejo que ela vá em frente sem desanimar. LUIZ FRANCISCONI
RESPOSTA:
Gosto de político assim.. que sabe falar e escrever. Que pensa .. fala e escreve. Parabéns Dr. Luiz Francisconi. Deus te abençoe. JOSÉ CARLOS FARINA

ROLÂNDIA: REGULAMENTO DO USO DA PRAÇA DA IGREJA MATRIZ CATÓLICA

Por causa do costume dos jovens se reunirem ali na  praça da igreja, na esquina com o Colégio Bom Jesus, para namorar  e beberem cerveja, o padre e liderança da matriz baixou o seguinte regulamento:
FOTO By JOSÉ CARLOS FARINA

8 FERIDOS E 4 DETIDOS EM BRASÍLIA HOJE EM FRENTE O CONGRESSO NACIONAL

Grupo entra em conflito com PM em ato contra a terceirização no DF

PM usou spray de pimenta para impedir acesso à chapelaria do Congresso.
Ato aconteceu no dia previsto para votação de projeto sobre tema na Câmara.

Do G1 DF

Manifestantes em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, entraram em conflito com policiais militares no protesto contra o projeto de lei que amplia a terceirização, realizado pela CUT, MST, UNE e outras entidades, com apoio do PT, que aconteceu na tarde desta terça-feira (7). Sindicatos ligados à CUT e outras entidades fizeram manifestações em 17 estados e no DF.

Os primeiros manifestantes chegaram ao gramado em frente ao Congresso Nacional às 13h. A confusão teve início pouco depois das 15h. Às 16h20, os participantes seguiram a caminho do anexo 2 da Câmara. Por volta das 18h30, eles começaram a deixar o local em ônibus.

Segundo a PM, cerca de 2,5 mil pessoas participaram do ato. De acordo com dirigentes da CUT, o protesto reuniu 4 mil pessoas. A assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados informou que ao todo quatro pessoas foram detidas e oito ficaram feridas. Entre os que se machucaram estão três manifestantes, um visitante, dois policiais militares e os deputados Vicentinho (PT-SP), atingido por spray de pimenta, e Lincoln Portela (PR-MG), que levou um soco de um dos manifestantes.

A PM informou que cinco manifestante foram conduzidos para a delegacia do Congresso, sendo dois por dano ao patrimônio, dois por lesão corporal e um por furto. Segundo a corporação, um manifestante ferido e quatro policiais foram foram encaminhados ao posto de saúde.
Segundo a PM, 200 policiais foram destacados para o local. A manifestação também incluiu como pauta a defesa da Petrobras, a reforma política e o governo Dilma, mas atacou o ajuste fiscal.

A confusão teve início depois que manifestantes tentaram passar com o caminhão de som pela área que dá acesso à chapelaria do Congresso. Segundo a PM, eles foram impedidos de seguir pelo local porque bloqueariam a entrada.

Um dos atingidos pelo spray de pimenta foi o deputado federal Vicentinho (PT-SP), que foi fotografado chorando. Um manifestante se feriu durante o confronto. Ele foi visto sangrando na entrada da chapelaria.

Às 15h45, manifestantes e polícia pararam de avançar e mantinham distância. A PM fez uma barreira para impedir a aproximação dos participantes do ato na entrada do Congresso.
Durante o protesto, as lideranças da CUT pediram para que os participantes vaiassem o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o presidente do partido Solidariedade, Paulinho da Força (SD-SP).

Por volta das 16h20, o grupo começou a se dispersar. Segundo os manifestantes, estava prevista uma vigília no anexo 2 da Câmara, onde o grupo iria acompanhar a votação do projeto de lei 4.330 na Câmara dos Deputados, que estava na pauta desta terça. A proposta regulamenta contratos de terceirização no mercado de trabalho. Se aprovado, será encaminhado diretamente para votação no Senado.

Após reunião dos líderes dos partidos durante a tarde, o relator do projeto, deputado Arthur Maia (SD-BA), disse que a Câmara iniciará nesta quarta (8) a votação do texto. Na sessão desta terça, os deputados analisam pedido para que a matéria tramite em regime de urgência, ou seja, possa ser votada diretamente no plenário e não precise passar por comissões.

