terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Duzentas baleias encalham na Nova Zelândia

FOLHA DE LONDRINA

Farewell Spit é conhecida pela ocorrência de encalhes de baleias; não existe explicação científica clara para o comportamento

Marty Melville/AFP

Farewell Spit - Outras 200 baleias encalharam neste sábado (11) em Farewell Spit, na Nova Zelândia, apesar dos esforços de centenas de voluntários, um dia depois que outras centenas de cetáceos morreram na praia. A informações foi dada por Herb Christophers, porta-voz do departamento de Proteção do Meio Ambiente (Department of Conservation, DOC). Na véspera, 416 baleias-pilotos foram achadas na praia de Farewell Spit, na região de Golden Bay, norte de South Island, uma das principais ilhas da Nova Zelândia. 

Cerca de 300 já estavam mortas quando foram localizadas e 500 voluntários tentaram então salvar as sobreviventes, sem êxito. 

Os 150 voluntários ignoraram um alerta de tubarões para formar uma corrente humana no mar e impedir que as baleias sobreviventes voltassem à praia, assim como a chegada de outros 200 exemplares. Mas tiveram de interromper seus esforços com o cair da noite, e as 200 baleias encalharam a 3 km do local onde apareceu o primeiro grupo na véspera. 

As baleias-piloto, também conhecidas como calderão, chegam a medir seis metros de extensão e são a espécie mais comum na Nova Zelândia. Segundo Christophers, o fato de devolver algumas baleias à água não significa que elas vão sobreviver, já que podem voltar à praia. Cerca de 20 baleias resgatadas na sexta morreram desse jeito neste sábado. 

Farewell Spit, situada 150 km a oeste da cidade turística de Nelson, é conhecida pela ocorrência de encalhes de baleias. Nos últimos 10 anos, foram registrados ao menos nove casos. Fenômenos anteriores com números maiores foram registrados em 1918, quando mil exemplares encalharam nas ilhas Chatham, e em 1985, quando 450 baleias encalharam em Auckland. 

De acordo com analistas, não existe explicação científica clara para o comportamento, sendo a causa mais provável a geografia submarina do local. 
Este tipo de baleia é conhecido por sua tendência a retornar para a praia, apesar de ser colocada de novo no mar. Os especialistas acreditam que este pode ser um comportamento para tentar reunir-se com os demais membros do grupo. 
"Não sabemos por que o novo grupo (de 200 baleias) entrou na baía", comentou Daren Grover, diretor-geral da organização ambiental Project Jonah, que participa nos trabalhos de resgate. "As baleias responderam talvez a sinais emitidos pelas baleias que já haviam entrado. É muito incomum, nunca havíamos visto nada assim", acrescentou. 

Um membro do DOC, Mike Ogle, declarou que os cetáceos podem ter se dirigido à costa por medo dos tubarões. "Há uma baleia com marcas de mordida de tubarão. E as autoridades assinalaram a presença de grandes tubarões brancos nos arredores de Farewell Spit", explicou. Andrew Lamason, também do DOC, culpou a geografia submarina da zona. "Em Farewell Spit há uma grande quantidade de areia com forma de gancho e as águas são pouco profundas. Quando as baleias entram, fica muito difícil sair", explicou. 

A praia de Farewell Spit oferecia neste sábado um espetáculo desolador com uma fileira de cetáceos mortos. Tim Cuff, um especialista em mamíferos marinhos do Project Jonah, contou ter visto uma voluntária alemã que tentou proteger a todo custo uma baleia. "Ela não queria abandoná-la. Chorava abraçada a ela".

France Presse