segunda-feira, 17 de junho de 2013

POVO INVADE O CONGRESSO NACIONAL EM BRASÍLIA


Protesto de milhares termina sem tumultos em Londrina

Guilherme Batista - Redação Bonde
A avenida Higienópolis parou por algumas horas nesta segunda-feira (17). Horas que irão ficar para ahistória da cidade de Londrina. Pelo menos cinco mil londrinenses - jovens, em sua maioria - saíram às ruas protestar contra a repressão policial vista em manifestações realizadas em São Paulo na última semana. 

O grupo também se mostrou contra a utilização de dinheiro público na Copa do Mundo de 2014 e a falta de investimento em áreas essenciais, como a saúde e a educação. Inúmeros gritaram a favor do passe livre. Outros criticaram os governos Dilma (PT) e Beto Richa (PSDB). Alguns pediam a rejeição da PEC 37. "Os jovens têm mais facilidade em sonhar com uma sociedade ideal. As pessoas da minha idade podem voltar a sonhar também vendo manifestações deste tipo. Não podemos perder o direito de se indignar", ressaltou o ambientalista Marcelo Canhaba, de 43 anos. 

Marcos Zanutto/Equipe Folha


A indignação dos manifestantes foi traduzida nos cartazes levados por eles. "O gigante acordou!", anunciava um deles. "Borrachada de polícia tem gosto de ditadura", acusava outro. "Se tem para Copa, tem que ter para Educação. Quando seu filho ficar doente, leve-o ao estádio", ironizavam mais dois. "Temos que mudar a atual situação do Brasil. Quando vi o protesto de São Paulo na televisão, achei que os manifestantes estavam errados, mas pesquisei e vi que não é bem assim. O governo tenta maquiar a atual situação e a gente não pode deixar que isso aconteça. Ir para as ruas é um bom começo", disse o estudante Leonardo Luis Santos, de apenas 16 anos. 



A manifestação teve início em frente ao Teatro Ouro Verde. Grupos dividiam as reivindicações. Uns usavam máscaras. Outros acendiam sinalizadores verdes para deixar o protesto mais chamativo. Muitos levavam buzinas, apitos, a voz. A concentração no calçadão foi feita entre 17h e 18h. Às 18h10, o os manifestantes começaram a marchar. Andaram o calçadão inteiro. "Vem pra rua!!", gritavam em uníssono, tentando chamar a atenção dos moradores dos prédios residenciais e de quem ainda trabalhava no comércio. 

O número de pessoas, que já era grande, foi se tornando cada vez maior. Jovens universitários. Mães com os seus filhos. Um homem com dificuldade de locomoção usava moletas, mas andava com os demais, mesmo assim. "A energia deles me motiva", disse quando questionado sobre o problema relevado. 

O protesto, apesar de gigantesco, não foi interrompido. Agentes e veículos da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) fizeram o acompanhamento da marcha apenas no começo. A Polícia Militar (PM) ficou de longe e optou pela não intervenção. A marcha parava eventualmente, para o descanso e o fluxo dos carros. O grupo optou por paralisar o protesto, por poucos minutos, em trechos conhecidos da avenida Higienópolis, no cruzamento com a rua Espírito Santo, na rotatória com a avenida Juscelino Kubitschek e no balão da avenida Madre Leônia Milito. Em todas as paradas, os manifestantes soltavam a voz e relembravam a importância da liberdade de expressão. "O povo unido jamais será vencido!", repetiam grande parte deles. "Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor!", cantavam em seguida. 

Apesar da grande aglomeração, nenhuma confusão de grande monta foi registrada. Quando um ônibus foi pichado, uma manifestante foi à frente do grande grupo e criticou: "temos que lembrar que esse protesto é pacífico!", disse. A jovem foi vaiada por alguns, mas teve a mensagem levada em conta pela maioria. 

Em frente ao Iate Clube, o grande grupo quebrou o protocolo, mudou o trajeto - não virou na rua Joaquim de Matos Barreto - e optou por seguir pela Higienópolis. Na rotatória da Madre Leônia, o grupo impediu o tráfego de veículos. O autônomo Maurino Martins, de 65 anos, um dos motoristas interrompidos, não ligou. "A manifestação é legítima e tem que continuar assim, pacífica, sem violência. Eles têm o direito de reclamar. São jovens e precisam lutar por um futuro melhor", destacou. 

Na parada, alguns sugeriram a ideia de ir para o prédio da prefeitura, mas a grande maioria seguiu até a avenida Ayrton Senna e desceu para o aterro do lago Igapó II, onde a marcha terminou quase três horas após o início. "A mensagem foi mais do que importante. As autoridades não interviram e isso fez com que a manifestação acontecesse da melhor forma possível", ressaltou o mecânico Wellinton Oliveira, de 27 anos. "É um evento que vai ficar para a história. O londrinense mostrou que não vai mais aceitar tudo o que está acontecendo", complementou o vendedor Lincoln Normando, de 23 anos. 

