quinta-feira, 20 de abril de 2017

VÍDEO QUEREM FECHAR A ESTRADA DO CEBOLEIRO EM ROLÂNDIA ????

SERÁ POSSÍVEL?
PRA QUE ESTE PAREDÃO "SEM FIM"???
PARECE A MURALHA DA CHINA...
ESTA ESTRADA FOI FEITA PELA COMPANHIA DE TERRAS EM 1930...
ISSO PODE ARNALDO????

NOTÍCIAS DE ROLÂNDIA

20/04/2017

PASSARELA



Depois de uma reunião em Curitiba com o Prefeito Doutor Francisconi, o Presidente da Concessionária de pedágio VIAPAR Camilo Carvalho veio a Rolândia discutir sobre a possibilidade da “Tarifa zero” do pedágio para rolandenses. Como está acontecendo uma grande polêmica sobre um muro que impede a passagem cortando o pedágio de Arapongas e que está dentro de um terreno que pertence a Prefeitura de Arapongase e, por isso não está no perímetro municipal de Rolândia, e como não é possível a “tarifa zero”, de acordo com a lei, o Prefeito Doutor Francisconi solicitou uma contrapartida da concessionária e assim uma parceria vai viabilizar a construção de uma passarela no cruzamento da Igreja da Ressureição e a reforma da Estrada do Begali, que liga a estrada dos Pioneiros saindo na rodovia para Astorga (Campinho). 

CINEMA CANCELADO




Devido ao mau tempo, foi cancelada a Sessão de Cinema na Feira da Lua da Praça Castelo Branco desta noite. O evento será remarcado para outra data.


FESTA DO TRABALHADOR



VACINA




A Secretaria de Saúde de Rolândia informa que a Campanha de Vacinação contra gripe esta sendo realizada no Paraná e incluso Rolândia, desde o dia 17/04, sendo que no dia 13/05 “SÁBADO”, todas as Unidades Básicas de Saúde estarão abertas para o “Dia D” de vacinação. Grupos prioritários Vacinados até a presente data: Crianças de 6 meses a 4 anos,11 meses e 29 dias, já foram vacinadas 196;Gestantes, já foram vacinadas 92;Mulheres no pós parto até 45 dias, já foram vacinadas 14;Pessoas com 60 anos ou mais, já foram vacinadas 1.270;Profissionais de saúde, já foram vacinadas 110;Paciente Portadores de doenças crônicas já foram vacinados 368; e Professores já foram vacinados 46.Rolândia tem 12.904 pessoas que podem ser vacinadas e a meta é vacinar 90% do grupo prioritário. A cobertura vacinal é feita através do grupo prioritário, sendo assim , foram 1.728 vacinados até o momento, o que corresponde a 13.39%.Os adolescentes jovens de 12 a 21 de idade sob medidas sócio educativas, a população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional e professores de escolas publicas e privadas, não entram na avaliação de cálculo de cobertura vacinal, entretanto fazem parte do grupo para receber a vacina da gripe em 2017. Segundo o Gerente de Vigilância Epidemiológica de Rolândia, Marcelo Marques Ferreira, “asvacinasestão sendo repassadas aos municípios gradativamente por remessa até totalizarem a meta da população-alvo. Temos o máximo empenho de não ocorrer perdas evitáveis e que as vacinas sejam utilizadas com segurança e qualidade”.De acordo com o Ministério da Saúde, o público-alvo da campanha em 2017 totaliza 60 milhões de pessoas no Brasil. De acordo com a resolução da Anvisa publicada no Diário Oficial da União, a vacina de Influenza trivalente de 2017 deverá contem os seguintes vírus:

- Influenza A (H1N1), subtipo Michigan/45/2015

- Influenza A (H3N2), subtipo Hong Kong/4801/2014

- Influenza B, subtipo Brisbane/60/2008

Para receber a vacina é só comparecer a uma Unidade de Saúde mais próxima e levar a carteira de vacinação.A campanha continua até dia 26/05/2017. 

NA VILA OLIVEIRA



A Sanetran, empresa terceirizada contratada pela Prefeitura, promoveu a roçagem e a limpeza da área institucional de praça na Igreja da Vila Oliveira.