O projeto tramita há 10 anos na Câmara e vem sendo discutido desde 2011 por deputados e representantes das centrais sindicais e dos sindicatos patronais. Ele prevê a contratação de serviços terceirizados para qualquer atividade e não estabelece limites ao tipo de serviço que pode ser alvo de terceirização. Além disso, prevê a forma de contratação tanto para empresas privadas como públicas.

Outros estados
CUT, MST, UNE e outras entidades, com apoio do PT, promoveram atos pelo Brasil nesta terça, contra o projeto de lei que amplia a terceirização, a favor da Petrobras, da reforma política e do governo Dilma, e contra o ajuste fiscal. Os protestos ocorreram no DF e nos estados do AC, AL, AP, BA, CE, DF, MA, MG, MT, PB, PE, PR, RJ, RN, RS, SE e SP.

Em Minas Gerais, os manifestantes se reuniram na Praça Afonso Arinos. De acordo com o secretário de Comunicação da CUT no estado, Neemias Rodrigues, o protesto é contra o PL 4330, que trata da terceirização, o ajuste fiscal, a corrupção e a redução da maioridade penal. Os manifestantes defendem a Petrobras, a democratização dos meios de comunicação, a democracia e a reforma política.

O ato em São Paulo começou por volta das 12h em frente ao Hospital das Clínicas e seguiu para a Rua da Consolação, onde ocupou parcialmente a via até acabar, por volta das 13h. Também houve uma caminhada da Frente Democrática em Defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) no centro da cidade. O trânsito ficou lento na região, segundo a CET.

No Rio de Janeiro, trabalhadores da Petrobras e de empresas terceirizadas que prestam serviço para a empresa fizeram um ato em defesa dos direitos dos trabalhadores no Terminal Aquaviário, na Freguesia, na Ilha do Governador, e na Termoelétrica Barbosa Lima Sobrinho, em Seropédica, na Baixada Fluminense, na manhã desta terça.

O protesto no Centro de João Pessoa reuniu 200 pessoas, segundo a organização. A polícia não tem uma estimativa de público. O ato começou por volta das 8h com um café da manhã no Ponto de Cem Reis. Por volta das 10h, os manifestantes caminharam até a Superintendência do Ministério do Trabalho e Emprego.

Em Alagoas, a manifestação começou às 8h30, em frente à Casa da Indústria, na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol, em Maceió. O ato durou cerca de uma hora e meia. Segundo a organização, pouco mais de 10 pessoas participaram do ato, que não foi acompanhado pela polícia.

O protesto em Salvador reuniu, segundo a organização, 100 pessoas – 70, segundo a Polícia Militar. A concentração começou por volta das 7h em frente à Federação das Indústrias do Estado da Bahia. Às 9h20, os manifestantes saíram em caminhada pelas ruas da região.

O ato em Fortaleza teve a adesão de motoristas e cobradores de ônibus, que fecharam terminais. Outro grupo de trabalhadores protestou no aeroporto, sem afetar os voos, e houve ainda protesto na Praça do Ferreira, no Centro da capital cearense.

Em São Luís houve uma coletiva de imprensa na sede da CUT pela manhã. A representante da entidade Júlia Nogueira disse os motivos pelos quais a CUT é contra o projeto que regulariza a terceirização.

Os manifestantes se concentram no Parque 13 de Maio para o ato no Recife. A CUT-PE estimou 3 mil pessoas na passeata, que está prevista para começar às 17h, fazendo percurso pela Avenida Conde da Boa Vista, Ponte Duarte Coelho e Avenida Guararapes.

Em Natal, o ato foi realizado pelos servidores da saúde como parte de uma jornada nacional promovida pelo CSP-Conlutas e outras entidades. De acordo com o Sindsaúde/RN, o protesto é "contra os ataques aos direitos trabalhistas" e também marca o início da campanha salarial da categoria, "que exige condições de trabalho, reajuste e melhorias na saúde pública".

O protesto em Aracaju começou por volta das 15h na área dos mercados centrais e tinha previsão de seguir em passeata até o Calçadão de Laranjeiras. Cerca de 200 manifestantes participaram do ato, segundo a organização.

