quarta-feira, 16 de setembro de 2015

TERREMOTO AGORA POUCO NO CHILE

RESTAURANTE NOVO EM ROLÂNDIA - PR.

DOMINGO DIA 20, A PARTIR DAS 11:00 ... TEM RESTAURANTE NOVO NA CIDADE DE ROLÂNDIA!!! DA NOSSA AMIGA PAULA Paula Lopes VENHA COM A FAMÍLIA E AMIGOS SABOREAR UMA DELICIOSA COMIDA ... TE ESPERAMOS.  RUA TEIXEIRA DE FREITAS, 340.  NO ANTIGO KATY CAFÉ NO JARDIM CAVIUNA

Empresa licitada usava ônibus clonados no transporte de alunos em Rolândia

Samara Rosenberger - Redação Bonde - 16/09/2015 
A Polícia Civil apreendeu quatro ônibus clonados, usados para o transporte de alunos em Rolândia, região metropolitana de Londrina, na manhã desta quarta-feira (16). Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em uma empresa localizada na saída de Rolândia para o distrito de São Martinho. 

Os veículos são da Vysa Turismo, licitada da Prefeitura para levar os estudantes da rede municipal às escolas nas quais estão matriculados. De acordo com o secretário de Governo, Daureo Sérgio Gonçalves, a licitação foi assinada no ano passado e está prestes a vencer. "O contrato foi feito no mandato anterior e recebemos a notícia como uma bomba", disse em entrevista ao Portal Bonde. Ainda conforme o gestor da pasta, a renovação do contrato é incerta e dependerá do curso das investigações, já que o município ainda não foi notificado oficialmente. 

Medidas preliminares no âmbito jurídico e educacional já foram tomadas pela administração pública. "Já acionei os advogados para que acompanhem o caso de perto e tragam mais informações. Também entrei em contato com a empresa, cujo dono garantiu que o serviço não será afetado". Mesmo assim, fiscalizadores farão a averiguação da regularidade do serviço amanhã de manhã. "Caso ocorra algum imprevisto, temos nossa própria frota que poderá suprir a demanda existente e não deixará nossos alunos sem transporte", afirmou. 

Um inquérito foi aberto para apurar qual era a intenção da adulteração. Um funcionário da empresa foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos sobre o caso. O dono da empresa já foi convocado para depor. Até a tarde de hoje, ninguém havia sido preso. Contatado pelo Portal Bonde, o delegado de Rolândia negou entrevistas, alegando "segredo de Justiça". (Com informações da RPC TV).

ROLÂNDIA: MAS RECLAMAÇÃO SOBRE CORTE DE ÁRVORES


Que triste ver a árvore mais linda da rua sendo cortada.Cade o meio ambiente dessa cidade...Só pensam em cortar planta nada.

HOSPITAL SÃO RAFAEL DE ROLÂNDIA NA FOLHA DE LONDRINA

FOLHA DE LONDRINA

Prefeitura assume gestão de hospital em Rolândia


Prefeito anuncia auditoria para levantar situação financeira da unidade

Gina Mardones - 25/03/2015
Com dívida estimada de R$ 15 milhões, Hospital São Rafael ficará sob intervenção municipal por seis meses
Em crise financeira e com uma dívida de aproximadamente R$ 15 milhões, o Hospital São Rafael vai passar por uma intervenção municipal, confirmada ontem pela Prefeitura de Rolândia, que vai assumir a administração pelo período de seis meses, conforme decreto municipal. Além do problema no caixa, o hospital também passa por uma crise administrativa desde junho, quando uma nova diretoria foi eleita, mas não assumiu a instituição, alegando falta de informações sobre a situação financeira da unidade. O mandato dos antigos gestores, da Associação Beneficente São Rafael, terminou no final de junho e uma comissão voluntária assumiu a administração até o decreto municipal. 

O prefeito de Rolândia, José de Paula Martins (PSD), informou que uma nova diretoria será nomeada pelo município e uma comissão deve fiscalizar os trabalhos e serviços prestados no hospital, que atende outros sete municípios na microrregião. "Nosso objetivo é realizar uma auditoria, já que não existia prestação de contas no hospital. As primeiras informações são de que a dívida pode chegar até R$ 15 milhões, mas é necessário avaliar os documentos e notas para comprovação. Como não houve a intervenção do Ministério Público, assinamos o decreto de requerimento administrativo para evitar o fechamento do local", afirmou. Em agosto, o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar) cogitou a possibilidade de assumir a administração do São Rafael, o que foi descartado posteriormente. 

REPASSES

Martins também comentou que a prefeitura pretende "legalizar" a situação do hospital em relação às certidões, o que impede repasses municipais e de programas do governo estadual. "Vamos ampliar o atendimento do Pronto Atendimento do município de 18 horas para 24 horas para diminuir a sobrecarga no São Rafael", acrescentou o prefeito, que se reuniu ontem com o secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, para confirmação do repasse mensal de R$ 200 mil para o hospital. Após a conclusão da auditoria e regularização documental, o prefeito não descarta a renovação do decreto, caso nenhum interessado seja encontrado para administrar o hospital. 

De acordo com o decreto municipal, a Associação Beneficente São Rafael não presta contas "mesmo instadas a se manifestar, não efetuou o pagamento de impostos e encargos incidentes sobre a folha de pagamento do quadro de pessoal e não efetuou o pagamento de obrigações perante vários fornecedores." Além disso, o documento ainda aponta para falhas de gestão e transparência, "ocasionando o iminente risco de seu fechamento e colapso à saúde da população." 

OUTRO LADO

Segundo Martins, o decreto de requerimento administrativo também prevê o afastamento dos atuais diretores. O presidente da comissão de voluntários, José Danilson Alves de Oliveira, ex-prefeito de Rolândia, afirmou que o grupo assumiu temporariamente a administração do hospital durante três meses. No entanto, ele rebateu a informação sobre a falta de prestação de contas e problemas nas certidões. "Conseguimos a regularização na Justiça e o hospital está apto a firmar convênios. Além disso, apresentamos um balanço das contas neste período. Só para o INSS, o São Rafael deve R$ 3 milhões, fora o passivo trabalhista", acrescentou. Oliveira defendeu medidas para que o hospital se torne sustentável, já que 95% dos atendimentos são realizados via Sistema Único de Saúde (SUS).

Rafael Fantin
Reportagem local