domingo, 29 de maio de 2016

ROLÂNDIA: VEREADOR PEDE MELHORIAS PARA O JD. DO LAGO

VER. ZÉ DE PAULA
Na tarde deste domingo (29), estive atendendo a solicitação de um dos moradores do Jardim do Lago, aonde observei a situação ao redor do Lago. Localizado no término da avenida maracanã.

Esse munícipe esteve me solicitando a revitalização, e a implantação, de uma área de lazer neste local. Me alegro, pois vejo a preocupação dos moradores em ver este local revitalizado.


Desejo a todos uma ótima semana.


ROLÂNDIA: VEREADOR QUER UM LOCAL SEGURO PARA AS BIKES

VER. JOÃO ARDIGO
O Vereador fez a Indicação Nº 315/2016 para o Senhor Prefeito do Município de Solicitando a implantação de um bicicletário ao lado do Posto de Combustíveis Yamada. Muitas pessoas que trabalham nos Municípios de Londrina, Cambé e Arapongas e utilizam o transporte metropolitano deixam suas bicicletas naquele espaço, pois no local já existe um bicicletário, porém o mesmo possui poucas vagas e, segundo informações, dependendo do dia, existem mais de 60 (sessenta) bicicletas que pegam sol e chuva e, diante disso, solicito um local apropriado para colocá-las em segurança, por esta razão solicito a instalação de um BICICLETÁRIO COBERTO, que trará mais comodidade e segurança aos ciclistas.



VÍDEO Nº 1 FESTA DA COLHEIRA DA IGREJA LUTERANA DE ROLÂNDIA By FARINA

BLOG DO FARINA COM 100 MIL VISUALIZAÇÕES MENSAIS

CLIQUE PARA AUMENTAR

OBRIGADO AMIGOS ( AS )....






FOTOS DA FESTA DA COLHEITA DA IGREJA LUTERANA 2016 By FARINA

29/05/16 - 16 horas - Daqui a pouco o 1º vídeo do evento - Aguardem... FOTOS By JOSÉ CARLOS FARINA













































































































ASSALTARAM ATÉ A IGREJA


Paróquia é alvo de assalto na região de Londrina


Uma igreja católica de Arapongas, na região metropolitana de Londrina, foi alvo de furto na noite da última sexta-feira (27). A paróquia, situada na rua Picapauzinho Dourado, no conjunto Corina, foi invadida e um computador da unidade foi furtado. 

De acordo com a Polícia Militar, não havia qualquer sinal de arrombamento, no entanto, o equipamento foi levado. A Polícia Civil vai investigar o caso.
Redação Bonde

LUKE DE HELD: PROMOTOR DE JUSTIÇA E BLUESEIRO

FOLHA DE LONDRINA

As leis da música

Londrinense aposta no gerenciamento de tempo para seguir simultaneamente com as carreiras de promotor de Justiça e músico

Fabio Alcover
Luke de Held com sua primeira Gibson: "A música tem o poder de tocar o coração das pessoas"


