segunda-feira, 13 de julho de 2015

POPULAÇÃO DÁ EXEMPLO EM ROLÂNDIA



GILSOM LANZONI

População cansada da esperar colocam "mãos na massa"





















NOVIDADES PARA A OKTOBERFEST ROLÂNDIA 2015


Estive viajando por uns dias. Cheguei de viagem agora a noite e me inteirando sobre os últimos acontecimentos da cidade descobri folheando os jornais locais que os Conselhos de Cultura e Turismo estão interessados em "tocar" a Oktoberfest deste ano. Fiquei e estou feliz, pois na minha concepção esta festa  precisava mesmo voltar as origens. Precisa voltar a ser uma festa da família norte paranaense. Lembro-me que nos primeiros anos quando a festa tinha esta identidade, quando dava  valor as danças e comidas da colonia alemã, conseguimos atrair um grande público de Rolândia e região. Acredito que se os grupos de dança alemã, comunidade luterana, club do Barreiro, Vicentinos, Clubes de serviço, Associação de bairros e outras entidades se reunirem, não pesará para ninguém e poderemos incluir Rolândia novamente no calendário turistico e gastronomico do Paraná. Parabéns aos líderes. Deus abençoe  todos os envolvidos. Contem com o Blog do Farina. Estou de volta à mnha querida Rolândia. Continuo antenado a tudo o que acontece na cidade. Um abraço a toda população. JOSE CARLOS FARINA

Monteiro: casamento com Mercosul é indissolúvel, mas devemos discutir relação


Por Fernanda Guimarães | Estadão Conteúdo

O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, disse que o "casamento" comercial do Brasil com o Mercosul é indissolúvel, mas que a relação será discutida e aperfeiçoada.

"É porque na dinâmica do comércio internacional temos que produzir ajustes a todo mundo, inclusive que melhor traduza os interesses de cada um dos países, que têm as dinâmicas próprias", afirmou.

"É importante um mercado regional ampliado fortalecido. Fortalecer a posição do Brasil em relação a blocos econômicos e sua posição negociadora. Não há contradição", destacou.

O ministro disse que depois de 16 anos o Brasil está próximo de fechar a troca de ofertas com a União Europeia. Monteiro disse que também é foco do ministério ampliar o acesso a novos mercados.

Sem Guerrero e Emerson, Flamengo perde de 3 a 0 para o Corinthians

Agência Estado  - Bonde News.

Mais uma vez Elias se mostrou o motor do Corinthians nesta ascensão no Campeonato Brasileiro. Neste domingo (12), o volante conduziu o alvinegro à goleada por 3 a 0 sobre o Flamengo no Maracanã, encerrando um jejum do time de oito anos sem vencer no Maracanã. O resultado fez a equipe paulista alcançar a terceira posição, com 26 pontos, mas os corintianos correm o risco de cair para o quarto lugar ainda neste domingo, quando o Sport também poderá chegar aos 26 pontos em duelo diante do Palmeiras, em Recife. Sem Guerrero e Sheik, o Flamengo se mostrou novamente um time fraquíssimo. 

Malcom e Vagner Love passaram mais um jogo em branco - o último, inclusive, foi o único que destoou do bom jogo que fez o Corinthians. Mas os homens de meio-campo trataram de resolver a partida. Elias abriu o placar com um golaço de cobertura e deu a assistência para o terceiro gol de Jadson, artilheiro do time, com seis gols - Uendel completou o placar. 

O Corinthians começou o jogo sofrendo forte pressão dos donos da casa. A marcação avançada dos flamenguistas não facilitava a saída de bola e os defensores eram obrigados a dar chutões para o ataque. 

Divulgação/Corinthians

Passada a correria inicial, porém, o Corinthians conseguiu equilibrar o duelo e passou a incomodar o Flamengo. Primeiro, com Renato Augusto em finalização pelas pontas, e chegou logo ao gol, aos 25, com Elias. 

O volante encontrou Love livre e lançou em profundidade, o atacante entrou na cara de César, mas bateu em cima do goleiro. Elias pegou a sobra e converteu de cobertura. Um golaço, em jogada criada pelos ex-flamenguistas. 

A equipe rubro-negra sentia muito a falta do atacante Paolo Guerrero, como referência na área. Em razão de um acordo entre os dois clubes, o peruano, mais Emerson Sheik, foram impedidos de jogar. 

O gol de Elias abalou o bastante o Flamengo. A zaga rubro-negra começou a bater cabeça, o goleiro César se enrolou em uma bola tranquila e quase comprometeu o time. A equipe alvinegra aproveitou o mau momento do rival, e ampliou com Uendel, que completou um bom cruzamento de Renato Augusto. 

O domínio corintiano no Maracanã prosseguiu. Melhor do time, Elias desarmou Jonas no meio e passou para o apagado Jadson marcar o terceiro, aos 17, em linda finalização de primeira após passe açucarado do volante vindo da direita. 