PROVA NACIONAL




A equipe de ciclismo da Secretaria de Esportes de Rolândia participará da 11ª Volta Ciclística do Futuro de 21 a 23 de abril na cidade de São Carlos/SP.A prova é valida pelo ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo e organizada pela Federação Paulista de Ciclismo. Trata-se de uma prova tradicional e a mais importante do calendário nacional, disputada no estilo de volta ciclística, realizada em 4 etapas com provas de contra-relógio (5,5 km), circuito (60 Km e 80 Km) e estrada (85 Km) onde o campeão de cada categoria será conhecido através da somatória dos tempos das 4 etapas. A equipe de Rolândia participará desta competição com 4 atletas: Gustavo Salin na categoria infanto-juvenil (até 14 anos), Alexandre Pereira na categoria Juvenil (15 e 16 anos), Luca Peres na categoria júnior (17 e 18 anos) e Karina Tatcheva na categoria SUB 23 (até 23 anos). Segundo o técnico José Ricardo Moraes,“foram selecionados apenas quatro atletas para participarem da competição, sendo aqueles com maiores chances de apresentarem bons resultados e que se dedicam mais nos treinamentos”. A equipe representa a Prefeitura Municipal de Rolândia através da Secretaria de Esportes, tendo uma parceria com a Casa das Bicicletas, Colégio Souza Naves e Academia Z Treinamentos e patrocínio da FACCAR, ÓTICA KING e ARMARINHOS FRAZATTO.Para está competição a equipe teve a colaboração da Metalúrgica Metalmax, Bavária Tratores, Construlândia, Ortodontic Center, Eletrolândia, Depósito São Jorge, Atacadão 2 rodas, Irmãos Mungo, Franciele Fukahori Nutricionista, Mecânica Paganini, Trevisan Consertos e Movéis Primavera. 

ASS. SOCIAL



A Secretaria de Assistência Socialo informa que foi publicado o edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017, que traz novas regras para a concessão de isenção da taxa de inscrição. Os participantes que estiverem concluindo o ensino médio na rede pública em 2017 terão isenção automática. Os demais poderão solicitar a gratuidade quando cumprirem um dos seguintes critérios: 
Ter renda familiar per capita de até 1 salário mínimo e ½ e ter cursado o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada (de acordo com a Lei nº 12.799/2013)
Estar inscrito no Cadastro Único e ter renda mensal de ½ salário mínimo per capita ou 3 salários mínimos de renda familiar (de acordo com o art. 4º do Decreto nº 6.135/2007) 

EMPREGOS



A Agência do Trabalhador/SINE Rolândia atende das 8h às 14h, de segunda à sexta. O SINE Rolândia fica na Avenida dos Expedicionários 604, Centro. O telefone é 3255-1118. Vagas para:

Auxiliar Contábil;

Montador de móveis de madeira;

Operador de Máquina Dobradeira;

Preparador físico;

Vendedor Interno.

-- 

Secretaria de Comunicação

SANEPAR INVESTE EM ROLÂNDIA

www.aen.pr.gob

Investimentos da Sanepar em Rolândia ultrapassam R$ 8 milhões

A Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) está investimento cerca de R$ 8,4 milhões em obras de saneamento em Rolândia, no Norte do Estado. Nesta terça-feira (18), o prefeito Doutor Fransciconi conheceu o poço colocado em operação recentemente e que garante um incremento de 15% na produção de água na cidade. 

Ele também visitou a captação da Sanepar no Ribeirão Ema, onde será inaugurada em breve a nova estrada e a ponte Odair José Martins, em homenagem ao motorista desaparecido nas chuvas de 2016.

Durante reunião com secretários na prefeitura, gerentes da Sanepar apresentaram o projeto de expansão da rede coletora de esgoto que vai beneficiar cerca de 700 famílias nos jardins Alto da Boa vista, Monte Carlo e Gustavo Giordani. 

Com esta obra o indicador de atendimento com esgoto no município deve chegar aos 60%. “Nosso compromisso é atingir 80% nos próximos quatro anos. Isto dependerá de obras importantes e da parceria com o município”, disse o gerente-geral da Sanepar na Região Nordeste, Sérgio Bahls.

De acordo com o gerente, neste ano serão implantados 14 quilômetros de tubulações para a coleta de esgoto num investimento aproximado de R$ 2 milhões. “Temos outros pontos da cidade que somente poderão ser atendidos com a execução de estações elevatórias. Serão novos investimentos que colocarão Rolândia como referência no cuidado com a saúde do cidadão”, destaca.

O prefeito diz que toda a sua equipe está empenhada para ampliar o saneamento no município. “Saneamento é saúde. É menos doenças, menos custos com o tratamento, já que é um investimento na prevenção”, lembra. “É um compromisso nosso ampliar o serviço de esgoto, por isso vamos trabalhar em parceria com a Sanepar para acelerar as obras”, reafirma Fransciconi.

MAIS ÁGUA – O novo poço está localizado nos fundos da antiga Associação Recreativa Cultural Corol (Arcol), na Estrada do Camuru. O empreendimento custou cerca de R$ 1 milhão, o que viabilizou a interligação do poço ao Centro de Reservação Central por 3,5 km de adutora. 

Com investimentos da ordem de R$ 5,4 milhões, liberados no mês de março pelo governador Beto Richa, a Sanepar irá executar novos canais de tomada de água nas captações dos rios Ema e Jaú, instalar duas novas elevatórias de água e cerca de 6 quilômetros de adutoras. Também será construído um reservatório com capacidade de 1.000 m³, na região dos jardins Nobre, saída para Porecatu, além da implantação de mais de 8 quilômetros de rede de distribuição.

