quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Jayme Canet morreu

Morre aos 91 anos o ex-governador do Paraná Jayme Canet Júnior

Redação Bonde - 31/08/2016
O ex-governador do Paraná Jayme Canet Júnior (1975-1979), morreu nesta quarta-feira (31), aos 91 anos. O governador Beto Richa (PSDB) decretou luto oficial de três dias. 

O ex-governador era de Ourinhos, filho de Jayme Canet e Anita Lopes Canet. O pai, comerciante de café, veio para a região do Norte do Paraná na década de 1930. Estudou em Curitiba, no grupo escolar 19 de Dezembro no Ginásio Paranaense. 

Na década de 1940, entrou na escola de Engenharia, mas não concluiu a carreira. Seguiu na gerência dos negócios de família no comércio e na agricultura, principalmente no ramo do café. 

Eleito governador pela Assembleia Legislativa em 03 de outubro de 1974, tomou posse em 15 de março do ano seguinte. Ao assumir, deu o tom da gestão e do caminho a ser seguido pelo Estado ao expressar que o grande desafio era dar sustentação ao processo de transformação da economia paranaense, que deixaria "a condição secular de essencialmente agrícola" para ser "predominantemente agroindustrial". 

Fundou o Partido Popular que foi absorvido pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). 

Uma das áreas que recebeu maior atenção ao longo da administração de Canet foi a malha rodoviária estadual. Em quatro anos de gestão, ele pavimentou cerca de 4 mil quilômetros de estradas, integrando o Estado e facilitando a comunicação entre todas as regiões econômicas paranaenses. 

Jayme morreu em Curitiba, por falência respiratória. O velório será a partir das 8h no Palácio Iguaçu, em Curitiba, e o enterro no Cemitério Municipal, às 16h. 

Reprodução
Reprodução


Nota 

Beto Richa lamentou o falecimento do ex-governador, por meio de nota. "Um dos mais realizadores na história do Paraná, o governo de Canet lançou as bases para a implantação da moderna infraestrutura de transporte do Estado, com a pavimentação de milhares de quilômetros de rodovias em todo o território paranaense", diz um trecho do texto. 

Beto Richa definiu Canet como "íntegro, dinâmico e austero" e citou a contribuição do ex-governador no processo de transição de um estado agrícola para uma economia industrial.