segunda-feira, 29 de maio de 2017

ROLÂNDIA E ARAPONGAS CONTRA O PEDÁGIO ( TARIFA ZERO )

BONDE

TARIFA ZERO

BR-369: moradores constroem acesso para fugir do pedágio entre Arapongas e Rolândia

A primeira manifestação do movimento batizado como "Tarifa Zero", que pede a isenção na tarifa do pedágio localizado na BR-369, entre Rolândia e Arapongas, foi marcada pela construção de um acesso que liga a Estrada do Ceboleiro até a rua Rabilonga Vermelha. O ato ocorreu no último sábado (27). É uma alternativa para escapara da cobrança considerada como abusiva pelos integrantes do grupo, que é formado por empresários, moradores, vereadores e profissionais liberais dos dois municípios. 

Reprodução/Facebook

Segundo levantamento encomendado pelo Tarifa Zero, cerca de R$ 1 milhão é deixado mensalmente pelos motoristas que passam pelo pedágio. O custo é de R$ 8,20 para cada trajeto, representando R$ 16,40 entre ida e volta. A concessionária que administra o trecho é a Viapar. A empresa só deve se manifestar sobre a mobilização comunitária depois que uma reunião, ainda sem data definida para acontecer, for agendada para debater o assunto. A indignação dos moradores aumentou depois que a Viapar construiu um muro de concreto, que tem extensão de aproximadamente 4 km.

Reprodução/Facebook

A estrutura impediu que veículos mais pesados, como caminhões, e até carros populares passassem pelo antigo caminho. De acordo com o vereador João Ardigo (PSB), de Rolândia, a compactação do solo, feita através de máquinas rurais, foi custeada sem recursos públicos. "A própria comunidade bancou o serviço". O parlamentar afirmou que a concessionária, possivelmente por meios judiciais, deve fazer uma nova investida contra o Tarifa Zero. "Não duvido que eles vão entrar na Justiça para fechar o trecho que abrimos", ressaltou. 

Caso a gratuidade não seja concedida, o movimento pretende apresentar outra sugestão. "Quem sabe as prefeituras de Rolândia e Arapongas possam ser convencidas a manter o acesso e, por ventura, até melhorá-lo com pavimentação asfáltica", opinou Ardigo.

Rafael Machado - Redação Bonde