sábado, 5 de agosto de 2017

VÍDEO RECEITA DA MELHOR COSTELA DE BOI NA PANELA DE PRESSÃO DO MUNDO

VÍDEO.
CLIQUE.

Encontro anual carros antigos Ibiporã - Pr.

FABIO SOUZA CRUZ


VEREADOR BOCA ABERTA PEDE PUNIÇÃO EM LONDRINA

MOISÉS LEONIDAS ESCREVE

Sem fim ...
A defesa do vereador Emerson Petriv, o popular Boca Aberta, encaminhando petição a justiça.
Quer punição de um vereador que teria descumprido  uma ordem judicial, na comissão que o investiga.
A semana será uma fervura !!!
Leia mais na FAN Page

SUPERMERCADO JULIANA DE ROLÂNDIA - PR.

VÍDEO
CLIQUE

AGENDE A TROCA DO TÍTULO DE ELEITOR EM ROLÂNDIA AQUI ( CLIQUE )


TROCA DO TÍTULO É OBRIGATÓRIA EM ROLÂNDIA - PR.


TÍTULO COM A DIGITAL (BIOMETRIA)


AGENDE POR AQUI.. 

OU COMPAREÇA NO 
CARTÓRIO ELEITORAL 
RUA FRANCISCO CAMPANER, 335 
JARDIM SANTA MONICA 
TELEFONE 3255-1416 

ALEMÃES VISITAM ROLÂNDIA - NORTE DO PARANÁ

TURISTAS ALEMÃES RISCANDO O CAFÉ... O artista Edson Massuci nem precisou falar, as obras no "Museu do Café Massuci" emocionam de forma universal... Assim como a experiência de riscar o café, de se encantar com a mata, os lambaris na lagoa, o abraço no gigantesco pé de Paricá... Ao final, no Cine Paiolzão, ficamos sabendo que um dos integrantes do grupo de alemães trabalha no Mundo todo com intercâmbios... Quem sabe podemos trocar mais experiências? Obrigado Paulo R. Gaffo por possibilitar este contato! DANIEL STEIDLE

LONDRINA CAPITAL DO NORTE DO PARANÁ

FOLHA DE LONDRINA

Plano aponta caminho para logística no Paraná
Conclusão das obras no Aeroporto Governador José Richa é uma das prioridades 

Mapa da infraestrutura traz 17 propostas prioritárias de 120 obras necessárias para desenvolvimento econômico 


FOTO By Marcos Zanutto/15-07-2016


As perspectivas de desenvolvimento econômico do Estado nos próximos cinco anos passam por 17 obras prioritárias de infraestrutura, que apresentam condições de reduzir custos logísticos e ampliar a receita de empresas de todos os setores. Representantes de 17 entidades apresentaram na sexta-feira, 4, em Londrina, o Plano Estadual de Logística em Transporte do Paraná (PELT), que mapeia intervenções de curto a longo prazos para desafogar o tráfego pesado de cargas e tornar o Estado mais atrativo para empreendimentos de todos os tipos.

O executivo do Conselho em Logística de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), João Arthur Mohr, apresentou o PELT, no Sesi, como representante da entidade que faz parte do Fórum Permanente de Desenvolvimento Futuro 10 Paraná. O grupo se propõe a mapear necessidades e contribuir com propostas para direcionar investimentos públicos e privados, para minimizar os gargalos na infraestrutura de transporte. São 120 intervenções para facilitar o desenvolvimento até 2035.

Em Londrina, o destaque fica por conta da ampliação e melhoria da malha rodoviária e a conclusão das obras no Aeroporto Governador José Richa. No entanto, o reflexo já começa mesmo no aumento da capacidade de recebimento e despacho de cargas no Porto de Paranaguá, que contribui para a receita do agronegócio, maior riqueza da região e do Estado.

Empresário e vice-presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas Mecânicas e Material Elétrico de Londrina (Sindimetal), Ary Sudan afirma que o plano é fundamental à região e ao Estado. "Temos o Custo Brasil, que em parte é motivado pela nossa legislação, mas tem uma grande participação da nossa infraestrutura precária", diz. "Esse plano vai criar vantagens competitivas ao Paraná em relação aos outros estados", completa.

