sábado, 1 de julho de 2017

PERAZOLO NÃO DEIXOU INSTALAR PRAÇA DE PEDÁGIO EM ROLÂNDIA - PR.




09/01/1998



Arquivo FolhaPedágio ficará na altura do Contorno Sul, entre Cambé e Rolândia; prefeito quer mudá-lo para ArapongasO prefeito de Rolândia (25 km a oeste de Londrina), José Perazolo, se posicionou contra o local escolhido para construção da praça de pedágio na BR-369. O Consórcio Viapar, de Maringá, venceu a licitação para privatização da rodovia, que faz parte do Lote II do Anel de Integração. O local projetado para o pedágio fica a 300 metros do início do Contorno Sul (entre Cambé e Rolândia). Perazolo expôs sua opinião anteontem, durante reunião com representantes do Viapar, da Polícia Rodoviária e autoridades locais. 
‘‘Não somos contra o pedágio, mas contra os efeitos que ele terá sobre a população rolandense que, em grande número, trabalha ou estuda em outras cidades da região e será penalizada, diariamente, com o pagamento de tarifas nas viagens de ida e volta à cidade’’, reclamou. Perazolo pretende mobilizar os prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar) e deve discutir o problema, nos próximos dias, com o secretário de transportes, Heinz Herwig. 
Para Perazolo, o pedágio deveria ficar entre Arapongas e Rolândia, onde traria menos prejuízos para a população de Rolândia. ‘‘Há viabilidade do pedágio ser transferido, basta bom senso dos projetistas’’, entende o vice-prefeito João Dário. 
Mas a localização dos pedágios foi definida pelo governo do Estado, antes de submeter as rodovias à privatização. As obras deverão começar em três dias em Rolândia. Para a construção da praça de pedágio, o tráfego será desviado pela avenida presidente Vargas, trecho urbano da BR-369. 
Na reunião, os diretores do Viapar se comprometeram em recuperar a rodovia no perímetro urbano, durante e depois da utilização do trecho para desvio do tráfego. A empresa garantiu ainda um processo de geração de empregos e fomento para indústrias locais. 
Nesta primeira fase, uma empresa de Rolândia foi contratada para fornecer estruturas de pré-moldados. ‘‘A população ainda será beneficiada com rodovias em perfeitas condições, equipadas com paramédicos, ambulâncias, guinchos e telefonia’’, afirmou o representante da Viapar Frederico De La Roque. 
Para esclarecer as dúvidas do prefeito, a Viapar marcou uma nova reunião em data ainda não definida. A empresa admite a possibilidade de oferecer tarifas diferenciadas.

Luciane Tonon