Pelo menos 30 pessoas participaram do ato pela manhã no Centro de Rio Branco, segundo a CUT no Acre. A Polícia Militar estima que participaram entre 20 e 30 pessoas.

Em Macapá, no Amapá, o ato contra o projeto que regulariza a terceirização ocorreu na Praça da Bandeira, no Centro, começando às 9h e encerrando por volta das 11h30.

Representantes de movimentos populares e centrais sindicais fizeram um protesto no salão de embarque do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Conforme a organização, eram 50 pessoas no local por volta das 10h.

No Mato Grosso, trabalhadores do Movimento Sem-Terra (MST) bloquearam três rodovias, em protesto para cobrar o assentamento de aproximadamente 600 famílias em quatro fazendas. De acordo com a PRF, 180 pessoas participaram da manifestação.

Em Curitiba, um grupo de manifestantes se reuniu na Praça Rui Barbosa, na região central da cidade no fim da tarde. Eles protestaram contra o projeto de lei que regulamenta os contratos de terceirização no mercado de trabalho. Segundo os organizadores, 50 pessoas participaram do ato. A PM calcula 30 pessoas.

ROLÂNDIA: ALEX SANTANA e MAICO DIDA SE IRRITAM CONTRA PROJETO DE JOHNNY LEHMANN


ROLÂNDIA: NACIONAL NAC VAI DAR O TROCO NO ATLÉTICO

Rolândia já esta no clima para o jogo.  NACIONAL x atlético pr Quinta 09/04 ás 19:30 estádio erich george ROLÂNDIA, curte ai quem vai em breve informações de ingressos.  (outdoor perto do colégio souza naves). Foto by NAC ROLÂNDIA.

protesto, brigas e violência hoje em Brasília

Sindicalistas se mobilizam em pelo menos 10 Estados e no Distrito Federal contra a proposta que deve ser votada nesta terça-feira na Câmara dos Deputados

Atualizada em 07/04/2015 |
Manifestantes e polícia entram em confronto em protesto contra terceirização em Brasília Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Em Brasília, policiais e manifestantes entraram em confronto Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Centrais sindicais realizam protestos em pelo menos 10 Estados e no Distrito Federal contra o Projeto de Lei 4330, que libera a terceirização para todas as atividades das empresas. A proposta está na pauta do plenário da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, e o governo trabalha para adiar para o final do mês a apreciação da proposta.
Em Brasília, um grupo de manifestantes entrou em confronto com a polícia durante protesto em frente ao Congresso Nacional. Os policiais fizeram uma barreira para evitar a entrada no prédio dos manifestantes, mas muitos, com paus de bandeiras, avançaram sobre os policiais, que reagiram com bombas de efeito moral e spray de pimenta.
Participam dos atos integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da União Nacional dos Estudantes (UNE) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), entre outros.

Policiais e manifestantes entraram em confronto em Brasília
Foto: Reprodução / TV Globo
Se aprovado pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei será encaminhado para votação no Senado. Contrariando o governo, o PMDB defende a proposta que permite a terceirização da mão de obra em todas as etapas da cadeia produtiva, liberando a contratação de serviços terceirizados para qualquer atividade e não estabelece limites ao tipo de serviço que pode ser alvo de terceirização. O projeto também prevê a forma de contratação para empresas privadas e públicas.
Trabalhadores defendem que a lei irá deteriorar o mercado de trabalho. Empresários afirmam que a iniciativa trará maior formalização e empregos.
Em São Paulo, o primeiro ato começou por volta das 9h30min. Cerca de 200 pessoas se reuniram em frente à Secretaria Estadual da Saúde e ao Hospital das Clínicas, no bairro de Cerqueira César em manifestação contra o sucateamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e o projeto de regularização dos contratos de terceirização. As informações são do jornal O Globo.

