quinta-feira, 26 de novembro de 2015

ETANOL ÁLCOOL MAIS BARATO EM CAMBÉ

Acabei de abastecer com etanol no Posto de Gasolina do Supermercado Muffato de Cambé. Etanol a R$ 2,57. Pelo que sei em Rolândia se pratica preço superior. Fica aí a dica. Indo para Londrina, passe em Cambé e abasteça. Economize alguns reais.

PORTO SECO ( CONTAINERES ) DE CAMBÉ - PR.

FOTOS By JOSÉ CARLOS FARINA













VAI FALTAR ÁGUA DOMINGO EM ROLÂNDIA

Obra de melhoria afeta abastecimento de água em Rolândia


Publicado em 26/11/2015 

A Sanepar comunica que, neste domingo (29), a execução de obras de melhoria na rede de distribuição vai afetar o fornecimento de água em Rolândia. O serviço começa às 7h e segue até as 13h. A previsão é que o retorno do fornecimento ocorra de forma gradativa e seja normalizado no início da noite.

Clientes que não possuem caixa-d'água domiciliar podem ficar desabastecidos temporariamente. A Sanepar lembra que, de acordo com norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), cada imóvel deve ter caixa d'água com capacidade para atender as necessidades por, no mínimo, 24 horas. O reservatório domiciliar deve armazenar pelo menos 500 litros.

A Sanepar pede a colaboração de todos e orienta a população para que utilize a água de forma racional e evite desperdícios.

O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar é feito pelo telefone 0800-200-0115. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula. Acompanhe mais informações pelo site www.sanepar.com.br.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governopr ewww.pr.gov.b
r

MAIS UMA ASSALTO EM ROLÂNDIA - PR.


NA AVENIDA ATLANTA MAIS UMA VÍTIMA DE ASSALTO. O SENHOR I. G. P. INFORMOU QUE UM INDIVÍDUO PAROU UMA MOTO DE COR PRETA EM SEU ESTABELECIMENTO DANDO VOZ DE ASSALTO. NA OPORTUNIDADE LEVANTOU SUA BLUSA MOSTRANDO UM VOLUME QUE SUPOSTAMENTE SERIA UMA ARMA DE FOGO. ACABOU LEVANDO UM CELULAR E A QUANTIA DE R$ 60,00 DO CAIXA

LOCAÇÃO ALUGA-SE CASAS E SALÃO EM ROLÂNDIA - PR. ( ALUGAMOS )

1)- SALÃO COMERCIAL NA RUA ARTHUR THOMAS, 2.320. PARA ESCRITÓRIO OU SALÃO DE CABELEIREIRA. R$ 375,00 (incluído água) - TRATAR PELO  TELEFONE 3256-1908

2)-  ALUGA-SE CASA RUA REINALDO MASSI, Nº 574 (VILA OLIVEIRA), DE MADEIRA, COM 2 QUARTOS, DE FUNDOS, POR R$ 250,00.  TELEFONE 3256-1908

3)- CASA MADEIRA RUA  AFONSO  CAMARGO, 45 - 2 QUARTOS, s/garagem - R$ 250,00.  TELEFONE 3256-1908.

4)- CASA MADEIRA RUA  AFONSO  CAMARGO, 151 - 2 QUARTOS, s/garagem - R$ 250,00.  TELEFONE 3256-1908.

QUEM AUTORIZOU VENDER AS NOSSAS HIDRELÉTRICAS ???? A MÃE JOANA?



Ontem, dia 25/11, foi um dia tão intenso que ninguém soube, nem a mídia falou do maior leilão de privatização que o governo fez em 17 anos, e os chineses foram os principais compradores.


Enquanto a militância luta com unhas e dentes para manter o manto ideológico…

SPOTNIKS.COM|POR FELIPPE HERMES

Cerveró diz que Dilma 'sabia de tudo'








São Paulo - Na minuta da delação premiada do ex-diretor internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, há anotações do executivo à mão dizendo que a presidente Dilma "sabia de tudo de Pasadena" e que inclusive estaria cobrando o então diretor pelo negócio, tendo feito várias reuniões com ele. O acordo de Cerveró foi firmado com a Procuradoria-Geral da República e submetido ao ministro do Supremo Teori Zavascki, que ainda não decidiu sobre sua homologação. 




O fato veio à tona nas conversas gravadas entre o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral, o advogado Edson Ribeiro, que defendia Cerveró, e o filho do ex-diretor, Bernardo Cerveró. No diálogo, o senador revela que teve acesso ao documento sigiloso da delação do executivo por meio do banqueiro André Esteves, CEO do banco BTG Pactual e questiona sobre as citações à presidente manuscritas na minuta do acordo de delação. 


Na gravação, o filho de Cerveró confirma que as anotações são mesmo de seu pai. Os áudios dos encontros do político com o advogado, gravados por Bernardo Cerveró, foram utilizados pela Procuradoria-Geral da República para pedir a prisão de Delcídio, André Esteves, Edson Ribeiro e o chefe de gabinete do senador. 