Luke de Held escolheu um programa tipicamente londrinense como cenário da entrevista para a Folha de Londrina: o domingo de manhã no Mercado Shangri-lá. "Só não pode ser muito cedo porque tenho show na véspera", avisou. Mas foi apenas durante o bate-papo que ele contou o que o levou a sugerir o endereço. "Além de ser um local icônico da cidade, o Mercado foi idealizado pelo meu pai", conta o promotor de Justiça e músico londrinense. 
Filho do empreendedor Lucilio de Held, Luke lembra que o pai também foi o responsável pelo loteamento do Jardim Shangri-lá. "E o Mercado estava integrado ao loteamento", conta. "Londrina vivia um surto enorme de desenvolvimento em função da economia cafeeira e isso conspirou a favor dos empreendedores, e meu pai tinha esse espírito." 
Com a paixão pela música, que descobriu aos 6 anos, Luke também vem desenvolvendo um lado empreendedor todo próprio. No mês passado, promoveu o 1º Redland Music Festival em Londrina e já planeja repetir a dose no ano que vem. Em três dias de festival, foram 30 shows em três endereços diferentes. "O próximo vai ser como gestar um filho, vamos começar a planejar nove meses antes." 
"Em 2013 fui convidado para acompanhar o Decio Caetano no Mississipi Delta Blues Festival, em Caxias do Sul (RS), que é o segundo maior festival de blues do mundo. E voltei de lá maravilhado", conta Luke. "Mudou minha vida musicalmente. Tive oportunidade de ver e interagir com os melhores do mundo. Tocar um set de uma hora e meia com um cara como Álamo Leal vale por 10 anos de aprendizado", conta. 
Na volta a Londrina, Luke elencou algumas semelhanças de Caxias do Sul com a cidade natal: "As duas são as segundas maiores cidades de seus estados e têm mais ou menos o mesmo número de habitantes." E foi assim que surgiu a ideia de "tentar realizar algo parecido por aqui". Mesmo antes da primeira edição do Redland, Luke já vinha se esmerando na promoção do Circuito Internacional de Blues na cidade. 
Uma curiosidade de criança o levou, aos 6 anos, a colocar o vinil dos Beatles para tocar na "Sonatinha azul, que tinha a caixa de som na tampa", resgata. "Meu coração disparou, foi uma experiência sensorial intensa." Esse foi o primeiro dos três momentos marcantes que Luke cita como definitivos em sua trajetória musical. 
"No segundo momento eu tinha de 15 para 16 anos, numa apresentação no auditório do Marista. A Claudia Volpato tocou duas músicas e aquilo mexeu comigo. Percebi o poder que a música tem de tocar o coração das pessoas", relata. Em dois dias ele estava matriculado em um curso de violão. "Mas foram só três meses, não era aquilo que eu queria, queria rock. Saí pra ser autodidata", conta. 
O terceiro momento foi o contato com o programa de rádio Azylo Hotel, do Paulão Rock’n’roll. Foi nessa época que Luke montou a primeira banda, batizada de Santo Presépio, que tinha o cantor Ivo Pessoa como um dos integrantes. "Era uma banda autoral, mas mais porque não tínhamos competência para tirar os covers", diverte-se o músico. 
Apesar da veia musical surgida na adolescência, Luke escolheu a faculdade de Direito para seguir carreira. "Havia uma cobrança familiar forte", lembra. "Sempre acreditei, desde a faculdade, que o Direito é, antes de tudo, uma ferramenta de libertação", justifica. Mesmo durante os cerca de três anos que estudou para se preparar para os concursos, Luke nunca parou de tocar. "A época que menos toquei foram os quatro primeiros anos em Guaratuba", lembra o músico, que por 10 anos foi promotor no litoral paranaense, até pedir a transferência para Astorga. 
"A música voltou com mais frequência quando recebi um convite de uns amigos para tocar no Crossroads, em Curitiba. E aí surgiu a questão de gerenciar o tempo para conciliar as duas coisas. Foi uma época particularmente desafiadora. Tocava toda sexta e sábado e vivia no fuso horário asiático, trocando a noite pelo dia", conta. 
Em Curitiba, onde cursou a Universidade Federal do Paraná, integrou a banda Crackerjack, antes disso montou A Chave do Som, com o conterrâneo Elieser Botelho Júnior. Em Guaratuba, uniu-se aos irmãos Ronaldo e Renato Prigoli na Rockbrothers. De volta à terra natal, empresta o nome à Luke de Held & The Lucky Band, com Sara Secco Delallo, Diogo Morgado e Wellington Souza. 
"Sou um aficionado por Star Wars e aproveitei que meu nome, Lucilio de Held Júnior, comportava e assumi o Luke, em 1983, época da primeira trilogia", entrega o músico sobre o apelido que escolheu para si mesmo e transformou em grife musical.
Karla Matida

Reportagem Local

FESTA ALEMÃ EM ROLÂNDIA NESTE DOMINGO NA LUTERANA ( NÃO PERCAM )


ENCONTRO DOS CARROS ANTIGOS EM ROLÂNDIA FOI CANCELADO


DEVAGAR... MAS SURGE O TURISMO EM ROLÂNDIA....

DANIEL STEIDLE
OS GOSTOS NÃO PRECISAM SER OS MESMOS... uns gostam de bicicleta, outros de carrinhos de rolimã, música caipira, música dos pássaros ou de um simples recipiente de madeira onde dentro gira uma semente de olho de boi... O ciclista veio de Apucarana, os corredores de rolimã e os caminhantes de Rolândia. Turismo é se conhecer melhor!


VÍDEO CHURRASCO DE COSTELA DE BOI NA PANELA DE PRESSÃO EM 45 MINUTOS