quarta-feira, 9 de agosto de 2017

GRAFITAGEM NO MURO DO CEMITÉRIO

BONDE

ARTE DE RUA

Famoso muro do cemitério São Pedro será tela para grafiteiros de vários cantos do Brasil

Quem é de Londrina ou quem já passou pelo centro da cidade, já deve ter se deparado com os grafites do muro do cemitério São Pedro, localizado na avenida Rio de Janeiro, esquina com a Juscelino Kubitschek. Nesta segunda-feira (7), a reportagem do Portal Bonde encontrou o muro todo pintado de branco e procurou grafiteiros conhecidos na cidade para esclarecer a situação. Afinal, por que o muro, cenário de tantos momentos entre os londrinenses, estaria apagado? 

Fernanda Circhia/Redação Bonde

Quem tirou esta dúvida foi o grafiteiro e tatuador Carão. Ele é integrante do coletivo de grafites londrinense Capstyle Crew, que completa 15 anos de história em 2017. Pensando nisso, o coletivo, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, a Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf) e outras empresas, planejou um evento com artistas de vários cantos do Brasil para dar uma nova cara ao famoso muro do cemitério São Pedro. Inclusive, os grafites que ficaram escondidos no muro, foram feitos em um evento também organizado por Carão, em 2011. Confira:

Reprodução/Google

"Vamos fazer um evento no fim deste mês. Nos dias 25, 26 e 27 de agosto. Na sexta-feira (25), teremos três workshops de grafite gratuitos, na Concha Acústica de Londrina, além de uma mesa de conversa para discutirmos o tema 'A arte de rua e a sociedade', com cinco artistas com trabalhos reconhecidos em vários lugares do Brasil", conta o artista gráfico. 

Os workshops serão ministrados por Napa, Carão e Huggo em três horários: 11h, 14h e 16h. As inscrições devem ser feitas com o Carão por meio de suas redes sociais. Acesse aqui!

A mesa de conversa terá Airá O Crespo (RJ), Devis (Curitiba), Guetus (SP), Napa (Londrina) e Skor (Maringá) como convidados. O tema será discutido no auditório Vilanova Artigas, que fica na Secretaria Municipal de Cultura, em frente a Concha Acústica, no centro de Londrina. 

A pintura do muro será feita por 45 artistas no sábado e no domingo (26 e 27). Estarão presentes grafiteiros de Londrina, Curitiba, Maringá, Ponta Grossa, Toledo e Cianorte, além de artistas dos estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. 

Além do muro ganhar novas histórias, no domingo, a rua estará fechada com programação especial, a partir das 10h, com término previsto para as 17h. 

"A ideia é passar a arte para a sociedade, para cada um poder falar por si. Cada artista tem um trabalho e um pensamento sobre a arte. As expectativas são as melhores. Nós amamos fazer isso, além de que é a comemoração de 15 anos do nosso coletivo, que tem um respeito bem grande em Londrina e fora também", ressalta Carão. 

A temática dos novos grafites será 'Natureza da vida e o amor'. "A população pode esperar o melhor, pois só tem artistas de ponta envolvidos neste mural. Gostaria muito que todos pudessem aproveitar tudo que o evento vai ofertar. 

Momento único 

O superintendente da Acesf, Douglas Carvalho Pereira (PTB), disse que é muito satisfatório poder contar com artistas renomados para ajudar outros jovens a fazer arte. A administração de cemitérios, a secretaria municipal de Cultura, a Federação de Esportes de Londrina e outras empresas vão disponibilizar sprays e outros materiais necessários para a utilização no evento. "Os jovens vão ter um momento único, porque poderão aprender técnicas do grafite", afirma Pereira. 

A Acesf já foi parceira no projeto anterior de grafitagem nos muros do cemitério, há seis anos. Pereira espera que os desenhos possam passar mensagens que transmitam as coisas boas de Londrina. 

O secretário da Cultura, Caio Júlio Cesaro, afirma que Londrina, por ser bastante verticalizada, tem espaços para intervenções urbanas, como o projeto de Carão. "Além disso, o grafite é uma forma de arte de bastante aceitação e o grafite é importante como oportunidade de revitalização dos espaços", afirma. 

Regulamentação 

A Prefeitura de Londrina regulamentou as apresentações de artistas de rua em logradouros públicos em 2015. A lei municipal 12.230/2014 define como atividades culturais de artistas de rua: o teatro, a dança individual ou em grupo, a capoeira, a mímica, as artes plásticas, o malabarismo ou outra atividade circense, a música, o folclore, a literatura, o grafite, o artesanato e a poesia declamada ou em exposição física das obras.

Fernanda Circhia - Redação Bonde