A veterinária Hannah Lia dos Santos, de 25 anos, disse que o protesto de Londrina fez coro às manifestações realizadas em diversas cidades do país. "Mostra que o povo está unido. Independentemente de cor, credo, classe social", disse. "Vamos esperar que não pare. Isso precisa ser o início de algo que veio para melhorar a nossa vida. Para fazer com que a gente tenha ainda mais orgulho do nosso país", argumentou o estudante Wagner Mariano Schimitt, de 24 anos. 

Uma pequena parte do grupo continuou a marcha pela avenida Maringá. Os manifestantes também passaram pelas avenidas Tiradentes, Leste-Oeste, Rio Branco e acabaram com o protesto no Terminal Central, onde pularam catracas e barraram a saída de alguns ônibus. Apesar disso, não houve o registro de tumultos ou intervenções. 

Manifestantes acabam de invadir a sede do governo do Paraná

Invadem a sede do governo do estado do Paraná. Foto: Derick Fernandes.
Invadem a sede do governo do estado do Paraná. Foto: Derick Fernandes.
Milhares de pessoas que protestam contra o aumento nas tarifas de ônibus acabaram de invadir, em Curitiba, o Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, que fica na região do Centro Cívico.
Segundo informações do repórter Derick Fernandes, o batalhão de choque está chegando ao local. Há possibilidade de confronto no local.
Daqui a pouco mais informações.

MANIFESTO DE CURITIBA SURPREENDE O BRASIL - VÍDEO E FOTOS

Milhares de pessoas saem em protesto pelo Centro de Curitiba

Grupo se reuniu na Boca Maldita e seguiu até a Praça Santos Andrade.
Eles querem a redução do preço das passagens de ônibus.

Do G1 PR
39 comentários
Manifestantes protestam contra o aumento da tarifa do transporte coletivo, em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (17). (Foto: Franklin de Freitas/Estadão Conteúdo)Manifestantes protestam contra o aumento da tarifa do transporte coletivo, em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (17). (Foto: Franklin de Freitas/Estadão Conteúdo)
Cerca de 10 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, se reuniram para um protesto na Boca Maldita, no Centro de Curitiba, nesta segunda-feira (17). O grupo reivindica, entre outras coisas, a redução da tarifa de ônibus na cidade. Eles pedem que o valor seja reduzido dos atuais R$ 2,85 para R$ 2,60 de segunda a sábado e de R$ 1,50 para R$ 1, aos domingos.
O grupo partiu da Boca Maldita em direção à Praça Santos Andrade, onde ficam o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e o Teatro Guaíra.  O grupo foi acompanhado pela Polícia Militar (PM) e pela Guarda Municipal.
O protesto, assim como em várias outras cidades do Brasil, foi organizado pelas redes sociais. Na internet, quase 30 mil pessoas chegaram a confirmar a participação no movimento.
O estudante Lucas de Souza, que participa do protesto, diz que a luta do grupo se estende também aos que não compareceram. “Estamos aqui para lutar contra todas as malfeitorias que estão sendo feitas, a todo o povo, inclusive para quem não está aqui”, afirma.
“Tem muita coisa que a gente quer protestar e tiramos proveito agora para falar isso. É o gasto da Copa das Confederações, a tarifa de ônibus alta, a falta de infraestrutura para o povo. O Brasil acordou”, diz a atriz Thais Flessaka, que também está na manifestação.
Thaisa Vieira, que também é estudante, diz que não está no protesto só pela questão da tarifa de ônibus. "Não é só o aumento da passagem, até porque eu sei que não é viável uma tarifa sem custo. Desde o ano passado, que eu venho em protesto por outro motivo. Agora, venho gritar contra a corrupção generalizada do nosso país", conta.
O protesto em Curitiba também é contra a violência da Polícia Militar nos protestos em São Paulo. Na quinta-feira (13), vários manifestantes foram reprimidos com bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha.
Manifestante bloquearam cruzamente, durante o protesto (Foto: Fernanda Fraga/ ÓTV)Manifestantes bloquearam cruzamento, durante o protesto (Foto: Fernanda Fraga/ ÓTV)

