quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Atleta de Rolândia vence corrida em Apucarana


O prefeito Beto Preto e o secretário municipal de Esportes, estiveram no evento 
RAUL CÉSAR DOS REIS, em TNOnline
O jovem atleta rolandense Victor Santos Gomes, da equipe Tucanos, foi o vencedor da terceira e última etapa do Circuito de Corrida de Rua Santo Trevisan, disputada neste domingo no entorno do Lago Jaboti, em Apucarana. A competição, que reuniu mais de 200 atletas de toda a região, teve o percurso de 6,2 Km. Alan Matias, Cláudio da Silva e Paulo Vinícius França Ribeiro ficaram em 2º, 3º e 4º lugares, respectivamente. 


Eles também residem em Rolândia. O quinto colocado foi o apucaranense Ronaldo Dillian de Paiva. Pelo naipe feminino na classificação geral, a primeira colocada foi a apucaranense Rosiane Cristina Bolonhezi, da equipe Pé Vermelho, que no domingo retrasado no mesmo local, obteve a primeira posição na quarta edição do Duathlon Terrestre do Lago Jaboti. A experiente atleta Lourdes Maria de Jesus Oliveira, também de Apucarana, ficou em segundo lugar. 

Na semana passada, representando a “Cidade Alta” em Francisco Beltrão, Lourdes conquistou a medalha de bronze na prova de 10 Km na fase final da Divisão “A” dos Jogos Abertos do Paraná (JAP´s). O terceiro lugar no naipe feminino na Corrida Santo Trevisan ficou com a cambirense Elissandra do Santos, seguida por Alessandra Rodrigues, também de Cambira, e Renata Paula Rosini, de Apucarana. O prefeito Beto Preto e o professor Paulo Kisner, o Paulão, secretário municipal de Esportes, estiveram no evento e entregaram medalhas e troféus aos melhores colocados.

MOTORISTA CAI NA VALA EM LONDRINA



ELIANDRO PIVA


Um motorista de 28 anos ficou ferido, após desviar seu caminhão de motociclistas que estavam parados na faixa de pedestre da Av 10 de Dezembro e ficar preso na canaleta que divide as pistas. Após a colisão o motorista caiu na agua e foi arrastado por cerca de 100 metros do local do acidente. Socorrido por populares e bombeiros foi encaminhado ao hospital.


C

ROLÂNDIA: SECRETÁRIO DA SAÚDE DIZ QUE AS UTIs SÃO DO ESTADO DO PARANÁ


Para esclarecer boatos que circulou na Internet hoje, o Secretário municipal de rolândia da saúde, Érico Alencar, concedeu entrevista e afirmou que  "é o Estado do Paraná quem tem responsabilidade sobre o funcionamento e atendimento das UTIs não só do Hospital São Rafael, como em outros estabelecimentos congêneres do Estado". se hoje algum Rolandense necessitar de um leito de UTI, nada garante que o mesmo será internado aqui. As vagas são regionais. Um Rolandense poderá sem encaminhado para Londrina e um londrinense poderá sem encaminhado para Rolândia .A  triagem é feito a fora. A  central  de leitos é  do governo do Parana. Todos  recursos  para as UTIs vem do Ministério. da saúde e do governo do Paraná. Houve uma diminuição dos valores repassados e  um corte nos pagamentos. Por isso os médicos pediram desligamento para o mês de dezembro. Cabe ao Município de Rolândia apenas reivindicar  a continuação do atendimento, o que já foi feito. TEXTO By JOSÉ CARLOS FARINA. FOTO DE ARQUIVO.

CUNHA ACEITA PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA DILMA ROUSSEF






Presidente da Câmara acatou argumentos da peça apresentada pelos juristas Hélico Bicudo e Miguel Reale. Seguimento do processo agora terá de 


VEJA.ABRIL.COM.BR|POR MARCELA MATTOS, DE BRASÍLIA 








PROMOÇÃO DE GÁS EM ROLÂNDIA DISK / LIGUE TELEFONE


NÃO PERCA ESTA PROMOÇÃO 

PEÇA O SEU GÁS FORTE GÁS 

FONE 3256-3426 - 9853-2801 -   R$ 59,99– Rolândia





C

ROLÂNDIA: Hospital São Rafael fecha UTI

FOLHA DE LONDRINA

Sem pagamento de honorários nos últimos seis meses, médicos cruzam os braços

Marcos Zanutto
Fechamento de dez leitos de UTI em Rolândia deve impactar atendimento de hospitais em Cambé e Londrina


