sábado, 29 de julho de 2017

PREFEITO DE ROLÂNDIA AGUARDA RESPOSTA DA VIAPAR SOBRE O PEDÁGIO DE ARAPONGAS

BONDE / FOLHA DE LONDRINA

PEDÁGIO

Reunião entre Viapar e prefeito de Rolândia termina sem acordo

O prefeito de Rolândia, Luiz Francisconi Neto (PSDB), foi convocado às pressas na última quinta-feira (27) para uma reunião com a diretoria da Viapar, concessionária que administra o pedágio da BR-369, que divide o município com Arapongas. A intenção de Francisconi foi obter o desconto de até 79% na cobrança para os motoristas rolandenses. Porém, o encontro com a empresa terminou sem acordo. 

De acordo com Francisconi, a Viapar estabeleceu prazo para que uma proposta seja apresentada já na semana que vem. "Acredito que teremos novidades. Queremos beneficiar os condutores que saem de Rolândia e vão para Arapongas e cidades da região, mas é preciso entender que tudo deve ser feito dentro da legalidade", comentou. 

O desconto de 79% foi estipulado após sucessivas negociações entre o prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre (PSC), e a Viapar. O percentual possibilitou que a cobrança para veículos de passeio fosse reduzida de R$ 8,20 para R$ 1,70. Para veículos pesados, como vans e caminhões, a diminuição é de R$ 74%. Apenas têm direito ao benefício aqueles que estudam, trabalham ou necessitam de constante assistência médica em cidades vizinhas, como Cambé e Londrina.


Em contrapartida, a concessionária prometeu investir R$ 16 milhões em três obras em Arapongas. Por ter firmado o acordo, Sérgio Onofre determinou o fechamento da Estrada do Ceboleiro, acesso usado por motoristas para desviar do pedágio. A medida gerou insatisfação entre integrantes do Movimento Tarifa Zero, criado para pedir a isenção da tarifa.

Rafael Machado - Grupo Folha