MANIFESTAÇÃO GIGANTESCA NO RIO - NUNCA ANTES VISTA NA HISTÓRIA DESTE PAÍS


VÍDEO MANIFESTAÇÃO EM LONDRINA 17/06 REÚNE MILHARES

VÍDEOS E FOTOS DOS MANIFESTOS EM TODO O BRASIL INÉDITAS

Protestos contra o aumento da tarifa de ônibus se espalham pelo Brasil

21h31 - Ao menos 20 policiais formaram uma fila atrás de cada um dos dois portões do Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul. Nos últimos minutos, bases comunitárias e viaturas chegaram ao local, onde os policiais aguardam a chegada da manifestação.  Um grupo com milhares de manifestantes, integrantes do Movimento Passe Livre e responsáveis pelo policiamento nesta noite estão na Avenida Morumbi. A ideia dos manifestantes é passar pela sede do governo paulista.
21h24 – BRASÍLIA – Os manifestantes dão um abraço simbólico no Congresso Nacional. Mais cedo,  grupos invadiram a rampa de acesso e foram contidos pela PM, que neste momento faz um cordão de isolamento em torno dos acessos.
21h03 – Os integrantes do Movimento Passe Livre que estão na Ponte Estaiada, na zona sul de São Paulo, informaram que pretendem seguir até o Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, sede do governo do Estado. Parte do bloco, no entanto, está se dispersando.
20h58 - A CET informa que manifestantes ocupam todas as faixas da Avenida 23 de Maio, sentidoAeroporto de Congonhas,  na direção do Túnel Ayrton Senna. A recomendação é que os motoristas evitem acessar a via.
20h52 – O sexto protesto contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo está marcado para estaterça-feira, 18. A concentração será na Praça da Sé, às 17h.
20h32 – BELO HORIZONTE – Manifestantes entraram em confronto duas vezes com a Polícia Militar durante protesto realizado durante toda a tarde e início da noite desta sexta-feira, 17,em Belo Horizonte.
Durante o segundo confronto, surgiu a informação de que um rapaz que participava do movimento teria caído de uma altura de aproximadamente sete metros do Viaduto José Alencar, na região da Pampulha, mas polícia e o Corpo de Bombeiros ainda não tinham informação precisa sobre o caso até por volta das 20h, além de que a vítima teria sido atendida em estado grave. Manifestantes chegaram a dizer que o rapaz teria morrido, mas a informação não foi confirmada. Pelo menos outras duas pessoas ficaram feridas durante os confrontos.
Veja vídeo postado pelo internauta Sidney Silva Leal no YouTube com imagens da manifestação no período da tarde:
20h28 – RIO DE JANEIRO – Segue o enfrentamento entre policiais e manifestantes no centro da cidade. Na lateral da Assembleia Legislativa do estado, um carro foi virado e incendiado. O cenário é de desordem.
20h20 - Entre os vários gritos entoados pelos manifestantes, o governador Geraldo Alckmin foi um dos alvos. “Governador, pode escolher, ou cai a tarifa ou cai você”, cantava a multidão que desceu a Avenida Faria Lima sentido zona sul. Um outro grito atribuiu à violência dos últimos protestos à Polícia Militar. “Que coincidência! Não tem polícia, não tem violência”, disseram os manifestantes, que cobram a revogação do aumento das tarifas de transporte público em São Paulo. “Mãos ao alto, R$ 3,20 é um assalto”, cantou um grupo.
Veja vídeos dos gritos dos manifestantes:
Vídeos: Renato Vieira/Estadão
Vídeo postado no YouTube pelu usuário xiaboboi
20h13 – Parte  dos manifestantes ainda estão na Avenida Berrini e seguindo no sentido da Ponte Estaiada. A ponte está totalmente tomada por manifestantes, que seguem em direção à Marginal do Pinheiros.
20h04 – Veja os desdobramentos das manifestações em todo o País:

PROTESTOS EM TODO O BRASIL REÚNE MILHARES


FOTOS DE LONDRINA (ATUAIS E ANTIGAS ) LINDAS... HISTÓRICAS .. DÉCADA DE 1930 - By FARINA

BELAS FOTOS DE LONDRINA By JOSÉ CARLOS FARINA














13/07/2013 - FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA - 13/07/2013













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA





FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA





FOTOS By  JOSÉ CARLOS FARINA













JOSÉ CARLOS FARINA - ROLÂNDIA - PR.

PESQUISA DE JOSÉ CARLOS FARINA / COLABORAÇÃO -  PROFESSOR FELIPE - JOSÉ JULIANI -
HANS KOPP - YUTAKA - ABÍLIO MEDEIROS, JOSÉ ORGUIZA  e MUSEU HISTÓRICO DE LONDRINA

















