segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Três jovens são executados a tiros de pistola na região de Londrina

Auber Silva - Redação Bonde - 24/10/2016 -


Três jovens - de idades que vão de 17 a 28 anos - foram brutalmente assassinados em ocorrências diferentes em um intervalo de menos de cinco horas entre o final da noite de domingo (23) e a madrugada desta segunda-feira (24). Dois dos homicídios foram cometidos em Rolândia e o terceiro em Cambé, todos na Região Metropolitana de Londrina. Nos três casos, ninguém foi preso até o momento. 

A primeira vítima foi um adolescente de 17 anos que estava sentado em frente à sua casa, na rua Antônio Raposo Tavares, no Jardim Ana Eliza, em Cambé, e foi baleado enquanto conversava com um amigo. Um carro branco passou pela via por volta das 23h30 e, de dentro dele, um homem ainda não identificado desferiu diversos disparos contra a cabeça do menor. 

O rapaz já estava morto quando o socorro chegou ao local. Seu amigo não se feriu. De acordo com a perícia do Instituto de Criminalística da Polícia Científica de Londrina, que esteve nas três ocorrências, pelo menos quatro tiros acertaram a cabeça do adolescente. No local foram recolhidos estojos de pistola 380. 

Reprodução
Reprodução


Poucos minutos antes da 1h desta segunda, Roberval Santos Correia, de 28 anos, foi assassinado com pelo menos dez tiros de pistola na avenida Atlanta, no Jardim Santiago, em Rolândia. No local também havia diversas cápsulas deflagradas de pistolas de diversos calibres. Siate e Samu foram acionados, mas nada puderam fazer. 

Cerca de três horas depois, às 4h, mais uma pessoa foi morta em Rolândia. Desta vez, a vítima foi Adriano de Morais dos Santos, 23. Apesar de ter um sobrenome igual, ele não seria parente do outro rapaz executado na cidade durante a madrugada. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foi possível observar cerca de 30 ferimentos em Morais. A perícia fala em pelo menos 20 disparos que acertaram diversas regiões do corpo do rapaz. Novamente, as armas utilizadas para a execução foram pistolas de calibres diversos. 

A perícia do Instituto de Criminalística tentou levantar pistas que pudessem esclarecer se os três crimes têm ligação, mas até o momento não é possível fazer uma conexão entre os homicídios. Além do uso de pistolas, os únicos fatores em comum seriam a extrema violência e a clara intenção de executar as vítimas. Os estojos e demais evidências foram encaminhados às delegacias das cidades para que os inquéritos possam ser instaurados. Os três corpos foram levados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina. 

Segundo informa a Polícia Militar (PM), tanto Correia quanto Morais possuíam diversas passagens pela cadeia, sobretudo por tráfico de drogas.