quinta-feira, 9 de março de 2017

ROLÂNDIA NO G1 PR GLOBO ( MST OCUPAM AGÊNCIA DO INSS )

G1 PR / GLOBO

Integrantes do MST protestam contra a reforma da Previdência no norte do PR
Em Rolândia, movimento afirma que 400 pessoas participam do protesto.
Há manifestações em Londrina, Maringá e Apucarana, nesta quarta (8).

Luciane Cordeiro- Do G1 PR

Integrantes do MST realizam uma manifestação em frente à agência do INSS em Rolândia, no norte do Paraná (Foto: Welington Taques/Arquivo pessoal)

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizam um protesto contra a reforma da Previdência em Rolândia, Maringá, Londrina e Apucarana, no norte do Paraná, nesta quarta-feira (8).

Em Rolândia, participam da manifestação cerca de 400 pessoas, entre elas jovens e mulheres, segundo o MST. O grupo está reunido em frente à agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) desde às 9h e deve ficar no local até as 12h. A coordenadora regional do MST Ceres Hadich, explica que o protesto faz parte da Jornada Nacional de Lutas das Mulheres, e entre os temas mais preocupantes é a reforma da Previdência.
Protesto quer alertar a população sobre as
consequências da aprovação da reforma
(Foto: J.A.Tofanetto/RPC)

“Nós queremos denunciar e também dialogar com a sociedade sobre as consequências dessa reforma que vai prejudicar, principalmente, as mulheres. Além disso, também estamos denunciando a criminalização dos movimentos sociais e pedimos que a Justiça solte uma integrante do MST que foi presa injustamente em novembro de 2016”, relata a coordenadora do MST.

O mesmo protesto ocorre em frente às agências do INSS de Maringá. No município, o protesto começou por volta das 8h30, e segundo Renato Bariani, um dos organizadores do protesto, os integrantes participarão de uma passeata.

Os manifestantes de Rolândia seguirão para Londrina durante a tarde. De acordo com Ceres, a concentração está marcada para ocorrer às 13h30, no Centro Cívico. São esperadas cerca de 800 pessoas.

“Estamos lutando em defesa do direito à previdência pública e a uma aposentadoria digna. Nos colocamos contra essa reforma, e por isso o protesto. Queremos alertar toda a classe trabalhadora sobre os problemas que serão acarretados se essa reforma for aprovada”, finalizou Ceres Hadich.

Em Londrina, o movimento informou que o protesto reuniu cerca de 400 pessoas na manhã desta quarta. No ínicio da tarde, todos os manifestantes seguiram até a prefeitura e lá se reuniram com o prefeito de Londrina, Marcelo Belinatti (PP).

Após a realização da audiência da prefeitura, os integrantes do movimento realizarão uma passeata até o calçadão, que fica no centro de Londrina.