quinta-feira, 18 de junho de 2015

ROLÂNDIA VISTA DE CIMA DO SATÉLITE

CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIÁ-LA....

DOMINGO TEREMOS ATRAÇÃO EXTRA NA FEIRA LIVRE DA CASTRO ALVES

FEIRA DE TURISMO NO DOMINGO

QUI, 18 DE JUNHO DE 2015 13:32
Daniel Staidle01
Neste domingo, 21 de junho, na Praça da Rua Paul Harris, ao lado da feira livre da Avenida Castro Alves, a Secretaria Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Turismo (Comtur) vão promover a "1ª Feira de Turismo na Feira". Ao longo de toda a manhã, os cidadãos que passarem pelo local terão um contato direto com detalhes e atrações turísticas da cidade. Na ocasião, serão valorizados os pontos de visitação do município, evidenciadas as tradições locais e ainda será levantada e defendida a bandeira da preservação ambiental. Nesse prisma, os estandes que vão abrigar os expositores serão feitos de materiais que tem um impacto menor sobre o ambiente, como bambu, carretéis de madeira, TNT e guarda-sóis. Cada expositor vai apresentar vertentes do turismo de Rolândia, ilustradas com objetos e fotografias que segmentem o turismo na cidade em suas nuances: Ecoturismo, Rural,  de Aventura, Cultural, Religioso, de Negócios e Eventos e  também Pedagógico. O evento foi definido durante a reunião mensal do Comtur, que ocorreu na noite de terça-feira, 16 de junho, no Centro Cultural Nanuk.

Rolândia NÃO REGISTRA CASOS DE DENGUE HÁ UM MÊS


QUI, 18 DE JUNHO DE 2015
fumacê
Depois que a Unidade Atomizadora UBV (Fumacê) efetuou cinco ciclos completos em toda a área da cidade, Rolândia não registrou mais nenhum caso de dengue. O carro foi cedido pela Secretaria Estadual de Saúde e, desde a terceira semana de maio, o município não registrou mais nenhuma ocorrência da moléstia. De janeiro a maio, a cidade havia registrado 400 casosconfirmados de dengue dentre 2.288 notificações. O dado é proveniente da Vigilância de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde. Nesta semana, o município está realizando Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) para averiguar se em algum ponto da cidade ainda existe algum criadouro.

Dida pede informações sobre empresas que recebem incentivos fiscais com locação paga pelo povo



O Vereador Maico Dida (PT) solicita através do requerimento nº 292/2015 que Prefeitura de Rolândia, para que encaminhe informações a respeito de empresas que recebem incentivos fiscais no município e qual tem sido o retorno das empresas com taisincentivos

O pedido foi apresentado na sessão ordinária, realizada na última segunda-feira (15). Entre as informações solicitadas por Dida estão: O número de imóveis locados com incentivo financeiro a indústrias; quais critérios estão sendo utilizados para a seleção das empresas que recebem o incentivo; o número de empregos gerados pelas empresas beneficiadas por tal incentivo; como está sendo realizada a fiscalização sobre o número de empregos gerados; e ainda quanto ao controle de utilização de imóveis, como é realizado o controle sobre a utilização dos imóveis.

Maico Dida justifica que o pedido de informações está sendo feito após questionamentos de empresários e populares de nossa cidade que gostariam de ser atendidos pelo programa de incentivo financeiro à industrialização, que inclusive é determinado por Legislação Municipal.

Dida deixa claro que o objetivo é esclarecer dúvidas dos cidadãos e também em cumprimento ao papel fiscalizador. “Muitos empresários nos procuram alegando que não conseguem incentivos, já outros conseguem apoio. Sou favorável a dar apoio sempre, mas é preciso saber o que aqueles que obtiveram esses incentivos tem feito junto ao município como retribuição”, explica.

O requerimento foi aprovado por todos os vereadores.  Reportagem: Assessoria da Câmara Rolândia –

ROLÂNDIA: HOSPITAL PEDE VERBA AOS VEREADORES

O representante da diretoria da Associação Beneficente São Rafael, Marisbel Mungo, passou aos parlamentares um pedido de aporte do município de R$180 mil por mês para custear os atendimentos.
LEIA MAIS

Senadores brasileiros são recebidos a pedradas na Venezuela

18/06/2015 

 Isabella Souto , Marcelo Ernesto /


Reprodução/Twitter

O senador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou, na tarde desta quinta-feira (18/6), por telefone, que a comitiva de senadores que viajou à Venezuela está sitiada a um quilômetro do aeroporto de Caracas. “Manifestantes pró-governo venezuelano estão obstruindo toda a pista. É realmente de uma petulância e prepotência. Pior que qualquer ditadura da África”, contou. Segundo ele, foram arremessadas pedras no ônibus em que os senadores estão. 



A comitiva dos senadores está na Venezuela para prestar solidariedade aos políticos de oposição presos pelo governo do presidente Nicolás Maduro. Caiado contou que o embaixador do Brasil naquele país, Ruy Pereira, recebeu os senadores no aeroporto, mas foi embora.

O senador Aécio Neves também relatou o episódio. “Estamos em Caracas, sitiados em uma via pública. Nossa van foi atacada por manifestantes”, afirmou em seu perfil no twitter. “Estamos aqui para defender a democracia e até agora o governo venezuelano tem demonstrado pouco apreço por ela”, completou.

