quinta-feira, 18 de agosto de 2016

HISTÓRIA DE ROLÂNDIA: DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ ?

MEDÍOCRES PENSANDO EM CONSERTAR O MUNDO”.

A postagem sobre o triste destino das edificações históricas de Rolândia rendeu altas conversas. De um lado os defensores do patrimônio histórico, do outro os defensores da modernidade. Não tem como conciliar os dois times? O assunto não deve se limitar apenas aos cinemas e aos hospitais que Rolândia tinha, mas também incluir nossa incrível fauna e flora que responde incrivelmente se damos atenção a ela. A folha vermelha em formato e coração da imagem é do pé “Sangra d’água” que, quando ferido, solta uma seiva cor de sangue. Os índios usavam essa seiva como protetor solar e os holandeses patentearam o principio ativo dessa planta. Seria apenas mais um pequeno exemplo da nossa ignorância em relação aos patrimônios que temos e não valorizamos. Quanto às edificações abandonadas de Rolândia: elas podem virar cinemas (como o nosso paiol de milho que virou o “Cine Paiol” ou o “Cine da Mata” da Pousada Marabu.)... podem se transformar em espaços culturais como a antiga cadeia de Londrina ou espaço de memória como a antiga escola rural do Patrimônio do Caramuru. Foram pequenos esforços “medíocres” de uma época que garantiram à humanidade parques como da Tijuca no Rio ou das Cataratas em Foz. De forma bem mais modesta Rolândia tem inúmeros exemplos a serem revitalizados (imagina quantos empregos poderão ser criados com esta saudável atividade!) que vão deixar nossos sucessores de boca aberta, inspirados e agradecidos. DANIEL STEIDLE