Em São Paulo, manifestação aconteceu em frente ao Hospital de Clínicas
Foto: Alice Vergueiro / Futura Press

Eduardo Cunha promete votar terceirização a todo o custo
Leia as últimas notícias

De acordo com o G1, manifestantes também se reúnem em outros 10 Estados: Alagoas, Acre, Amapá, Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Maranhão. A CUT ameaça o governo Dilma caso o projeto de terceirização seja aprovado. O presidente da CUT-SP, Adi dos Santos, afirmou que as centrais sindicais irão reagir fortemente contra a medida:

— Caso este projeto que libera a terceirização seja aprovado, ele vai desregulamentar as relações de trabalho no Brasil. Os trabalhadores que hoje estão contratados pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) vão perder o seu vínculo empregatício e, certamente, passarão a ter vínculo pelo contrato de pessoa jurídica. Não terão carteira assinada, férias, Fundo de Garantia — ressaltou o presidente estadual da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Adi Santos Lima.

Fiesp estima abertura de 3 milhões de empregos com lei da terceirização

Segundo ele, em média, o trabalhador terceirizado ganha 30% menos do que o vinculado à empresa que contratou o serviço.

Em Alagoas, cerca de 50 pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participam de ato pacífico em Maceió também contra o projeto de lei. Em Amapá, o número de pessoas é o mesmo, segundo a CUT estadual.

No Rio Grande do Sul, trabalhadores das centrais sindicais também protestavam contra a terceirização em um ato no aeroporto Salgado Filho e na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre.

Na Bahia, os manifestantes se reuniram em frente à Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) e encerraram a manifestação por volta das 10h10.

* Zero Hora com agências

ROLÂNDIA: SABINE GIESEN IMPETRA MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA ZÉ DE PAULA

Segundo apuramos, na última quarta-feira o Juiz de Direito da Comarca, Dr. Marcos Rogério César Rocha, da Vara Cível, concedeu liminar em favor de Sabine Giesen, em um Mandado de Segurança impetrado contra ato da presidência da Câmara. Para que todos entendam, Sabine , juntamente com Rodrigo Locatelli, Reginaldo Boa Compra, Waldemar de Morais, Eneias e João Ardigo entraram com com um pedido por escrito para apurar possíveis irregularidades na eleição da mesa executiva. O vereador João Ardigo, antes da leitura deste pedido no expediente, retirou sua assinatura. O presidente por este motivo retirou a proposição do expediente. Naquela sessão a vereadora apresentou seu inconformismo oralmente. O presidente determinou que o recurso deveria ser apresentado por escrito, tendo lhe concedido o prazo de 2 dias. Após a mesa receber o  referido recurso, encaminhou o mesmo para parecer perante a assessora jurídica, recebendo parecer contrário. Em outras palavras, a assessoria entendeu que com a retirada da assinatura por parte do vereador Ardigo a questão tinha sucumbido irremediavelmente. Após este impasse a mesa da Câmara foi completada com a inclusão dos vereadores Waldemar de Morais e Rodrigo Locateli, nos cargos vagos com as renuncias de Ardigo e Eneias. O presente Mandado de Segurança não analisou o mérito dos motivos que ensejaram o citados vereadores a requererem investigação do procedimento levado a termo na eleição da mesa. A decisão apenas determina o direito a que o pedido, mesmo com a retirada de uma das assinaturas seja decido pelo plenário. Desta decisão cabe recurso por parte da mesa junto ao tribunal em Curitiba, através de Agravo de Instrumento, onde poderá ser pedido antecipação de tutela, com liminar e efeito suspensivo. Não sabemos ainda se a mesa vai ou não recorrer. JOSÉ CARLOS FARINA
COMENTÁRIO:  
Zé de Paula afirmou que "não tem nada a esconder.. que administra a Câmara cumprindo 100% as leis e o regimento da Casa... que a eleição da mesa e  das Comissões Permanentes foi por unanimidade... todos os vereadores concordaram e assinaram a ata"...  a assessoria está analisando o pedido mas posso adiantar que não há nada de errado"... que se assumir de novo a prefeitura reduzirá o número de cargos de confiança e conduzirá o município com economia e transparência total. vamos respeitar e cumprir a legislação que juramos obedecer. A nossa prioridade será o setor de saúde, " - finalizou. JOSÉ CARLOS FARINA

NOVO SUPERMERCADO EM ROLÂNDIA

NO JARDIM PRIMAVERA - ENTRADA PARA OS 5 CONJUNTOS -  GRANDES E MODERNAS INSTALAÇÕES - VALE A PENA CONFERIR AS OFERTAS DA SEMANA.