É no Litoral que se concentraram os primeiros esforços, para alargar o gargalo da principal saída de produtos ao exterior. Tanto que as obras para fazer dragagens de aprofundamento e de manutenção no Porto de Paranaguá estão adiantadas, o que permite que a estrutura seja a única do País já com condições de receber embarcações de calado de até 12 metros de profundidade, diz Mohr.

São 30 km de extensão e 200 metros de largura de um canal subaquático. Dessa forma, os navios têm a possibilidade de sair com 100% da capacidade para o exterior, o que dilui melhor o custo de transporte do que, por exemplo, uma embarcação com 80% de ocupação. Mohr conta que há R$ 396 milhões de recursos federais disponibilizados para ampliar ainda mais a profundidade, para 14 metros. "Temos o único porto público com 12 metros de calado, enquanto o Porto de Santos sofre com a dragagem de manutenção para manter esse nível", diz, ao lembrar que se trata de questão resolvida no Paraná.




FUTURO

Outro ponto prioritário no porto é a instalação de um píer em forma de T e, na sequência, outro em forma de F. Para se ter uma ideia, os carregadores, conhecidos como ship loaders, dos três berços do agronegócio no local tiveram recentemente a capacidade ampliada de mil para 1,3 mil toneladas por hora (t/h). Somente com o píer em T, serão quatro novas vagas para embarcações com capacidade de 2 mil t/h. As duas melhorias quadruplicarão a capacidade. "Isso agilizará a fila de navios, e diminuirá o pagamento de demurrage (sobre-estadia), que vai de US$ 10 mil a 15 mil por dia e por navio, pago sempre pelo exportador", afirma Mohr.

O custo apenas do píer em T é de R$ 800 milhões e já está com projeto pronto. O especialista da Fiep afirma que a obra será financiada pela iniciativa privada e doada ao Poder Público, mediante a já feita prorrogação da concessão do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). Com o menor custo em demurrage, o investimento será pago em três anos.

O terceiro ponto será a ampliação do número e da capacidade dos armazéns no porto, marcada para terminar no próximo ano. "Vamos ter o maior terminal de contêineres do Brasil e ganharemos em escala, com capacidade de receber os maiores navios do mundo", diz Mohr. Ele complementa que é preciso também continuar com a redução da burocracia para liberação de cargas, o que já tem sido feito pela atual administração, e melhorar os acessos rodoviários e ferroviário ao porto.

Fábio Galiotto -Reportagem Local.

Homem morre e duas pessoas ficam feridas em acidente em Rolândia

MASSANEWS

Da redação  ROLÂNDIA


Uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas em um grave acidente de trânsito registrado na noite de quinta-feira (3). A batida envolveu dois carros e um caminhão, na PR-170, entre Rolândia e Jaguapitã. Um veículo Ford Corcel, com placas de Pitangueiras, bateu de frente com outro veículo que vinha na pista contrária.

O motorista do Corcel morreu na hora. Ele foi identificado como Valdemir Machado e era morador do distrito de São Martinho. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o caminhão, com placas de Cambé, dirigido por Mauricio Cadioli, estava carregado com canjica e tinha como destino o município de Arapongas. Ele sofreu ferimentos leves e foi encaminhado ao hospital.

A identidade do condutor do veículo Honda Civic, com placas de Jaguapitã, não foi confirmada pela PRE até o fechamento desta reportagem. 

Colaboração rolandia190.com.br

BLOG DO FARINA E OS JORNAIS DE ROLÂNDIA ( 05/08/17 )

JORNAL MANCHETE DO POVO
05/08/2017




































CANAL JOSÉ CARLOS FARINA DO YOUTUBE RECEBE ELOGIO


Eu acesso todo dia, até ativei aquele sininho pra não perder, por que trens, casas abandonadas, as belezas do paranazão não é qualquer um não. 
DOUGLAS MEZURARO (APUCARANA)
RESPOSTA:
Puxa!... quanta honra.. emocionou... mt obrigado amigo. Deus te abençoe.
FARINA