“Não conseguimos sair do aeroporto. Sitiaram nosso ônibus, bateram, tentaram quebrá-lo. Estou tentando falar com o presidente Renan”, disse Caiado, referindo-se ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Além de Ronaldo Caiado (DEM), participam da comitiva os senadores Aécio Neves (PSDB), José Agripino (DEM) e Aloísio Nunes Ferreira (PSDB).

Segundo o senador Aloísio Nunes Ferreira cerca de 200 pessoas atacaram o ônibus. “Jogaram pedras, deram pontapés no ônibus”, contou. Ele afirmou que apesar das agressões, ninguém está ferido e a polícia está garantindo a segurança dos parlamentares. Ainda segundo Nunes, o embaixador do Brasil já está ciente do episódio e entrou em contato com o governo venezuelano para garantir a integridade deles.

"Nunca na nossa história uma missão oficial havia sido tratada dessa maneira. É revoltante”, disse María Corina Machado, dirigente da oposição venezuelana em entrevista a imprensa local, sobre o episódio envolvendo os parlaVEJAM O VÍDEO DA GLOBOmentares brasileiro

ROLANDENSE CAI COM 50 QUILOS DE MACONHA

ELIANDRO PIVA

Em um trabalho conjunto da P2 de Rolândia, Toledo e PF de Guaíra/PR, realizavam diligencias de rotina em Terra Roxa quando na tarde de ontem (16), por volta das 15h, deram ordem de parada a um veículo táxi com placas de Maringá. Ao verificar o que estava sendo transportado no porta malas, os PFs encontraram dois volumes lacrados, que após abertos, continham vários tabletes de maconha, totalizando 50 kg. O Rolandense Alison Rodrigues da Silva, conhecido como "Porquinho" morador do Conj. Santiago assumiu a propriedade da droga. Diante dos fatos ficou constatado que o taxista Valter Araujo de Oliveira também estava envolvido, e os dois acabaram presos por tráfico de drogas. Eles revelaram que levariam a “erva” até Maringá, onde receberiam R$ 2 mil pelo transporte.
Veículo Renault/Logan, cor prata, placas AUL-3994 de Maringá/PR, drogas e presos, foram encaminhados para a Polícia Federal de Guaíra.

SIMBAL ROLÂNDIA DEMITE E É MATÉRIA DA FOLHA DE LONDRINA

FOLHA DE LONDRINA

Crise chega à indústria moveleira e gera demissões

Empresa demitiu 105 funcionários ontem na região; sindicato patronal do polo de Arapongas aponta queda de ao menos 5% no número de vagas devido ao cenário econômico

Sérgio Ranalli/23-07-2014
Segundo sindicato, redução nas vendas do setor moveleiro está estimada entre 25% e 30% somente em junho
A crise econômica começou a atingir mais fortemente a indústria moveleira do polo de Arapongas e começou a afetar os empregos. O Grupo Simbal, que tem aproximadamente 1,350 mil funcionários distribuídos em cinco unidades, demitiu ontem cerca de 105 trabalhadores, a maior parte na fábrica de Rolândia. Movimento que atinge outras empresas do setor e que já afetou ao menos 5% dos postos de trabalho na região, segundo estimativa do Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas (Sima). 

A Simbal demitiu ontem 85 pessoas em Rolândia, 43% dos cerca de 200 funcionários da unidade, e outras 30 em Arapongas, informou a assessoria da empresa. A justificativa foi a crise do mercado e adequações em vagas temporárias. De acordo com a Simbal, demitir é sempre o último recurso da empresa e existe a expectativa de reverter a perda de postos de trabalho entre 60 e 90 dias, desde que o setor de móveis se recupere. 

Quadro que não é diferente do apresentado em outras empresas do polo. O presidente do Sima, Nelson Poliseli, afirma que boa parte das fábricas colocaram os funcionários em férias coletivas em algum momento deste semestre, mas uma redução nas vendas do setor estimada pela entidade entre 25% e 30% somente em junho, na comparação com o mesmo mês de 2014, começou a prejudicar o mercado de trabalho. "Está complicado, as empresas estão diminuindo. Infelizmente, é hora de adequar as empresas, reduzir custos e enxugar", diz. 

As vendas industriais da atividade móveis e indústrias diversas caíram, em relação ao mesmo período do ano anterior, 4,51% em janeiro, 14,30% em fevereiro e 12,94% em março, segundo o último levantamento divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em maio. Poliseli considera que o mau momento econômico na atividade moveleira, aliado aos dois reajustes na tarifa de energia elétrica neste ano e ao aumento da carga tributária estadual e federal, castigaram todo o setor. "Normalmente, o segundo semestre costuma ser melhor do que o primeiro, mas, esta vez, não vemos perspectivas de melhora." 

Mesmo a alta da cotação do dólar, que poderia contribuir para um setor que conta com poucos insumos importados, não ajuda o polo araponguense. "As fábricas da região exportam no máximo 5% e não se muda isso tão rapidamente", diz o presidente do Sima. 

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Arapongas foi procurado ontem para comentar as demissões, mas não havia diretores disponíveis ontem para comentar o caso. 

DEZINHO ( QUE MATOU CLAUDIO SANCHES ) FOI PRESO EM ROLÂNDIA

HOMICÍDIO ESTA NOITE EM ROLÂNDIA (VÍDEO )