No documento, conforme menciona Delcídio na gravação, há referências de que Dilma "sabia de tudo" e que ela "estava acompanhando tudo de perto", tendo inclusive cobrado Cerveró sobre o negócio. A aquisição da refinaria de Pasadena é investigada por Polícia Federal, Tribunal de Contas da União, Ministério Público por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas. O conselho da Petrobras autorizou em 2006, quando Dilma era ministra da Casa Civil e presidente do Conselho de Administração da estatal, a compra de 50% da refinaria por US$ 360 milhões. 


Posteriormente, a estatal foi obrigada a ficar com 100% da unidade e acabou desembolsando US$ 1,18 bilhão - cerca R$ 2,76 bilhões. Segundo apurou o TCU, essas operações acarretaram em um prejuízo de US$ 792 milhões à Petrobras. 


O Palácio do Planalto informou que não vai se manifestar sobre o caso.


Mateus Coutinho, Valmar Hupsel Filho e Andreza Matais





Agência Estado

SUPREMO TRIBUNAL DIZ QUE "CORRUPTOS VÃO SER PUNIDOS UM A UM"

FOLHA DE LONDRINA

'O escárnio venceu o cinismo', diz ministra

Na decisão do STF que confirmou prisão do senador Delcídio Amaral, Cármen Lúcia fez referência ao mote da campanha de Lula em 2006


Brasília - Ao confirmarem ontem a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) fizeram duros discursos contra práticas criminosas por agentes públicos, sustentaram que a imunidade parlamentar não representa impunidade e, em tom de aviso, apontaram que os criminosos não passarão sobre a Justiça e as instituições. A prisão de Delcídio, do banqueiro André Esteves, e de mais duas pessoas foi determinada pelo ministro Teori Zvascki, relator da Lava Jato no Supremo. Ele é o primeiro senador preso desde 1988. Delcídio, segundo a Procuradoria Geral da República, ofereceu uma mesada ao ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró para que ele não firmasse delação premiada e sugeriu ter influência sobre ministros do STF. Pela Constituição, um parlamentar só pode ser preso em caso de flagrante de crime inafiançável. 
Diante do peso de decisão, Teori levou o caso para a Segunda Turma do Supremo avaliar a liminar (decisão provisória), que foi mantida por unanimidade. Vice-presidente do Supremo, a ministra Cármen Lúcia puxou os discursos mais críticos a atos criminosos praticados por políticos. Numa referência ao mote da campanha que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto em 2006, ela afirmou que com o mensalão o cinismo venceu a esperança, mas apontou que o crime não vai vencer a Justiça. "A maioria de nós acreditou no mote de que a esperança tinha vencido o medo. Depois, nos deparamos com a ação penal 470 (mensalão), e descobrimos que o cinismo venceu aquela esperança. Agora, parece que o escárnio venceu o cinismo", afirmou. 
"Mas o crime não vencerá a Justiça, aviso aos navegantes dessas águas turvas. Criminosos não passarão sobre juízes e sobre as novas esperanças do povo brasileiro. Não passarão sobre o Supremo, não passarão sobre a Constituição do Brasil",completou a ministra. 
Zavascki afirmou em seu voto que há elementos de que o senador cometeu um crime permanente, que é o de associação criminosa, e que justificaria a sua prisão em flagrante, destacando ainda que há crime inafiançável. Zavascki disse ainda que ficou configurada "grave ameaça à ordem pública mediante esforços desmedidos para garantir a própria impunidade" na atuação de Delcídio. 
Ministro mais antigo do Supremo, Celso de Mello reforçou o discurso. "A imunidade parlamentar não é manto protetor de supostamente comportamento criminosos". Celso de Mello voltou a falar sobre a captura das instituições e do Estado por organizações criminosas, sendo que "marginais" se apossaram supostamente dos aparelhos do Estado, algo que classificou de "realidade perigosa". "É preciso esmagar, é preciso destruir com todo o peso da lei, respeitada a devida garantia constitucional, esses agentes criminosos". 
Dias Toffoli chamou de falácia a tese de que a Justiça não agia sobre políticos no passado, sendo que só a partir de 2002 o Supremo foi autorizado a processar congressista sem autorização do Congresso. "Criou-se uma lenda urbana de que o Poder Judiciário e esta Suprema Corte seria leniente com a impunidade, que não atuava contra os agentes políticos e poderosos. Isso é uma lenda urbana e uma falácia", disse. "O que havia era um bloqueio constitucional". 
Gilmar Mendes negou que tivesse tratado de Lava Jato com Delcídio, e classificou o caso de situação "grave e rara". Os ministros demonstraram irritação com a fato de que Delcídio teria prometido ter influência sobre integrantes do STF, como indicam as investigações.
Márcio Falcão e Aguirre Talento
Folhapress