sábado, 10 de junho de 2017

POVO DE ROLÂNDIA E ARAPONGAS PROTESTA CONTRA O PEDÁGIO

Mesmo os líderes do movimento tentando impedir ( por causa de uma liminar da Justiça), o povo não ouviu e saiu ainda mais irado  em direção à praça do pedágio da Viapar de Arapongas.  Surgiu na hora vários  líderes e ninguém conseguiu segurá-los. Protestaram por cerca de uma hora, liberando as cancelas da praça de pedágio, ostentando cartazes e gritando palavras de ordem. Os manifestantes ao chegarem ao local  encontraram as cancelas já liberadas. Os funcionários fecharam as cabines e deixaram as cancelas liberadas tão logo os manifestantes se aproximaram da praça de pedágio.  O protesto reuniu mais de 500 pessoas. Uma parte veio à pé de Arapongas e outra de Rolândia. Pessoas de todas as classes sociais, jovens, adultos, idosos e até crianças. Houve tbm a participação de uma escola de samba e um carro de som. Várias trabalhadores assalariados de Rolândia e Arapongas  que passam pela praça de pedágio todos os dias, falaram que não estão conseguindo pagar o valor de R$ 8,20 de tarifa. Somando a ida e a volta resulta do valor muito alto de R$ 16,40, segundo eles. Muitos gritaram palavras de ordem pedindo socorro ao Governador, deputados, vereadores e prefeitos. A maioria dos manifestantes, entendem que os pedágios do paraná deveriam cobrar o valor máximo de R$ 2,00,  por carro, a exemplo do estado de Santa Catarina. Os caminhoneiros, por sua vez, falavam que para a classe deles a situação é mais dramática ainda, pois pagam um preço mt caro, por eixo. Falaram que com a crise que passa hoje o Brasil, "estamos pagando para trabalhar".  Muitos tbm pediram a reabertura da Estrada do Ceboleiro que existe há décadas, segundo eles. Um senhor falou: - "quem não pode pagar R$ 8,20  para andar no asfalto, que possa então andar no barro e poeira de graça, como faziam os nossos pais e avós". Um cartaz perguntou: "e o nosso direito de ir e vir?". O protesto foi pacífico e não houve danos ou violência.

NOSSO COMENTÁRIO: O prazo das concessões dos pedágios vai vencer em breve. A melhor solução para este entrave seria o governador em conjunto com os deputados, prefeitos e vereadores das duas cidades se reunirem com os representantes da Viapar e estudar uma solução que agrade as partes. Qual a solução  dada à população de Mandaguari?  Se a situação de lá é igual a de Arapongas e Rolândia, deve-se aplicar a mesma solução. Ou não?? Mais perguntas: Qual concessionária ficou encarregada de duplicar a Estrada do Café, de Apucarana à Ponta Grossa? Em troca desta tarifa, quais os serviços executados pela concessionária no trecho pedagiado? Quem fiscaliza a execução destes serviços?

VÍDEO DAQUI MEIA HORA....

FOTOS By JOSÉ CARLOS FARINA

clique nas fotos para aumentá-las