Rolândia - A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Rafael de Rolândia fechou as portas temporariamente, ontem, por causa da falta de pagamentos dos honorários dos plantonistas, atrasados há seis meses. O problema é mais um capítulo de um ano turbulento na administração do hospital, que acumula uma dívida de aproximadamente R$ 15 milhões, segundo informações preliminares dos auditores que analisam a situação financeira da unidade, que passa por uma intervenção municipal. Alegando risco de fechamento do hospital, que atende pacientes de nove municípios em uma área de 150 mil moradores, a prefeitura assumiu a gestão do hospital em setembro após afastamento da antiga direção. 
A atual diretora administrativa do São Rafael, Marisa Ferracin, informou que a UTI tinha quatro leitos ocupados nesta semana, no entanto, três pacientes receberam alta e o último foi transferido para a enfermaria ontem com o quadro de saúde estável. "Desde quarta-feira, a desativação temporária foi comunicada à Central de Regulação e não houve mais encaminhamentos. Atualmente, oito leitos estavam em condições de pleno funcionamento. Com a aquisição de mais dois respiradores, todos os dez leitos passariam a atender pacientes", afirmou. A desativação da UTI pode impactar no atendimento de hospitais em Cambé e Londrina com mais encaminhamentos dos casos graves para os municípios vizinhos. 
O secretário municipal de Administração, Marcelo Gonçalves, argumenta que a responsabilidade pela UTI seria do governo estadual, que alterou a metodologia dos repasses mensais a partir da taxa média de ocupação dos leitos. Assim, o hospital teria deixado de receber o valor integral de R$ 180 mil para manutenção dos equipamentos, compra de medicamentos e pagamentos dos honorários de plantonistas terceirizados que atuam na UTI. "Com esse corte no repasse, tivemos que escolher entre a manutenção da UTI ou o pagamento dos honorários. Os médicos trabalharam sem receber por alguns meses e pedem o pagamento de novembro e dezembro para retorno do atendimento, e negociações futuras para quitação dos atrasados. Em curto prazo, a única solução é o repasse mensal no valor de R$ 180 mil", comentou Gonçalves. 

Fechamento dos 10 leitos da UTI do Hospital São Rafael pode causar impacto em toda região


Na avaliação dele, os dois meses de intervenção municipal descartaram o risco de fechamento da unidade com atendimento normalizado em todos os setores, com exceção da UTI. "A prefeitura repassa mensalmente R$ 340 mil ao hospital e não existe mais o risco iminente de fechar as portas", garantiu. Além do problema no caixa, o hospital também passou neste ano por uma crise administrativa após a eleição de uma nova direção que não assumiu a instituição, alegando falta de informações sobre a situação financeira da unidade. O mandato dos antigos gestores, da Associação Beneficente São Rafael, terminou no fim de junho e uma comissão voluntária assumiu a administração até o decreto de intervenção municipal. 


NOVO CONVÊNIO


A chefe da 17ª Regional de Saúde, Terezinha Sanchez, afirmou que o problema na UTI do São Rafael ocorre por falhas administrativas devido a sobrecarga, principalmente, nos atendimentos no Pronto-Socorro. Ela lembrou que houve redução no atendimento e esclareceu que o repasse de R$ 180 mil é realizado conforme a produtividade. No entanto, ela garantiu a continuidade do convênio apesar do fechamento da UTI. "A partir do momento que o atendimento for retomado, os repasses voltam a ser realizados", justificou.
Segundo Terezinha, um convênio de R$ 200 mil deve ser firmado na próxima semana entre o governo do Estado e o São Rafael, após atraso no envio de documentos por parte do hospital. "É mais um incentivo para assegurar o funcionamento do hospital, que é muito importante para a microrregião de Rolândia", acrescentou.
Rafael Fantin

Reportagem local

SÃO MARTINHO ( ROLÂNDIA-PR. ) CAPITAL DOS EMBUTIDOS

FOLHA DE LONDRINA

Na festa de São Martinho
O deputado estadual Tercílio Turini participou da festa da Paróquia de São Martinho, Distrito de Rolândia. Lá, reencontrou vários amigos, pois há muitos anos frequenta o local. Sua esposa Bárbara morou lá com os pais, durante bom tempo. E quase todos os fins de semana, lá estão visitando os avós de seus filhos. Na foto, estão o padre Daniel e o empresário Marcos Sanches, da Casa de Carnes Central. São Martinho é oficialmente a "capital paranaense dos embutidos", por lei do deputado Tercílio Turini, em homenagem à qualidade dos produtos lá fabricados por diversos açougues e frigoríficos do Distrito, que se tornou referência no Paraná