INAUGURAÇÃO DA FERROVIA EM 1936











CENTRO DE LONDRINA - 1930











CENTR0 - 1930

















CONSTRUÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO TIBAGI - 1935












1936 -  INAUG. CASAS FUGANTI











1930 - CASAS DO CENTRO DA CIDADE











DÉCADA DE 30 - AV. PARANÁ DEPOIS DE UMA CHUVA












LONDRINA - 1936











1930 - 1º ESTABEL. COMERCIAL












WILIE DAVIDS E O 1º GADO - 1930

















GEORG CRAIG SMITH - CHEGOU COM A 1ª CARAVANA

















JOSÉ JULIANI - O 1º FOTÓGRAFO













DEMOLIÇÃO EM 1960 DA CATEDRAL DE 1930












1ª PREFEITURA - 1936











DÉCADA DE 30 - AV. RIO DE JANEIRO

















POSSE DO 1º PREF. WILIE DAVIDS E VEREADORES










29/07/1935 - 1º TREM












DÉCADA DE 30 - AV. PARANÁ COM RIO DE JANEIRO












DÉCADA DE 30 - CAIXA D´ÁGUA DO CENTRO












1934 - AV. SÃO PAULO - RES. DE ARTHUR  THOMAS













1933 - CASA DE ANGELO VICENTINI












1930 - BARRAGEM DO CAMBEZINHO - P/GERAR ENERGIA ELÉTRICA












CASA DA USINA HIDRELÉTRICA - 40 HP - DÉCADA DE 30













1930 - CELSO  GARCIA E SUA CATITA

















1930 - PLAINA PARA ABRIR ESTRADAS E RUAS










VENDA DE SECOS E MOLHADOS NO CENTRO - 1930











HOTEL LUXEMBURGO - DÉCADA DE 30












1ª CASA DE TIJOLOS 1936 - LARIONOFF













FLORESTA DE PINHEIROS - ATUAL JD. LONDRILAR












1º HOSPITAL - 1935

















AV. PARANÁ EM 1933











COMERCIO  DE DEQUECH AV. DUQUE DE CAXIAS











1ª IGREJA - 1930












LONDRINA 1937













TROPEIROS 1930












RES. DE ALEXANDRE RASGULAFF












TODOS OS CARROS - 1937












CAMINHÕES NA DÉCADA DE 30












DECADA DE 30 - PEROBAS DO CENTRO











1941 - FERROVIÁRIA - VISITA DO INTERV. MAN. RIBAS












FIGUEIRA DO CENTRO DA CIDADE - DÉCADA DE 30










VISITA DE EURICO GASPAR DUTRA












ESCOLA JAPONESA












INAUG. COL. LONDRINENSE - 1940











PIONEIROS CHEGANDO EM 1932












DESFILA NA AV. PARANA´- 1940












VISITA DO PRES. EURICO DUTRA 1948












INAUG. AGENCIA  FORD 1936













INICIO DAS OBRAS COLEGIO HUGO SIMAS











CASA NO CENTRO DA CIDADE












DÉCADA DE 30 - CRIANÇAS BRINCAM NO BOSQUE

















FAZENDA DO BULLET











CASA DE DAVID DEQUECH












INAUGURAÇÃO DA LUZ ELETRICA 1938











LONDRINA 1932 POR HANS KOPP











LONDRINA 1934 - P0R HANS KOPP












LONDRINA 1934 - POR HANS KOPP













LONDRINA 1931
JOSÉ CARLOS FARINA












DÉCADA DE 60












LONDRINA - 1940

















LONDRINA - DÉCADA DE 50 - A MAIORIA
DOS MENINOS VESTIAM-SE ASSIM












LONDRINA - DÉCADA DE 50












LONDRINA - DÉCADA DE 50








































DÉCADA DE 50


Catedral antiga de Londrina. Ficava
no mesmo local em que está a Catedral atual.
CATEDRAL ANOS 50
RODOVIÁRIA ANOS 50
ANOS 50
MARIA FUMAÇA ATRAVESSANDO O TIBAGI - DÉCADA DE 30
DÉCADA DE 50

1960




A Avenida Rio de Janeiro, esquina com a Rua Sergipe. O calçamento em paralelepípedos era típico da época, e ainda subsiste, em muitos pontos, recoberto pelo asfalto.



Rua Minas Gerais, em frente à Associação Comercial e Industrial de Londrina
(foto abaixo, de Yutaka Yasunaga - acervo do Foto Estrela).

Foto: Yutaka Yasunaka


ANOS 60


17.


18.
ão
Reprodução

1941






















































 veículo a popular apelidado  de "balaio das putas".  Na época das grandes fortunas do café, o apelido das charretes se estendeu ao aviões que traziam novas "meninas" de São Paulo para Londrina, "encomendadas" pelos novos ricos da cidade.



ANOS 50












ANOS 50






















































JULHO DE 1975















COLABORAÇÃO ABILIO MEDEIROS ( PESQUISA)


















































































































































































































FOTO INÉDITA DE  HANS KOPP ( PESQUISA FARINA )



























MARINGÁ  1945





























LONDRINA ( INÉDITA ) DE HANS KOPP






































HANS KOPP - SUBINDO EM UMA ÁRVORE GIGANTE PARA
FOTOGRAFAR LONDRINA DO ALTO ( FOTO INÉDITA) PESQUISA
FEITA POR JOSÉ CARLOS FARINA