Love ainda perdeu uma chance incrível livre na área, demonstrando que está bem abaixo do nível do resto do time. 

Mesmo atrás, o Flamengo pouco conseguiu incomodar a zaga corintiana, mas chegou a marcar de cabeça com Jonas, mas o auxiliar da arbitragem assinalou impedimento inexistente e tornou a missão rubro-negra ainda mais complicada do que já estava. 

A derrota em casa, por sua vez, volta a provocar um ambiente de pressão no elenco do Flamengo, que estacionou nos 13 pontos e segue próximo da zona de rebaixamento.

GRANDES INVESTIMENTOS PARA ROLÂNDIA


Fonte: Site Oficial do Município de Rolândia.


Em visita na manhã desta sexta-feira, dez de julho, a cidade de Ivaiporã (144 km sul de Rolândia), o Prefeito José de Paula Martins (PSD), o Secretário de Planejamento, Valdenir Duque, o Presidente da Câmara Municipal, Vereador Alex Santana (PROS) e o Diretor da Câmara Municipal, Reginaldo Burhoff, tiveram uma audiência com o Prefeito de Ivaiporã, Luiz Carlos Gil (PMDB). Além de Prefeito daquela cidade, Gil é empresário e comerciante. Na ocasião, foram selados importantes investimentos para o município. A obra da Comercial Ivaiporã, do ramo de construção e acabamento, que está em fase de terraplanagem, deve começar em até um mês, em terreno situado no antigo armazém da Corol, na saída para Londrina, perto da antiga rede ferroviária. Anexo ao empreendimento, a rede supermercadista Cidade Canção, também deve ter uma unidade na cidade. Ainda, o grupo comandado por Gil planeja a construção de dez blocos residenciais na Rua Alfredo Moreira Filho, área central.

Na foto, a partir da esquerda: Juliano Gil (Diretor Comercial do Grupo Comercial Ivaiporã), Duque, Burhoff, Prefeito José de Paula Martins, Luiz Carlos Gil e Alex Santana

Ministro diz que 244 mil demissões no ano 'não é um desastre'

Folha Web.


O fechamento recorde de 244 mil vagas no Brasil nos primeiros cinco meses deste ano, de acordo com os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), não é "um desastre", na avaliação do ministro do Trabalho, Manoel Dias. Ele minimizou o fechamento desses postos de trabalho, recorrendo a comparações com o número de postos criados pelos governos do PT (2003-2014). 


"Nós geramos 23 milhões de empregos. Não são 200 mil, 300 mil (vagas cortadas) que significam que estamos vivendo um desastre", disse, ao ser questionado sobre o pior resultado desde 2002, quando começa a série histórica do Caged. Segundo dados do próprio ministério, o saldo líquido de admissões nos últimos 12 anos, que incluiu os dois governos de Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro mandato de Dilma Rousseff, foi positivo em 18,4 milhões. 

José Cruz/Agência Brasil
José Cruz/Agência Brasil


Logo após o anúncio do Programa de Proteção ao Emprego (PPE), que tenta reverter o aumento crescente das demissões, Dias disse que a expectativa do governo é que 2015 feche azul na geração de empregos. Analistas, porém, estimam que o País perderá entre 650 mil e 1 milhão de postos de trabalho no ano. "Se não houver recuperação da capacidade de investimento, isso vai afetando. Mas temos perspectiva de recuperação no segundo semestre." 

A expectativa se baseia na tese de que, por razões sazonais, o mercado de trabalho no Brasil tende a ser mais favorável no segundo semestre. No entanto, para economistas, a intensidade da piora verificada nos cinco primeiros meses do ano faz com que seja pouco provável que possa ocorrer melhora nos próximos meses, que seja suficiente para inverter o quadro atual de queda no emprego. 

A avaliação do ministro sobre a realidade em que se encontram os trabalhadores empregados não encontra respaldo nos dados de órgãos oficiais. "As pessoas que não foram dispensadas estão com um salário bom, acima da inflação, renda familiar altíssima", afirmou Dias. De acordo com o IBGE, um dos fatores para o aumento do índice de desemprego no Brasil é a queda do rendimento médio dos trabalhadores, que obriga mais pessoas a voltar ao mercado de trabalho para recompor a renda familiar. 

Queda 

Sob pressão de parcela do PDT que pede sua saída do comando do Ministério do Trabalho, o ministro afirmou que não está preocupado, embora esteja à disposição para deixar o cargo, se essa for a decisão do partido. "Eu não tenho nenhuma preocupação. Se o partido decidir que eu saio ontem, eu saio ontem. Se decidir que eu saio amanhã, eu saio amanhã", disse. Ele ponderou, entretanto, que nenhuma decisão está tomada e que ainda tem "muito o que fazer" à frente da pasta. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Agência Estado