sábado, 18 de março de 2017

FARINA e DANIEL STEIDLE DÃO OPINIÃO SOBRE O CONTORNO NORTE DE LONDRINA

MUITOS POLÍTICOS, POUCA ÁGUA...

A Câmara de Londrina é espetacular! Ontem houve uma Audiência Pública sobre o Contorno Norte que lembrava os tempos de campanha eleitoral. Apenas o Elton Charles Pereira deixou suas dúvidas por escrito sobre a obra que há 20 anos está esperando sair do papel. A obra, para ser realizada em 2021, seria de 29 km de pista simples na região norte de Londrina, passando próximo do Córrego Jacutinga, atravessando Cambé e chegando até o problemático entroncamento da BR 369 de Rolândia. Segurança foi colocado como o grande apelo, também a necessidade de indústrias para aumentar o ICM e gerar empregos... De acordo com algum político "o melhor programa social que se possa pensar". Fatores ambientais não foram considerados, apenas que na região sul, por causa da Mata dos Godoy, não tinha jeito... É a velha visão de dividir o mundo. De um lado o "progresso" e do outro a "natureza". Esquece-se que a região alta do norte tem sua influência sobre o Rio Tibagi, visto para o abastecimento da região. Ar e animais também não conhecem fronteiras. Se quisermos um mundo inteiro temos que parar de "crescer para fora" e "crescer para dentro". Entender isso no espaço Brasil infelizmente vai demorar... Mas vale a pena se antecipar, de lutar pelo legado essencial à vida: A ÁGUA!



DANIEL STEIDLE.



COMENTÁRIO:


Sou contra por muitos motivos, principalmente pelo fato do Estado não possuir dinheiro nem para atender mais ou menos a saúde, quanto mais para fazer novas estradas onde já existe uma rodovia pronta e com pista dupla e vários contornos já prontos e funcionando. Ideia boba e sem sentido. Só teria lógica se tivesse dinheiro sobrando. Aí eu pergunto: Beto Richa, tem dinheiro sobrando? JOSÉ CARLOS FARINA

Falou tudo, dinheiro o sr beto não tem, e o meio ambiente como é que fica?? o tibagi?? DOUGLAS MUZURARO


Resumindo a audiência pública sobre o projeto do contorno norte, inicialmente com a intenção de ligar Ibiporã ao primeiro acesso a Rolândia, desviando o transito pesado da Avenida Brasília que ganhou o título de avenida por estar inserida na malha urbana Londrinense, BR 369, hoje visivelmente acolhedora de grande fluxo com todo tipo de veículos. Contorno este que será mediante contrato executado pela Econorte, e com possibilidades de ampliação dentro da discussão atual da revisão do Plano Diretor de Rolândia, ou seja deixando legal dentro do mecanismo que é o plano diretor. Pensando superficialmente e nos modos operandis do modelo de desenvolvimento brasileiro, é realmente necessário o contorno, pois álibis temos aos montes: rodovia de alta velocidade nos centros urbanos que consequentemente trazem consigo acidentes, mortes, congestionamentos dentre outras anomalias, e analisando deste ponto de vista me parece muito interessante os contornos, contornos estes que se tornam um artifício ou um mecanismo de escape para a urbanização mal planejada, pela cultura do automóvel individual pela falta de pesquisas e o mais importante pela falta quase que conveniente de transportes públicos de qualidade, também pela falta de visão ampla do sentido de logística visto que nossos representantes e técnicos tendem ainda a vislumbrar o rodoviarismo como sinônimo de desenvolvimento, por ser tarde demais hoje é necessário construir o contorno norte, além é lógico de que a concessionária tem o dever em contrato de fazê-lo, mas existia a possibilidade de introduzir no passado a obrigatoriedade de logística nas mais amplas alternativas, assim portanto não ficando condizente somente a rasgar nossos campos rurais, pois sabe-se que uma auto estrada traz consigo industrias e novos conjuntos habitacionais, isso não é de tudo um mal, afinal é preciso desenvolver nossas cidades, é preciso a criação de novos empregos e receitas, e da maneira certa consequentemente qualidade de vida. Mas há maneiras diversas de crescimento, um deles é a cidade compacta que contradiz esta tese de que crescer é expandir as fronteiras urbanas, e que pode ser usado mecanismo existentes no estatuto da cidade para que as diretrizes sejam aplicadas, e consequentemente virá o desenvolvimento saudável, em se tratando de mobilidade urbana todos temos que sair da zona de conforto e cobrar as autoridades de que necessitamos de infraestruturas de meios de transporte ecologicamente corretos e claro de segurança. Prevendo aqui que os contornos serão eternos se nada for feito hoje. ELTON CHARLES PEREIRA


DISCURSO DE UM GIRASSOL SOBRE UTOPIA... "Me senti bem perdido neste ambiente da Audiência Pública sobre o Contorno Norte... Minha sorte foram alguns percevejos agarrados em mim... Ah, como esses humanos falam alto! Eles se sentem tão poderosos nos seus cargos! Todos parecem querer salvar o Mundo! As mazelas são pintadas de forma dramática para justificar a fome voraz desta gente... Mas o triste é ver que nunca eles se satisfazem e a maioria fica iludida, marginalizada, solitária. Que vida dura! Até inventaram uma palavra engraçada, UTOPIA para ainda poderem sonhar com um mundo ideal. Que tal vocês acordarem! Sou uma simples flor que logo estará murcha... e vocês também murcharão! O ideal seria não deixar marcas... ser apenas uma pequena presença e alegria... depois vem outras e outras". DANIEL STEIDLE


Desde criancinha que ouço falar disso, mas que a região carece de mais empregos não é mentira. Agora há de se pensar nos impactos que a construção desse contorno acarretará sobretudo na bacia do Tibagi e afluentes. Por fim, sabemos que existe a necessidade, mas nunca saberemos o custo ambiental de tal coisa. Nesse país, onde se vende carne podre e está tudo bem, há sempre algo por detrás dos panos. EDUARDO PINETTI


Dom Quixote de la mancha... Numa reunião técnica...... sei lá....... o tráfego da Av Brasília aguenta ainda mais uns 50 anos...... ou mais..... vamos esperar faltar agua para depois almentar os reservatórios......PAULO ADEMIR FARINA