O gerente regional da Sanepar, Rodrigo Junqueira, lembra ainda que para 2018 está prevista a interligação com o Sistema de Abastecimento Integrado Londrina-Cambé. A ligação com o sistema das cidades vizinhas será viabilizada com a instalação de um reservatório na entrada de Rolândia, que receberá água do Sistema Esperança de Cambé, que está em ampliação. 

A longo prazo está prevista uma nova captação no Ribeirão 3 Bocas. A Sanepar já está providenciando o projeto e prevê um investimento de cerca de R$ 45 milhões, para garantir água para a população rolandense no horizonte dos próximos 50 anos. 

Também participaram da visita às unidades da Sanepar e da reunião na prefeitura o vice-prefeito Roberto Negrão, os secretários de Desenvolvimento Econômico, Dario Campiolo, de Infraestrutura, Wanderley Massucci, e de Planejamento, Catarina Schauff. Pela Sanepar estavam ainda o gerente de Projetos e Obras da Região Nordeste, Luiz Nacayama, e a engenheira responsável pelas obras da Companhia na região, Mariane Rizzo.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:

CHUVA AGORA EM ROLÂNDIA - PR.


FOTO By JOSÉ CARLOS FARINA

CASAS E PRÉDIOS HISTÓRICOS DE ROLÂNDIA E DO NORTE DO PARANÁ

FOLHA DE LONDRINA


O Norte do Paraná é uma das regiões do País que, mesmo distante do litoral e das capitais, mesmo tendo uma história muito recente, as suas memórias e os seus patrimônios marcam profundamente as suas identidades cotidianas. As universidades oferecem cursos de pós-graduação na área patrimonial, que a cada ano recebem um número maior de interessados nas questões que envolvem as histórias locais, sem o viés clientelista do pioneirismo, reconhecendo que todos os cidadãos colaboram para a construção deste espaço, uma vez que simultaneamente marcam e são marcados por ele. 

No entanto, via de regra, o poder público tem se omitido nessa questão, ameaçando a integridade dos bens edificados reconhecidos como históricos. O caso mais flagrante e visível desta omissão foi o do Hotel Rolândia. Construído em 1932, ele era um marco, não apenas para aquela localidade, mas para todo o Norte do Paraná e para a história da imigração no Brasil. Diferentes gestões ignoraram sua importância, mantendo-o nas mãos privadas mesmo quando já não tinha condições técnicas de funcionar como um hotel. E nada de virar museu, memorial do imigrante ou um espaço cultural. Os ex-proprietários colocaram o edifício à venda, e nem assim a municipalidade de Rolândia se interessou em proteger e salvar o hotel. Ao que se sabe, nenhuma proposta de compra foi feita pela prefeitura, sequer uma assessoria for formada para debater a questão e propor as soluções, como um processo de desapropriação, por exemplo. 
Depois de alguma grita da população e da imprensa, a Prefeitura de Rolândia teve a mais infeliz das ideias: desmontar o hotel na pretensão de manter ao menos sua fachada. Sem técnica e sem método, o prédio não foi desmontado, foi demolido e seus restos amontoados de qualquer maneira em um galpão sem proteção contra a insolação, umidade e furtos. Resultado: é pouco provável que possamos ver novamente a fachada do Hotel Rolândia, e a vocação turística da região fica ameaçada, uma vez que por falta de uma política patrimonial consistente, simulacros são construídos, na tentativa de tornar uma cidade multiétnica como Rolândia, em uma cidade alemã. O pode público optou por inventar tradições ao invés de proteger eficazmente as edificações que fizeram e fazem a sua história. 

Outros lugares de memória em Rolândia estão ameaçados, são descaracterizados ou destruídos sem que a população e as instituições interessadas na defesa desse patrimônio tenham tempo de se mobilizar. Isso é agravado quando se observa que a maior parte desses bens está em mãos privadas, que não têm nenhuma preocupação na sua preservação, e o poder público, que poderia ser um órgão fiscalizador e orientador da manutenção das características históricas, se omite. O conjunto da fazenda Gilgala já foi destruído, a Fazenda Janeta tem sido reformada, retocada, mudada sem nenhum acompanhamento técnico necessário e o conjunto da Igreja do São Rafael, se não for feito nada, brevemente nada dirá às gerações futuras. 

Os erros que envolvem a destruição do Hotel Rolândia servem de alerta. É fundamental que as novas gestões dos municípios do Norte do Paraná estabeleçam políticas públicas de conservação e preservação dos bens edificados de cunho histórico, pois como nos alerta um belo samba, pensar o futuro implica em não esquecer o passado. 

MARCO ANTONIO NEVES SOARES 
é professor do departamento de 
História e coordenador do Centro 
de Documentação e Pesquisa Histórica 
da Universidade Estadual de Londrina