terça-feira, 18 de abril de 2017

VEREADOR BOCA ABERTA PROVOCA JAMIL JANENE NA CÂMARA DE LONDRINA

FOLHA DE LONDRINA

Tensão na Câmara em conflito entre Comissão de Ética e Boca Aberta

A Comissão de Ética da Câmara de Londrina decidiu aplicar uma "censura escrita" no vereador Boca Aberta (PR) por suposta conduta atentatória ao decoro parlamentar quando esteve na UPA do Jardim do Sol, no começo de janeiro. Na ocasião, com a sua intitulada "Blitz da Saúde", ele se envolveu em confusão com médicos e funcionários da unidade, quando denunciou possíveis irregularidades na escala de plantão médico, o que gerava longa espera dos pacientes. 

Segundo o relatório da Comissão, apresentado nesta segunda-feira (17) em sessão pública, Boca Aberta teria agido com "excesso visível e punível", infringindo o inciso III, do artigo 8º do Código de Ética e Decoro Parlamentar (CEDP): "deixar de observar os deveres fundamentais do Vereador e os preceitos fundamentais". Agora, o documento da Comissão será enviado para a Mesa Executiva, que é responsável por aplicar a penalidade. 

Durante os vinte minutos de sua defesa, Boca Aberta discursou contra o membros da Comissão - Gerson Araújo (PSDB), Vilson Bittencourt (PSD) e Jamil Janene (PP). "Essa Comissão de Ética não tem ética nenhuma, é formada por vereadores denunciados, que respondem processos." O vereador nega que tenha cometido excessos na sua ação na UPA e afirmou que não deve recorrer da punição. "Não aceito essa punição, não cometi excessos, é meu jeito de agir e de falar, não agredi ninguém. Essa representação deveria ter sido arquivada", protestou Boca Aberta.


O clima no plenário ficou tenso, principalmente depois da sessão, quando Boca Aberta se voltou para Janene, dizendo que o pepista somente está na Câmara "por manobra eleitoral do Marcelo Belinati, não tem moral para me julgar". Janene, como terceiro suplente da coligação, assumiu a cadeira com as nomeações de Fernando Madureira (PTB) para a Fundação de Esportes e de Tio Douglas (PTB) para a Acesf. 

Janene não respondeu até que foi retirado por um assessor. Em entrevista coletiva, ele defendeu abertura de nova investigação contra Boca Aberta pelo comportamento na sessão. "Todas as falas dele, a gente vai encaminhar para o nosso procurador e esperar um parecer para tomar providência." 

Mais informações na FOLHA.

Edson Ferreira - Grupo Folha